Aquecimento Oscar 2017: Os 10 momentos mais icônicos da premiação

Teve DiCaprio recebendo seu tão sonhado Oscar? É claro.

Os primeiros meses do ano são sempre um prato cheio para os aficionados por cinema, pois é nesta época que os principais destaques da sétima arte são premiados. Mas assim, pode até ter Globo de Ouro, SAG Awards e até mesmo o “do povão” People’s Choice Awards, mas nenhum se iguala ao soberano prêmio da Academia; o famigerado Oscar. A cerimônia, neste ano, vai para a sua 89° edição, então dá para ter uma ideia do quanto de coisa já aconteceu em quase um século de existência da evento. Por isso é que, dentre climões, protestos, situações engraçadas e emocionantes, escolhemos os dez melhores momentos (sem ordem de relevância) da maior premiação do cinema que a gente respeita para você já se preparar e ficar mais ansioso(a) ainda para a festa deste ano.

FINALMENTE RECONHECIDO

Não há dúvidas de que Charlie Chaplin é, até hoje, um dos maiores nomes da história do cinema. Chaplin era produtor, roteirista, empresário, escritor e humorista. Resumindo, um artista completo. Porém, seus multitalentos não o impediram passar por maus bocados. Sob a acusação de ser comunista, Charlie foi, durante 20 anos, exilado dos EUA, país onde morava.

Porém, no Oscar de 1972, ele finalmente foi reconhecido pela importantíssima contribuição que deu para a sétima arte e recebeu o Oscar honorário, ou seja, por todas as obras realizadas. Não é à toa que, na hora de receber o prêmio, Charlie foi ovacionado por 10 minutos e foi agradecer com lágrimas nos olhos.



RINDO DE NERVOSO

Este momento não é, necessariamente, um dos melhores, mas é no mínimo curioso. Ao receber o prêmio de melhor ator pelo filme “O Pianista”, na edição de 2003, Adrian Brody ficou um mix de contente, desacreditado e louco das ideias e tascou um beijo na Halle Berry, que foi quem apresentou esta categoria. E a cara da Halle? O meme “uncomfortable” resume bem como ela aparentemente se sentiu. Até porque, convenhamos, que beijo “roubado” (para não dizer forçado) não é legal no carnaval e nem no Oscar.



UMA HOMENAGEM MERECIDA

Ver alguém ganhar um prêmio da Academia é sempre emocionante, mas ver um artista ser reconhecido postumamente eleva os sentimentos a outro nível. Com um misto de satisfação por ver um trabalho ser reconhecido justamente, mas com aquele aperto no coração por saber que a pessoa já não está mais ali é que o Oscar dado à Heath Ledger marcou como um dos momentos mais importantes da premiação.

O tiro (e não é no bom sentido) fica ainda maior com o fato de que seu papel como Coringa em “Batman: O Cavaleiro das Trevas” foi, muito provavelmente, o ponto de largada para a sua morte, já que o ator começou a ter distúrbios psicológicos (o que o obrigou a tomar os remédios fortes que causaram o óbito) quando deu vida a este personagem que é tão perturbador. Com um discurso emocionante, a família de Ledger recebeu o prêmio na edição de 2009 e fez muita gente na plateia chorar.


ONZE PRÊMIOS, UMA NOITE

O naufrágio do Titanic foi uma tragédia, mas o filme sobre sua história é um dos maiores sucessos da história do cinema: além de ocupar a segunda maior bilheteria (ultrapassado por "Avatar", que também é dirigido por James Cameron), está empatado com “Ben Hur” (1959) e “O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei” (2004) no número de estatuetas do Oscar conquistadas, totatlizando 11. James Cameron e sua equipe arremataram os prêmios da edição de 1998, então nada mais justo do que o momento em que esse hino de filme recebeu o prêmio mor entrar na lista.



