O maior duelo de 2013: há exatamente dois anos, o mundo se dividia entre rugidos e aplausos!


O mundo pop vive em um constante looping de altos e baixos e, normalmente, seus anos mais áureos são marcados por rivalidades. Tivemos Madonna X Janet, Britney X Christina, Pink X Christina, Gaga X Christina, Mariah X Christina Nicki e como em qualquer disputa, alguém sai perdendo. Entretanto, o que parece ainda não entrar na cabecinha das tribos é que vendas não representam nada além de VENDAS. 

Independente de disputas alimentadas pela mídia e pelas fã-bases, quando um artista lança algo novo, todo mundo sai ganhando. O verbo "vender" e o a palavra "hit" nunca se tornarão sinônimos para: "relevância", "qualidade", "importância", "arte" e, principalmente, "respeito". Podemos até trazer este paralelo para diversas questões sociais, mas deixemos isso para outro textão, porque hoje vamos discutir o 11 de setembro do pop, que aconteceu em 12 de agosto de 2013.

Duas artistas apareceram na nossa sociedade pop em 2008, reacendendo uma chama apagada desde os tempos áureos de Britney Spears e Christina Aguilera. Nos faltavam polêmicas, indecências, quebra de regras e sensualidade, por isso, nossas portas foram abertas para Lady Gaga e sua "Just Dance" e Katy Perry e sua "I Kissed a Girl". Sendo assim, fã-bases foram formadas e começou o mimimi de "Katy canta mal" e "Gaga quer imitar a Madonna". Bobinhos! As lindas tornaram-se mais competentes, colecionaram mais e mais hits e, atualmente, não poderiam ser mais respeitadas nesse mundo difícil da música.


Passadas duas eras completas para ambas as moças, em 2012, os rumores de seus terceiros álbuns começaram a surgir. Katy, recém saída da sua turnê de confetes e sonhos adolescentes, com um casamento mal-sucedido, afirmou que apostaria numa era mais "dark". Gaga, finalizando sua turnê do político e conceitual "Born This Way", iniciou boatos de uma era mais artística, mas muito divertida. Quando menos esperávamos, BAM! "Roar" vazou dia 10 de agosto de 2013, o mesmo dia que dois snippets de "Applause" caíram na net e fizeram Lady Gaga adiantar seu lançamento para o dia 12. A internet estava quebrada como torres gêmeas!


ITunes, Hot 100, crítica especializada, crítica em redes sociais, euforia, decepção para uns e revolução para outros. Vamos agora analisar em cinco aspectos os desempenhos dos dois singles e mostrar quem saiu vencedor dessa batalha:

Conceito

Roar: Após anos e anos de diversão e confetes, Perry tinha prometido uma era mais dark-sqn. "Roar" tem a fórmula mais pop e mais fun fun fun que poderia ter. Juntando isso a sua letra de empoderamento e rugidos, temos uma pop classic que nos manda ter o olho de tigre e conquistar nossos desejos. Apesar de nos deixar confusos por não ser nada gótica, seguimos animados, porque a música é boa e o hit era certo.

Applause: Ao contrário de Katy, Mother Monster tinha nos prometido mais diversão e SIM! Depois de uma era politizada, carregada de shades para nossa sociedade corrupta, homofóbica, racista, machista e misógina, Gaga relaxou um pouco e nos entregou seu single mais divertido desde "Poker Face". A-P-P-L-A-U-S-E iria grudar na nossa cabeça de qualquer jeito. Sua letra fala sobre viver para a arte e ser feliz recebendo aplausos, e não é só isso  que as gays pessoas querem?


Crítica

Roar: Como toda radio-friendly, "Roar" dividiu a crítica especializada. Enquanto uns elogiam sua simplicidade e seu refrão pegajoso, outros julgam por sempre quererem mais. Até uma polêmica de plágio do single "Brave" da Sara Bareilles tentaram fomentar, mas como uma boa artista sensata, Sara nem ligou, parabenizou a Katy e são migas até hoje. Nós aqui do It amamos "Roar", amamos Katy, já sofremos muito por "Legendary Lovers" e "Walking On Air" não terem sido singles, mas agora só queremos a próxima era.

Applause: Como tudo que é gourmet é mais respeitado, a crítica gostou mais de "Applause". A música é tão radio friendly quanto "Roar", mas Gaga e sua gana de fazer arte elevam isso a outro patamar, para quem é amante de mensagens mais complexas. Nós aqui do It amamos "Applause", amamos nossa Mother Monster, já sofremos muito com a falta do vídeo de "Do What You Want", o flop de "G.U.Y" e o descaso com "Venus", mas agora estamos curtindo um Jazz e esperando o LG5. 

