ÚLTIMAS DO BLOG


Foi ao ar, hoje, pela manhã aqui no Brasil, o último episódio da atual temporada do X Factor Australia. A franquia, que costuma ser a nossa preferida entre as principais, não fez tão feio esse ano, porém, entendemos que tenha deixado um pouquinho a desejar se comparada aos três últimos anos, em que tivemos Reece Mastin, Samantha Jade e Dami Im como vencedores.

Se Deus existe ou não a gente não sabe, mas se ele existir mesmo uma das suas maiores obras se chama Marina & The Diamonds. A cantora surgiu no mundo da música em 2010 com o fabuloso "The Family Jewels", um álbum beeeem indie com pinta de new wave. Até ali Marina era diva cult mais voltada para o hipster, algo que foi jogado pra cima com o "Electra Heart", seu segundo álbum. Unindo-se a produtores mainstream, como o Dr. Luke, Cirkut e Diplo, a cantora fez toda sua veia pop jorrar, indo de hinos popísticos até farofas. Marina então virou diva pop alternativa.


Ontem foi o momento de assistirmos a mais uma semana com essa temática horrorosa de anos 80 que a equipe do X Factor UK insiste em manter ano após ano. Teve John Lennon, Irene Cara, Blondie e muito mais breguice no palco e hoje chegou a hora de descobrir os outros dois acts que deixaram a competição.

A musa, britânica, indie e mainstream, detentora dos hits “Lights” e “Burn”, Ellie Goulding, deve revelar a primeira amostra do seu terceiro álbum de inéditas até o fim desse ano, iniciando a divulgação do disco que sucede o maravilhosamente aclamado “Halcyon”, de onde extraiu, entre tantas coisas, as canções “Anything Could Happen” e “Figure 8”, mas enquanto seu single de retorno não chega até nós, uma demo resolveu dar o ar de sua graça na rede mundial de computadores.

Intitulada “Slow Down” (hoje não, Selena), a faixa é uma das típicas baladinhas de Goulding e se encaixaria facilmente no repertório do seu disco de estreia, “Lights”, mas não é pra menos, visto que a canção, segundo algumas fontes, fez parte das sessões desse CD, terminando descartada na listagem final, o que é uma pena.
A menina Meghan Trainor é uma das maiores revelações do ano com seu hino em prol das curvas, “All About That Bass”, e com seu disco de estreia agendado para dezembro desse ano e um novo single engatado, sendo ele a canção “Lips Are Moving”, a moça ganhou um remix do seu single de estreia com vocais de ninguém menos que o Justin Bieber.

Ainda que tenha se tornado uma pessoa bem insuportável, Bieber sempre foi bem adepto a apoiar novos artistas e, só nos últimos dois anos, apoiou nomes como Ariana Grande e Cody Simpson, mostrando agora o seu favoritismo por Trainor.