Editorial: Que a sorte esteja com você, “Esquadrão Suicida”

Estamos há exatamente três dias da estreia nacional de Esquadrão Suicida (a estreia nos EUA acontece um dia depois, na sexta). Com a proximidade do filme, o trem do hype só intensifica, a ansiedade aumenta e as expectativas continuam lá em cima. 


Esquadrão Suicida, pode representar além de tudo, o investimento final dos estúdios Warner no alavancamento do universo cinematográfico da DC. Com a bilheteria do final de semana de estreia estimada em US$ 125 milhões, as dúvidas são se o filme irá agradar aos críticos e bater a bilheteria de Batman vs Superman ou ao menos se aproximar dessas cifras. 

Se os números amargarem, isso pode significar não só o fracasso de um único filme, mas o prenuncio da desgraça de todo um universo compartilhado. 

Para entendermos o que significa esse peso todo que Esquadrão carrega nas costas, precisamos voltar à seu precursor, Batman vs Superman. O filme do embate entre o Homem de Aço e o Morcego de Gotham, se mostrou uma ideia tão poderosa, que chegou a modificar os planos da Marvel para o terceiro filme do Capitão América, que decidiu de ultima hora adaptar Guerra Civil e colocar Homem de Ferro e Capitão América em um combate frente à frente. Quando o filme estreou e as críticas saíram, vimos que, de poderoso mesmo, só a capacidade de Zack Snyder de zoar com a nossa cara, e claro, o treino monstro de crossfit que o Bruce Wayne é adepto.


Com um roteiro cheio de recortes, saídas fáceis, um excesso de clichês e quase nada de luta, Batman vs Superman acabou se tornando uma decepção para todos nós que esperávamos muito mas, muito mesmo, do filme. A média da critica no Rotten Tomatoes é abaixo dos 30% e a bilheteria não atingiu o esperado, rendendo nos Estados Unidos cerca US$ 340 milhões, fazendo com que o filme perdesse até mesmo para Deadpool. Atualmente, Batman vs Superman encontra-se na sexta posição de bilheterias de 2016.

Os números de Batman vs Superman, não mostram só um fiasco, mas também significam que, após a trilogia Batman do Cristopher Nolan, a Warner ainda não conseguiu emplacar um sucesso e estabelecer definitivamente seu universo cinematográfico da DC. 

Chegamos então à Esquadrão Suicida, o terceiro filme do universo compartilhado da DC. O filme que pode, definitivamente, estabelecer ou ajudar à desmoronar mais ainda a moral dos eternos concorrentes da Marvel. A aposta é alta para que dê tudo certo. Tanto nossa, quanto da Warner, que achou necessário enviar o filme para refilmagens, segundo teorias, com o fim de deixá-lo mais engraçado e menos sombrio. 



As divulgações de marketing também estão sensacionais. Clipes animados, e o visual excêntrico dos posteres divulgados fazem parte dessas ações. Abusando de boas cenas da Arlequina e do misterioso coringa de Jared Leto, não tem como não se animar ao ver os trailers. 

Hoje, cai o embargo dos críticos. Seguindo o que fez com Batman vs Superman, a Warner está liberando a publicação das criticas com poucos dias de antecedência da estreia. Se as opiniões forem negativas, o filme pelo menos já terá tido uma boa venda de bilheterias no primeiro final de semana. E, dependendo de como for, também já teremos uma noção de como será o resto desse universo. 

As filmagens de Mulher-Maravilha terminaram no último mês, e o filme da Liga da Justiça já tem estreia agendada pra 2017. Ambos os filmes, estão agora na corda bamba do sucesso de Esquadrão Suicida. Uma corda que pode ser usada para enforcar ou fortalecer os laços da DC no cinema.



A gente fica na torcida pra que o filme seja um verdadeiro sucesso. Esperamos a criação de um universo compartilhado tão extenso e aclamado quanto o da Marvel, pois nem só de Homem de Ferro viverão os nerds. Daqui algumas horinhas estaremos na pré-estreia do filme, em São Paulo, e na sequência contamos quais foram as nossas impressões.

Tecnologia do Blogger.