O hit do carnaval de 2017 foi a música de uma drag queen com um rapper negro e gay

Esse foi, sem dúvidas, um dos carnavais mais diversos de todos os tempos.

MC Kevinho bem tentou com a sua novinha terrorista, o outro, de “Deu Onda”, se afundou por polêmicas declarações homofóbicas e, ainda que Anitta tenha emprestado seus vocais para dois sucessos em potencial, não deu outra: a música do carnaval de 2017 foi a parceria de Pabllo Vittar e Rico Dalasam, “Todo Dia”.

A faixa, presente no disco de estreia da drag brasileira, foi produzida por Rodrigo Gorky, do Bonde do Rolê, e vem carregada pelo funk, com uma letra na qual a dupla enaltece não precisar do carnaval como desculpa para serem vadias. São todo dia.

No que foi um dos carnavais mais diversos do Brasil, com forte presença de blocos LGBTs e, ainda nos que não eram, respeito por todos os grupos, a música não poderia ter sido mais apropriada, tanto por sua mensagem de liberdade sexual, entregue de forma leve, numa narrativa descontraída, quanto por seus intérpretes: a cantora drag queen e o rapper negro e gay.



Entre suas aparições pelo carnaval, a música contou com apresentações em parceria de Rico Dalasam e Pabllo Vittar com a cantora Daniela Mercury, além da performance feita pela drag no bloco Pop do Cassete, do blog Papel Pop, que também contou com as participações de MC Linn da Quebrada e Gloria Groove.

Pela internet, “Todo Dia” já ultrapassa as 2 milhões de execuções no Spotify, estando presente entre as cinquenta músicas virais da plataforma no Brasil, fora suas mais de 4 milhões de exibições por seu videoclipe, lançado no final de janeiro no Youtube.

A melhor parte é que, além do sucesso nesse carnaval, a letra da música pode ser usada de forma atemporal, nos servindo de contagem regressiva até a festa do ano que vem. Até lá, teremos outras 300 e poucas oportunidades de sermos todo dia. Todo dia.