Single Review: Marina & The Diamonds atinge a imortalidade com seu novo e fabuloso single, 'Immortal'

"Eu quero ser imortal", começa Marina & The Diamonds em "Immortal", o terceiro single extraído do seu terceiro álbum, "Froot", com lançamento marcado para o comecinho de abril. "Immortal" é a terceira "Fruta do Mês", estratégia promocional que a galesa escolheu para seu álbum, lançando um single por mês até o lançamento do álbum (ou seja, ainda haverão mais três músicas). Representados por frutas, cada single traz um conceito diferente e riquíssimo: "Froot" (nossa Single Review) foi uva, "Happy" (nossa Single Review) limão e "Immortal" mirtilo.

Enquanto "Froot" é super dançante e "Happy" lenta e depressiva, "Immortal" encontra-se no meio termo. É uma balada, mas não tem um piano liderando a melodia, por exemplo. Um violão delicioso é quem dá o ritmo à canção, como uma seresta a ser cantada no pé de uma sacada. Começa quase que translúcida: os vocais de Marina são arrastados com um eco ao fundo, até que tudo vai crescendo, ganhando forma e se tornando algo espiritual.

A letra do single foi, assim como "Froot" e "Happy", inteiramente escrita com Marina. Diga você quantos artistas atualmente escrevem suas músicas sozinhos? E não estamos falado de qualquer música: "Immortal" tem mais de cinco minutos de duração e é escrita da forma mais divina possível. O single trata da finitude humana e como queremos ser imortais, seja literalmente ou deixando uma marca significativa no mundo. "Queremos ser lembrados, não queremos viver em vão, mas nada dura para sempre. Esse mundo está num jogo perdido", canta ela numa aceitação óbvia (e trágica) da vida.

Mas "Immortal" consegue chegar num nível ainda mais transcendental em seu refrão: "Estou sempre correndo atrás do tempo, mas todo mundo morre. Se eu pudesse comprar a eternidade por um preço, compraria duas vezes. Mas se a Terra acabar em chamas e os mares congelarem no tempo haverá somente um sobrevivente: a memória de que eu era sua e você era meu". Existe forma mais linda e delicada de confrontar o ciclo inevitável da vida? 

Marina revelou que teve a ideia da música enquanto estava na Polônia visitando um memorial de guerra. Ela conta: 
É uma discussão realmente universal como você deixa sua marca e como isso é importante para preservar memórias e pessoas. Eu comecei a escrever a canção quando fui a um memorial de guerra na Polônia. Algo que a pessoa que estava comigo disse me marcou. Ela disse: 'Não é um memorial muito bonito, mas merece ser visitado para preservar essas memórias vivas'. Foi assim que a letra começou.
"Immortal" foi lançada dia 1º/01 - não houve melhor forma de começarmos 2015. Seja como for, Marina & The Diamonds já é presença garantida nas nossas listas de fim de ano, principalmente por essa canção belíssima, que trata da vulnerabilidade do homem de forma emocionante. É só unir a primeira frase da canção com a última para vermos o tamanho dessa obra-prima: "Eu quero ser imortal, então me mantenha viva". E é engraçado ver como a cantora deseja ser imortal sendo que ela já é. Com músicas tão sensacionais assim, Marina será igual os diamantes. Eternos.
P.S.: No clipe de "Immortal" temos Marina cantando em meio a imagens de projeção que, ao que tudo indica, são filmes de sua família, imortalizados ali. É ou não é um conceito simples mas fabuloso?

Tecnologia do Blogger.