Taylor Swift, Kanye West... Não dá para defender ninguém

A internet está indo a loucura e o assunto da vez, você já sabe: Kim Kardashian revelou nesse domingo (17) o vídeo que comprova a versão de Kanye West sobre  a música “Famous”, sobre Taylor Swift ter aprovado a música antes que o disco fosse lançado, sabendo do trecho no qual o rapper diz que deveria transar com ela, pois a tornou famosa.



Em suas redes sociais, Swift publicou uma nota que já estava pronta em seu celular, no qual diz que o problema na canção foi ser chamada de “vadia” na frente de todo o mundo e que se esforçou pra ter uma relação amigável com Kanye West, afirmando ainda não ter aprovado a canção, já que sequer teve acesso ao áudio dela finalizada. No vídeo da Kim, entretanto, ela garante para Kanye: “siga em frente com os versos que achar melhor! E eu realmente fico feliz por você ter vindo me avisar sobre isso. É muito legal.”



No meio de toda a discussão, há muitos pontos que não podem ser perdidos: Kanye West foi machista e misógino, independente de Taylor ter permitido a canção ou não, entretanto, a cantora também possui um histórico racista e que fica claro quando usa o seu privilégio branco para momentos como esse, no qual desmentiu publicamente algo que havia aprovado inicialmente, pintando o rapper, que é negro, como o louco e agressivo, numa velha estereotipação que já acompanha a sua cor de pele, dentro de um episódio detalhadamente manipulado.

Isso não é uma defesa, pois não há quem defender. E isso precisa ficar muito claro.


Dá pra ficar de um lado da história? Sim, é uma escolha de cada um. Mas dá pra fazer isso sem precisar ofender Taylor Swift ou Kim Kardashian, chamando-as de “vadia”, “puta”, entre outras coisas, bem como dá pra entender a questão racial, sempre tão eclipsada quando se trata da cantora de “Blank Space” (quem se lembra daquele VMA com a Nicki Minaj?). Alimentar isso como uma disputa feminina, fazendo de toda a discussão uma batalha à la “Taylor X Kim”, não está em questão.

Toda essa discussão ainda vai longe. Mais um VMA está vindo aí e a MTV jamais perderia essa fatia do bolo. Mas, se isso te ajudar a compreender a complexidade do assunto, leve pra casa essa suposição: estariam todos tão divididos se, no lugar da Taylor Swift, essa discussão fosse do Kanye West com a Azealia Banks? A gente aposta que não.

Por fim, chega a ser cômico pensar que a opinião mais sensata sobre toda essa história veio da própria rapper de “The Big Big Beat”, que usou seu Facebook para deixar um recado para Kanye West: “Pessoas negras não querem saber da Taylor Swift. Tire mais fotos com a North, porque ela é adorável – e com Saint também. E tenha mais bebês fofos. Fim. Ah, e cadê o ‘Watch The Throne 2’??? POR FAVOR!”


Ria dos memes, respeite as minas e, por favor, não seja um babaca, essa história precisa ser vista com todos os seus recortes. Que venha “Watch The Throne II”!
Tecnologia do Blogger.