O que alguém que nunca foi num festival achou do Lollapalooza?


Tirando alguns shows menores, eu realmente nunca havia ido a um grande evento de música. Lady Gaga? Perdi. Katy Perry? Não consegui ir. Rock In Rio? Eu lá tenho cara de quem tem grana pra ir à outro estado? Porém, já que conseguimos ser um dos embaixadores do festival dessa vez, acabei indo no Lollapalooza neste ano e, nossa, foi bem diferente do que eu imaginava.

Interlagos é enorme, meu Deus. Tá, eu sei que todo mundo que já foi ao Lolla comentou sobre isso, mas preciso reiterar: lá é grande demais. E você não tem noção disso até realmente pisar na pista e pensar "isso não é o meu mundo". Ao mesmo tempo que a distância ajuda a isolar o som dos palcos, para não ouvirmos Cold War Kids no palco em que Of Monsters And Men está tocando ou vice-versa, é um dos grandes motivos para você não sentir mais seus pés no fim do dia.


E, por mais que eu me sentisse um piolho na cabeça da Selena, lá era muito bem organizado, viu? Tirando um perrengue ou outro, você não precisava andar muito para achar algo para beber, um infame banheiro químico ou algum lugar para gastar R$ 100 numa camiseta.

Por falar em preços, realmente achei que eu teria que vender meu rim para conseguir comer por lá, mas não era absurdo a esse ponto. Com a água a $ 4 mangos, que é o valor mínimo que algo pode custar, refrigerante a $ 8, cerveja a $ 12 e os pratos variando de $ 12 até $ 40, passei um dia todo com R$ 50 sem grandes problemas.


Mas, falando sobre as apresentações, fiz uma promessa para mim mesmo: nunca mais que eu fico na grade de um show. Nunquinha. Pode até ser bacana você ver seu artista favorito de pertinho, porém, não acho que a caixa de som estourando meus tímpanos e o empurra empurra da galera valha a pena. Sério, quase morri na grade do Die Antwoord, inclusive quase perdi meu tênis por lá.

Não que eu seja sedentário (mas eu realmente sou, dsclp!), é só que eu tenho a disposição de uma velhinha de 80 anos e, para o Lolla, você tem que ter um pique do inferno, afinal, são praticamente 12 horas seguidas de shows.

Algo bem bacana é que, num festival, você não precisa ir apenas se conhecer todo o lineup. O Lollapalooza acabou sendo uma ótima maneira de conhecer novas bandas, artistas e, de brinde, pessoas! É muito difícil sair de Interlagos sem nenhum novo amigo.


Só carrego um arrependimento: eu realmente deveria ter levado protetor solar. Muito protetor.

No final das contas, foi uma experiência maravilhosa, diferente de tudo que já passei. A parte boa é que pode ter acabado agora, mas ano que vem tem mais. E, se tudo der certo, nós do It estaremos por lá de novo!
Tecnologia do Blogger.