Vídeos

Roar: Seguindo a proposta da música, o clipe de “Roar” é extremamente divertido, colorido e, novamente, mostrando que a fase de confetes não tinha passado para Katy. Aqui também tivemos opiniões diversas, mas, assim como a música, o sucesso já estava mais que consolidado. E além de atingir a marca de 1 bilhão de visualizações, é o quinto vídeo mais visto da história do YouTube, atrás de....”Dark Horse”. Errr...não se fala nada, só se sente!




Applause: Cheia de referências artísticas de outras épocas, como o “Coringa” de Heath Ledger e estilo da Liza Minelli, “Applause” chega belíssimo, com uma edição incrível e uma coreografia maravilhosa. Gaga sendo Gaga ao fazer vídeos fantásticos, até quando eles não são curtas. “Applause” também deu para Lady Gaga seu décimo Certificado Vevo. Aplausos são merecidos!



Charts

Roar: Polêmica! Polêmica! Polêmica! Todos ficaram em cólicas para saber quem subiria mais, quem seria #1 no Hot 100 e no mundo. Quem venderia mais e todo o blá blá blá. Indo aos fatos, 3 dias de vendas foram o suficiente para "Roar" entrar no Hot 100 em #85. Na sua segunda semana, foi direto para o #2, barrada pela misógina, porém famosa, "Blurred Lines", do Robin -gostoso- Thicke. Em sua quarta semana, o almejado #1 foi conquistado por duas semanas e Katy garantiu sua oitava música em primeiro lugar. Além disso, o resto do mundo também rugiu, com #1 no UK e na Austrália, por exemplo, e um total de vendas mundias de 10 milhões de singles. You go, girl!

Applause: Mais polêmica! "Just Dance" foi #1, "Born This Way" foi #1 e "Applause" foi #1 #4. Isso foi o suficiente para toda a sociedade Monster ficar revoltada e todo o resto do mundo chamá-la de flop. Mi-Mi-Mi. "Applause" vendeu exorbitantes 4 milhões de cópias e foi um excelente first single, principalmente se contarmos que carregou o disco nas costas, devido a polêmica de "Do What You Want" e tudo depois disso desandar. Flopada é a vida de quem fala mal de artistas multi-platinados, All T, All Shade!

Relevância

Roar: O impacto de "Roar" nos charts foi incrível e, apesar de não ser a música mais brilhante da carreira da Katy (E.T., Thinking Of You, Legendary lovers e outras mandam beijos), será um single sempre lembrado por abrir os trabalhos de um excelente disco. E vê-la entrando no Super Bowl com aquele leão faz com que "Roar" mereça ser single para sempre.

Applause: O "Artpop" é a brisa de ar(te) fresca que a gaga precisava. Foi extremamente mal trabalhado, em comparação ao outros discos dela? Sim! Mas "Applause" cumpriu todos os requisitos e ficará marcada na memória do pop. Infelizmente, enquanto precisarmos citar vendas para falarmos de importância, tanto o single quanto o disco serão sempre menosprezados. "Applause", você mora no <3 do It!

*****

A única conclusão que podemos tirar disso tudo é: Foi o mundo pop que ganhou essa batalha, pois dois singles incríveis foram lançados em um mesmo dia. Um não influencia na vida, nem nas vendas do outro. Katy e Gaga são lindas, ricas, absurdamente talentosas e ainda farão muito pelo mundo pop. Lutarão para defender os direitos de muita gente com suas letras ou nos darão mais e mais hinos para performar nas baladas. 10 milhões é muito, mas não esqueçam que 4 milhões também é! 

Se todos os fãs de música pop apoiassem as artistas, como a maioria delas se esforçam para entregar boas obras para nós, o mundo seria muito mais pop e muito mais divertido. Vamos nos transformar numa grande fã-base e comprar tudo de todas. Madonna, Janet, Kylie, Britney, Christina, J.Lo, Pink, Demi, Selena, Miley, Lady Gaga, Katy Perry e todas as outras: "Continuem trabalhando arduamente para deixar este mundo livre de preconceitos e de divisões. Espero que saibam o quão importante o trabalho de vocês é. O It Pop ama vocês!".
Tecnologia do Blogger.