V.N.P.D.S.S.: Adam Lambert conta que se encontrou com Sam Smith e oferece apoio ao cantor, que recentemente assumiu ser gay

Você não pode dormir sem saber que o cantor Adam Lambert já ficou sabendo sobre a revelação do Sam Smith, que numa recente entrevista c...

Você não pode dormir sem saber que o cantor Adam Lambert já ficou sabendo sobre a revelação do Sam Smith, que numa recente entrevista contou que seu disco de estreia, "In The Lonely Hour", é todo composto sobre um cara por quem se apaixonou no ano passado, tornando também pública a sua homossexualidade, já cogitada pelo público por conta do clipe de "Leave Your Lover", e se mostrou aberto a apoiá-lo, caso ele precise disso.



Desde a entrevista em que Smith falou pela primeira vez sobre o assunto, seu nome passou a ser mais explorado pela mídia, anteriormente não muito interessada em falar sobre o britânico e seu R&B alternativo, enquanto seu primeiro álbum garantiu ótimas vendas devido ao buzz, alcançando a posição mais alta da parada de discos britânicas, sendo que estreará em mercado americano nesta terça-feira (17).

Numa conversa com o Daily Star, Lambert, que nos últimos meses também atuou na série "Glee", além de ser o vocalista honorário da banda Queen e trabalhar em seu terceiro álbum, sucessor do subestimado "Trespassing", contou que chegou a se encontrar com Sam Smith e que considera muito louco a homossexualidade ainda ser vista como um tabu nos dias de hoje, oferecendo apoio ao cantor, que foi uma das maiores apostas e revelações musicais deste ano:
"É difícil porque, embora as coisas tenham mudado bastante desde que eu saí, isso continua sendo um drama ou alvo de discussões. Ele me disse que nunca teve problemas quanto a sua sexualidade até agora, porque todos estão fazendo disso algo enorme, o que é louco".
Enquanto tentam explorar mais desse lado midiático de Sam Smith, o cantor se mostra bem indisposto a concordar com isso, afirmando que só tratará da sua vida pessoal por meio de músicas. Tê-lo com Adam Lambert em alguma parceria não seria nada mal, não é mesmo?