It Férias: listamos cinco livros para você ler durante as férias!

Como prometemos, aqui está a segunda parte do nosso projeto de férias. Desta vez listamos cinco livros para você ler durante essa parte do ano, mas agora, diferentemente de outras listas literárias que fizemos, decidimos focar num público e gênero mais específicos, então não espere achar aquele romance água com açúcar nem aquela biografia de algum artista por aí, certo? Então vambora.

1. "Psicose" - Robert Bloch



Por que não ler o romance que originou um dos maiores clássicos do cinema? "Psicose" é o brilhante livro do mestre do terror Robert Bloch que deu origem ao filme de mesmo nome, dirigido por Hitchcock, que aterrorizou gerações a fio e serviu de referência para tantas outras tramas que vieram depois. Ah, dicona: a editora Darkside relançou a obra em duas edições foderosas, viu?

Sinopse: "Psicose", o clássico de Robert Bloch, foi publicado originalmente em 1959, livremente inspirado no caso do assassino de Wisconsin, Ed Gein. O protagonista Norman Bates, assim como Gein, era um assassino solitário que vivia em uma localidade rural isolada, teve uma mãe dominadora, construiu um santuário para ela em um quarto e se vestia com roupas femininas. Em Psicose, sem edição no Brasil há 50 anos, Bloch antecipou e prenunciou a explosão do fenômeno serial killer do final dos anos 1980 e começo dos 1990. O livro, assim com o filme de Hitchcock, tornou-se um ícone do horror, inspirando um número sem fim de imitações inferiores, assim como a criação de Bloch, o esquizofrênico violento e travestido Bate, tornou-se um arquétipo do horror incorporado a cultura pop.

2. "Graça Infinita" - David Foster Wallace



"Graça Infinita" é aquele tipo de livro que você olha o enredo e pensa "hm, isso daria um ótimo filme". Virando um blockbuster ou um daqueles longas que passam em algum festival de cinema em Cannes, a obra de David Foster Wallace é o último grande clássico do século XX (1996, mais precisamente) e traz em sua realidade distópica diversas reflexões do que nossa sociedade pode se tornar em algumas décadas. Ah, e mencionamos o fato dele ter mil e cem páginas?

Sinopse: Os Estados Unidos e o Canadá já não existem: eles foram substituídos pela poderosa Onan, a Organização de Nações Norte-Americanas. Uma enorme porção do continente se tornou um depósito de lixo tóxico. Separatistas quebequenses praticam atos terroristas e a contagem dos anos foi vendida às grandes corporações.

No romance, seguimos os passos dos irmãos Incandenza - membros da família mais disfuncional da literatura contemporânea -, conforme tentam dar conta do legado do patriarca James Incandenza, um cientista de óptica que se tornou cineasta e cometeu suicídio depois de produzir um misterioso filme que, pela alta voltagem de entretenimento, levava seus espectadores à morte.

Enquanto organizações governamentais e terroristas querem usar o filme como arma de guerra, os Incandenza vão se embrenhar numa cômica e filosófica busca pelo sentido da vida. Graça infinita dobra todas as regras da ficção sem jamais sacrificar seu próprio valor de entretenimento. É uma exuberante e original investigação do que nos torna humanos - e um desses raros livros que renovam a ideia do que um romance pode ser.

3. "GO" - Nick Farewell



"GO", do Nick Farewell, é um dos melhores livros nacionais de todos os tempos. A história gira em torno de Mr. Fahreiheint, um cara metido à escritor, metido à DJ, metido à experiente na vida, mas que a todo momento questiona sua existência, a possibilidade de alcançar seus objetivos e, claro, se ainda há alguma razão para "ir". Vendo assim, até parece um livro de auto-ajuda, mas pense duas vezes, o protagonista é um verdadeiro anti-herói e cheio de crises por problemas que o assombram há muito tempo, mas leva tudo isso relativamente bem, enquanto se embriaga com músicas, pessoas e bebidas. Uma boa pedida para uma leitura que pode até parecer descompromissada, mas terminará te prendendo de uma forma que nem imagina.

