A sorte está la la lançada: estas são as nossas apostas para o Oscar 2017

A cerimônia de entrega de prêmios acontece nesta noite.

Hoje é o grande dia, amados! A cerimônia do Oscar acontece hoje e nós reunimos todos os membros de cinema para dar pitaco e lançar nossas apostas sobre quem leva a melhor na premiação. Como o nosso próprio título já condena, "La La Land" não só o favorito da Academia, como também nosso. Mas fica tranquilo, fomos super justos em várias categorias. Vem!




Melhor Trilha e Canção Original: "La La Land: Cantando Estações"
"La La Land" e "Moana" são os musicais que se destacaram em 2016, e ambas as produções são concorrentes nestas duas categorias. A única diferença é que "La Land Land" tem duas músicas na categoria Melhor Canção Original, sendo elas "Audition" e "City Of Stars". "LLL" deve levar ambas as categorias para a casa; "City Of Stars" é quem deve dar o prêmio de Melhor Canção Original. — José Salvani

Melhor Fotografia: "La La Land: Cantando Estações"
Numa das categorias mais concorridas da noite, “La La Land” deve abocanhar o favoritismo também em “Melhor Fotografia”. Como já foi comprovado, a Academia ama planos sequência – “Birdman” e “O Regresso” estão aí pra provar –, imagine quando esses planos são musicais e uma ode à própria arte. Linus Sandgren, fotógrafo de “La La Land”, realizou um trabalho maravilhoso, seja nas grandes sequências musicais – “Another Day of Sun” é de cair o queixo –, seja pelos momentos mais intimistas. Não foi por acaso que ele levou quase todos os prêmios de “Fotografia” da temporada. — Gustavo Hackaq

Melhor Figurino: "Jackie"
Só pelo terno rosa o filme levaria o prêmio para casa, porém a figurinista Madeline Fontaine vale ser destacada por seu trabalho também pela recriação minuciosa de vários figurinos de Jacqueline Kennedy e também pela reinvenção de alguns deles. Fontaine consegue transmitir com maestria todo o glamour da ex-primeira dama. Infelizmente, este será um dos únicos prêmios que "Jackie" deve levar. — José Salvani

Melhor Roteiro Original: "Manchester À Beira-Mar"
Universalmente aclamado, o drama com ares de humor negro “Manchester À Beira Mar” é um filme bastante simples, mas vitorioso pelas atuações impecáveis de Casey Affleck, Lucas Hedges e Michelle Williams (todos indicados ao Oscar), no entanto, é o roteiro de Kenneth Lonergan, também diretor do filme, que orquestra o espetáculo. Original, tocante e até estranho, o trabalho escrito do diretor/roteirista deve arrematar o Oscar de Roteiro Original caso o brilhantismo de “La La Land” (em muitas partes justificado) não cegue os votantes. Além disso, como um dos principais indicados a Melhor Filme, “Manchester” não pode sair sem um dos principais prêmios da noite. — Gustavo Hackaq

Melhor Roteiro Adaptado: "Moonlight: Sob A Luz do Luar"
Além de ser o segundo mais indicado da noite (em oito categorias), “Moonlight” é o filme mais aclamado e premiado de 2016. Está claro que a Academia morreu de amores pelo encanto cinematográfico de “La La Land”, o que afasta “Moonlight” do prêmio máximo, mas a sua importância social e o poderosíssimo roteiro não poderão sair de mãos abanando. É certo que o lindo roteiro de “A Chegada” ainda está na briga da categoria, porém, a força motriz de “Moonlight” habita em seu discurso, e Barry Jenkins (também diretor do longa) e Tarell Alvin McCraney (co-roteirista e criador da obra que originou o filme) serão vencedores exemplares na era de Donald Trump. Um texto sobre um homem negro e gay vencedor do Oscar? Isso que fará a América grande de novo. — Gustavo Hackaq

Melhor Ator Coadjuvante: Mahershala Ali, por "Moonlight: Sob A Luz do Luar"
Mahershalla Ali tem pouquíssimo tempo de tela em "Moonlight", porém rouba a cena. O personagem do ator, Juan, é peça essencial para a construção de Chiron, servindo com uma espécie de figura materna que nunca teve, e Ali consegue entregar em pouco tempo uma atuação impecável e forte, necessária para o seu personagem. — José Salvani

