Stream: o CD de estreia da Willow Smith, “ARDIPITHECUS”, é um dos discos mais fodas de 2015

Se você ainda pensa em músicas como “Whip My Hair” e “Fireball” ao ouvir falar na Willow Smith, pode rever seus conceitos: a menina mudou completamente sua sonoridade e, há alguns anos, vem mostrando um pouco dessa evolução musical aos seus fãs, que agora já podem conferir mais dessa fase atual em seu álbum de estreia.

Quase cinco anos após sua ascensão, a filha de Will Smith revelou nessa sexta-feira (11) seu primeiro disco e com uma sonoridade bem próxima de músicas como seu último lançamento, “Why Don’t You Cry”, única das faixas lançadas anteriormente que integram esse primeiro registro.



Bem distante do título do descartado e até hoje aguardado disco de estreia inicial da cantora, “Knees &  Elbows”, esse novo trabalho de Willow Smith se chama “ARDIPITHECUS” e não soa nada com a música pop que lançou a moça em “Whip My Hair”, com uma sonoridade bastante eletrônica e experimental que, se fôssemos comparar com algo já lançado nesse ano, diríamos que chega bem perto do que a Miley Cyrus nos apresentou em seu último álbum, “Miley and Her Dead Petz”, só que de uma forma ainda mais consistente.

Mas antes que você pensa que a “ARDIPITHECUS” dela pode significar qualquer coisa, Willow explica o porque desse ser o nome do seu primeiro álbum:

“Ardipithecus Ramidus é o nome científico dado aos primeiros ossos do hominídeos encontrados na Terra", começou. "Eu queria que meu álbum se chamasse assim porque, enquanto eu estava fazendo essas músicas, eu estava em um estado bastante transitório. Cavando fundo no solo do meu coração e encontrando pedaços do meu antigo eu, que contam histórias quais terminaram sendo as letras dessas canções.”

Cantora que lança CD com conceito é outra coisa, né?

Sem qualquer aviso prévio, o disco de estreia de Willow Smith foi lançado, inicialmente, com exclusividade ao Tidal, mas agora já chegou às outras principais plataformas digitais, incluindo o Spotify. Até o momento, as nossas favoritas do registro, que é um dos melhores e mais originais álbuns do ano, são “Organization & Classification”, “Natives of the Windy Forest”, “Marceline”, “Star”, “Waves of Nature” e “Why Don’t You Cry”.

Ouça na íntegra o CD “ARDIPITHECUS”:



Caso o player acima fique indisponível:



O que você achou dessa nova fase da cantora? Ainda resta alguma curiosidade quanto ao que seria seu álbum antes dessa redescoberta artística?
Tecnologia do Blogger.