Sinopse: Um homem está escrevendo um livro. Enquanto não chega ao capítulo final, ele precisa solucionar uma amor mal resolvido, encontrar a verdadeira motivação para escrever e aprender, de uma vez por todas, como preencher o seu buraco no peito, metáfora persistente da sua interminável solidão. Este livro é sobre o porquê da nossa existência, acompanhado de um setlist (sim, ele tem uma trilha sonora!) perfeito para se ouvir em noites estreladas numa cidade grande e solitária. GO é um livro que vai além das palavras, porque seu objetivo não é apenas ser uma leitura prazerosa, mas o agente de uma mudança. "GO" é uma palavra de ordem. De não desistir nunca. De buscar o significado da vida. "GO". Faça alguma coisa por você e pelos seus sonhos. "GO". Leia. É o começo.

4. "A Mão Esquerda de Deus" - Paul Hoffman



"A Mão Esquerda de Deus" é o volume um da trilogia que leva o mesmo nome e, se você tem um estômago fraco demais, talvez ele não seja a melhor pedida, visto suas cenas bem fortes. O livro se apoia em bases clichés para construir uma história e desenvolver uma narrativa que foge completamente de qualquer cliché, o que o torna fenomenal, além de ainda contar com algumas reflexões que podemos aplicar perfeitamente no contexto politico atual do nosso país (vide Felicianos, Bolsonaros e Cunhas da vida) e com algumas alfinetadas na religião quando levada ao extremo.

Sinopse: O Santuário dos Redentores é um lugar desolador. Um lugar onde a esperança e a alegria não são bem-vindas. A maior parte dos meninos que habitam o lugar foi levada para lá muito nova e contra a vontade. Eles padecem sob o regime opressor dos Lordes Redentores, cuja violência e crueldade têm como único propósito honrar a memória do Redentor Enforcado - e passam suas vidas prisioneiros dos corredores labirínticos e tortuosos do Santuário, um lugar com séculos de história e segredos, e que ninguém conhece por completo.

No meio de um desses corredores há um menino. Talvez ele tenha 14 anos, talvez tenha 15: ninguém sabe ao certo. Lá dentro, é chamado de Thomas Cale. Seu verdadeiro nome, já esqueceu há muitos anos. Ele já esqueceu de tudo de sua antiga vida. Em breve, será a testemunha de um ato horrendo. E é neste momento que começará a sua extraordinária vida futura. Conheça o Anjo da Morte.

5. "Dias Perfeitos" - Raphael Montes



E que tal outro livro nacional na lista? Raphael Montes é um dos nomes mais promissores quando tratamos de literatura policial brasileira contemporânea e seu primeiro livro publicado, "Suicidas", fez um estrondo nas livrarias do país. Agora, Raphael tem a missão de fazer com que "Dias Perfeitos", sua segunda obra publicada, seja tão bom quanto sua estreia. Numa narrativa cheia de suspense e tensão que não nos deixa desgrudar do livro, não podemos dizer que ele não realizou esse feito.

Sinopse: Téo é um solitário estudante de medicina que divide seu tempo entre cuidar da mãe paraplégica e examinar cadáveres nas aulas de anatomia. Durante uma festa, ele conhece Clarice, uma jovem de espírito livre que sonha tornar-se roteirista de cinema. Ela está escrevendo um road movie sobre três amigas que viajam em busca de novas experiências. Obcecado por Clarice, Téo quer dissecar a rebeldia daquela menina. Começa, então, uma aproximação doentia que o leva a tomar uma atitude extrema. Passando por cenários oníricos, que incluem um chalé em Teresópolis e uma praia deserta em Ilha Grande, o casal estabelece uma rotina insólita, repleta de tortura psicológica e sordidez. O efeito é perturbador. Téo fala com calma, planeja os atos com frieza e justifica suas atitudes com uma lógica impecável. A capacidade do autor de explorar uma psique doentia é impressionante – e o mergulho psicológico não impede que o livro siga um ritmo eletrizante, repleto de surpresas, digno dos melhores thrillers da atualidade. Dias perfeitos é uma história de amor, sequestro e obsessão. Capaz de manter os personagens em tensão permanente e pródigo em diálogos afiados, Raphael Montes reafirma sua vocação para o suspense e se consolida como um grande talento da nova literatura nacional.

___

E essas foram nossas indicações literárias para as férias! Caso tenha perdido a primeira lista que publicamos, com cinco discos para se ouvir nas férias, é só clicar aqui e ser feliz. E lembrando que essa não foi a primeira lista de livros que fizemos no It, temos essa aqui também. Até sexta que vem!
Tecnologia do Blogger.