Melhor Atriz Coadjuvante: Viola Davis, por "Um Limite Entre Nós"
Esse é, de longe, o Oscar mais fácil de acertar. Viola Davis levou praticamente todos os prêmios que concorreu pela atuação em “Um Limite Entre Nós”, incluindo os mais fortes, como o SAG, BAFTA, Globo de Ouro e o Critics' Choice. Claro, a artimanha de colocá-la como Atriz Coadjuvante só facilitou suas vitórias – mas ela tinha fortíssimas chances de vencer mesmo em Melhor Atriz. E os motivos são evidentes até no trailer do longa: a atriz entrega uma aula de atuação, coragem e sinceridade pelo papel difícil de Rose – que a rendeu um Tony em 2010 na readaptação de “Fences” no teatro. Não tem como escapar depois de três indicações, essa hora é tua, Viola. — Gustavo Hackaq

Melhor Ator: Denzel Washington, por "Um Limite Entre Nós"
Desde o início da corrida dourada, Casey Affleck vinha como o favorito a Melhor Ator pelo belo trabalho em “Manchester À Beira Mar”. Ele ainda é o grande nome e detentor do maior número de prêmios da categoria na temporada, porém, suas acusações de abuso sexual em 2010 começaram a pesar contra sua óbvia vitória, com atores e personalidades publicamente contrários à sua vitória. O ponto de virada foi no Screen Actors Guild (SAG), o principal termômetro do Oscar de atuações, que foi arrematado por Denzel Washington, o que nos faz apostar em sua vitória, tanto pelos problemas de Affleck, pelo brilhante desempenho de Denzel em “Um Limite Entre Nós” e, claro, pelo fim do #OscarSoWhite (assim teríamos três negros vencendo quatro das categorias de atuação). — Gustavo Hackaq

Melhor Atriz: Emma Stone, por "La La Land: Cantando Emoções"
Num ano concorridíssimo como esse, com Isabelle Hupert ("Elle") e Natalie Portman ("Jackie") entregando performances louváveis, quem nós apostamos levar a estatueta para a casa é Emma Stone, que também entrega uma atuação impecável. Emma é Mia, uma atriz que busca sua ascensão no mercado, seja no cinema ou teatro, e após alguns encontros improváveis que insistem em acontecer, apaixona-se pelo pianista Sebastian (Ryan Gosling). Vale lembrar que Stone já foi indicada ao Oscar na categoria Melhor Atriz Coadjuvante por "Birdman". — José Salvani

Melhor Diretor: Damien Chazelle, por "La La Land: Cantando Emoções"
Este é o ano de Damien Chazelle! O jovem diretor, que vem conquistando terreno desde "Whiplash" (2015), ganhou todos os principais prêmios da categoria e demonstrou toda sua competência e versatilidade com  "La La Land", um musical com números bem executados (destaque para a primeira cena, em plano-sequência) e relevante impacto visual, mesmo produzido sob baixo orçamento. Sua vitória pode ser ameaçada por Barry Jenkins ("Moonlight") e Denis Villeneuve ("A Chegada"), mas ainda apostamos que Chazelle seja grande nome da noite. — Gustavo Nery

Melhor Animação: "Zootopia"
"Zootopia" é uma das escolhas mais certas para a categoria de Melhor Animação. O filme esteve na lista de melhores do ano da American Film Institute (AFI) e conquistou quase todos os prêmios anteriores, incluindo o de Melhor Longa-Metragem no Annie Awards, premiação destinada ao gênero. O grande destaque está na narrativa que mescla comédia com investigação policial, trazendo à tona temas modernos e relevantes para o momento, como feminismo e preconceito. — Gustavo Nery

Melhor Filme: "La La Land: Cantando Emoções"
"La La Land: Cantando Estações" levou inúmeros prêmios nesta temporada de premiações de cinema, e com o Oscar não deve ser diferente. Com 14 indicações, igualando-se a "Titanic" e "A Malvada", o longa-metragem de Damien Chazelle deve levar, inclusive, o grande prêmio da noite. A produção é um ode aos musicais, recheado de referências aos grandes clássicos e apoiado em um roteiro simples, porém firme. Quem pode acabar levando seu prêmio é "Moonlight", mas como o musical é o grande favorito da noite, é bem provável que a Academia entregue o prêmio principal para o filme de Chazelle. — José Salvani

X

Com apresentação de Jimmy Kimmel, a 89ª edição do Oscar acontece em Los Angeles a partir das 23h. Aqui no Brasil, dá para conferir a cerimônia de entrega de prêmios pela TNT ou qualquer stream amigo. No Twitter, estaremos fazendo uma cobertura bem gostosinha, viu?