BUT FIRST, LET ME TAKE A SELFIE

A Academia pode ser, ainda, bastante conservadora e antiquada em alguns sentidos, mas em alguns pontos ela consegue acompanhar as novas gerações e se modernizar. E foi com um smartphone na mão que a maravilhosa apresentadora Ellen DeGeneres, que comandou a edição de 2014, fez a foto – ou melhor, a selfie – mais retuitada do mesmo ano, com 3,3 milhões de RTs. Julia Roberts, Bradley Cooper, Jennifer Lawrence, Lupita Nyong’o, Maryl Streep, Angelina Jolie e Brad Pitt foram alguns dos nomes que participaram da brincadeira. A gente ama esses momentos de descontração que têm acontecido nas edições mais recentes, não é mesmo?

NUDES

Sim, é isso que vocês estão pensando. Nas cerimônia de 1974, um homem desconhecido entrou nu, como veio ao mundo, fazendo sinal de paz e amor enquanto David Niven falava ao microfone. Niven nem esquentou a cabeça e ainda brincou que “já tinha visto maiores antes”.


#MILITEI

O cineasta Michael Moore é conhecido por fazer documentários que criticam e confrontam a sociedade estadunidense, então seu discurso ao receber o Oscar de Melhor Documentário em 2003 por “Tiros em Columbine” não poderia ter acontecido sem rolar uma crítica ao presidente da época George W. Bush. A opinião da plateia sobre as palavras de Moore estava dividida, já que houveram vaias e aplausos ao mesmo tempo.


O DECAIR É DO HOMEM, MAS O LEVANTAR É DE J-LAW

Não podemos esquecer, é claro, do tombo icônico de Jennifer Lawrence ao ir buscar seu Oscar de Melhor Atriz por "O Lado Bom da Vida". A atriz de "Jogos Vorazes" quase foi socorrida por Hugh Jackman e Bradley Cooper, e logo em seguida brincou com toda a situação, dando a volta por cima, afinal, o Oscar era dela, e uma quedinha não chega nem perto disto. Vale a pena ressaltar, que dois anos depois, a moça tropeçou no tapete vermelho. Você pode conferir aqui.

MAIOR ESTILISTA QUE VOCÊ RESPEITA

Não é Coco Chanel, Yves Saint Laurent ou Christian Dior quem ocupa a posição de melhor estilista do mundo. A dona deste título, na verdade, é ela: pode entrar, Edna Mode! E em 2005 o Oscar teve a honra de recebê-la para anunciar o prêmio de Melhor Figurino, e é óbvio que a rainha não desceu do salto e manteve sua personalidade forte. Rainha, né mores?


O FIM DE UMA MALDIÇÃO

Por último, mas não menos importante, temos o assunto que certamente rendeu mais buzz na última edição do Oscar. Afinal de contas, Leonardo DiCaprio levaria ou não a tão sonhada estatueta dourada? A Academia já havia lhe mandado um "hoje não" quatro vezes (sendo em duas indicações para Melhor Ator Coadjuvante e duas para Melhor Ator), mas foi quando o ator perdeu para Matthew McCounaghey com o papel em "Clube de Compras Dallas" que o alvoroço começou a ficar mais forte. Afinal de contas, se nem a brilhante performance como o efusivo Jordan Belfort não havia lhe rendido a estatueta, o que ele teria que fazer para conseguir esse prêmio?

Talvez entrar na pele de Hugh Glass, um homem que foi atacado por um urso e deixado para morrer por seus próprios companheiros de caça fosse a solução. E foi justamente com seu papel em "O Regresso" que o tão desejado Oscar de Melhor Ator veio. No momento em que a categoria começou a ser apresentada por Julianne Moore, o clima era de decisão por pênaltis em uma final de Copa do Mundo – e é óbvio, todos foram à loucura quando Leo finalmente foi buscar o seu tão suado troféu. Muita gente com certeza foi dormir mais aliviada naquela noite!



***


E estes foram os nossos 10 momentos mais icônicos da premiação escolhidos por nós. É claro que faltaram alguns, como Anne Hathaway, Emily Blunt e Meryl Streep reprisando seus papéis de "O Diabo Veste Prada" no Oscar de 2007. Então usem os comentários e nos conte o que deixamos de fora. ♥