Saiu o clipe de "Cannonball", o single de estreia da Lea Michele, e ele é tão chato quanto a música

Já faz um tempo que a atriz e cantora Lea Michele, conhecida por interpretar Rachel Berry em "Glee", tem prometido aos seus fã...

Já faz um tempo que a atriz e cantora Lea Michele, conhecida por interpretar Rachel Berry em "Glee", tem prometido aos seus fãs o lançamento de um disco de estreia, então eis que o material sai neste ano, com o título "Louder" e o primeiro single "Cannonball". Numa composição da australiana Sia, a primeira música de Lea a ser lançada como single terminou um tanto superestimada, seja pelo fato de ser composta pela Sia ou pela inevitável associação ao falecimento do ator e ex-namorado da cantora, Cory Monteith, mas tá na hora da gente bater um papo sério sobre todo o lançamento.

Acontece que nesta quinta-feira (09) saiu o videoclipe para o single e, gente, vocês estão mesmo achando tudo isso? Pode parecer loucura, mas pensemos só, se deixarmos de lado toda a ideia que envolva o contexto do lançamento após a ida de Cory, numa estratégia de marketing cruelmente genial, diga-se de passagem, tudo o que temos é um refrão mediano onde ela diz que vai voar... como uma bola de canhão.

Tá certo que há pouco estávamos aplaudindo Miley Cyrus enquanto ela cantava sobre chegar como uma bola demolidora, mas temos certeza de que as condições em vir como uma bola demolidora é bem mais favorável que se mandar para qualquer lugar em um canhão. De qualquer forma, não termina aí, pois compreendemos que se tratando de uma canção, estamos lidando com uma metáfora e Lea Michele não vai sair por aí bancando a mulher-bomba (ao contrário da Miley, que para o clipe de "Wrecking Ball" montou, literalmente, numa bola demolidora), assim como Katy Perry não ruge de verdade para mostrar sua força e Lady Gaga não morre se ficar sem aplausos, mas o que dizer quando nem o clipe atinge nossas expectativas? 

Sejamos justos, ele é lindo, toda a parte visual tá bem impecável, além da ideia do clima melhorar ao decorrer da canção, partindo da triste escuridão para uma iluminada felicidade, mas só. E nem a parte em que deveríamos ser contagiados pela emoção dela, que é uma atriz, é transmitida durante seus exatos 4 minutos. Lea, nós te amamos (sério!), mas vamos esperar um pouco mais do que isso para o "Louder", não nos decepcione. :(