Reprodução/Divulgação

Recap | X Factor UK: confira o que rolou na saudosista quinta semana, com o difícil tema 'Michael Jackson x Queen'

A última semana, pra lá de sugestiva, com o tema "Halloween", nos possibilitou o melhor live show da temporada até aqui, com ó...

A última semana, pra lá de sugestiva, com o tema "Halloween", nos possibilitou o melhor live show da temporada até aqui, com ótimos momentos em termos de apresentações. Porém, nos deixou a triste travessura de perdermos o muso desse blog, Jack Walton, numa eliminação esperada, porém prematura. No bottom, tivemos Lola e Stereo Kicks (injustiçados) cantando por suas vidas na competição, com a octoband levando a melhor, e possibilitando um cenário até então inimaginável para os fãs da franquia britânica: estarmos ainda no Top 9 e Cheryl ter apenas UM act na competição. HAHAHAHAHAHAHAHAHA que delícia.

Hoje, tivemos a quinta semana do programa ao vivo. Depois de terem anunciado o inédito tema "Boyband x Girlband", fizeram a Marina Silva e mudaram para "Disco Week" e, já não suficiente em ser Marina, fizeram uma simbiose com dona Cheryl-ex-Cole-agora-Fernandez-Versini-da-Silva-Sauro e MUDARAM, novamente, para o arriscado "Michael Jackson x Queen". E, hmmm, será que correspondeu às expectativas? Confiram na nossa recap:

Paul Akister - "Don't Stop Me Now" (Queen)
Abrindo a noite, tivemos Paul, que começou recapitulando as críticas que ele recebe e que parece não querer estar ali. Nisso, ainda teve uma conferência, via Skype, com ninguém menos que Adam Lambert, que lhe deu algumas dicas sobre a melhor forma de interpretar "Don't Stop Me Now". O começo foi muito bom. Do meio pro fim, não. Ele é bom vocalmente e tá até mais solto agora, mas não me anima.


Jay James - "The Show Must Go On" (Queen)
Na sequência, Jay e todo seu drama (não estamos falando das caras de sofrimento que ele faz quando canta), afinal, até a véspera da apresentação, ele estava sem voz e com medo de não ir bem. De fato, isso o prejudicou. Era visível o quanto incomodado ele estava, porque não podia forçar as notas mais altas de uma canção, convenhamos, ENORME pro moço.


Lauren Platt - "I'll Be There" (Michael Jackson)
Já tivemos de cara, um VT introdutório bizarro: levaram Lauren para um teste de popularidade na rua, ao lado de seus pais. Sabe o Meet & Greet da Avril? É a Lauren e seu carisma único de picolé de chuchu tirando fotos com fãs hahahahahaha. Sobre a performance: altos e baixos, mas, como sempre, todos babando por essa Carly Rose Sonenclar britânica e sem personalidade.


Only The Young - "Blame It On The Boogie" (Michael Jackson)
Ai, Only The Young, ajuda a te ajudar, amigos! A performance foi muito boa (uma das melhores da noite) e divertida, porém, eles já não são tão populares quanto achávamos, tem um bottom nas costas e perigando pegar outro nessa semana, e o que fazem? Escolhem uma música totalmente "who?" do repertório gigantesco (de hits) de MJ. Assim complica.


Ben Haenow - "Man In The Mirror" (Michael Jackson)
Adoramos Ben, porém, que escolha ruim, hein? Não pela música, pelamordeSharonOsbourne, mas ele não é "vendido" como rockstar? Então por que raios não dar algo do Queen ou "Billie Jean" na versão Chris Cornell/David Cook? Enfim, o começo arriscado acapella foi irregular, mas quando a banda entrou, ele se achou, apesar do final bem desnecessário e gritado. Ben, meu amigo, às vezes menos é mais, tá?


Stevi Ritchie - "Bohemian Rhapsody" (Queen) 
O que dizer quando o joke act da temporada canta a música mais icônica da banda e a que esse blogueiro mais venera na vida? Não sabia se avaliava de forma séria, ou se relevava por ser Stevi. Apesar de ter recriado a parte da icônica abertura do clipe e ainda se vestido de Freddie Mercury, foi uma bosta. Mas não quero que ele saia ainda, porque mesmo não estando no UK, adoraria vê-lo na turnê (o eliminado de amanhã ficará fora) no lugar de ao menos três ali.


Stereo Kicks - "You Are Not Alone" (Michael Jackson)
Depois de terem ido para o bottom injusto na semana passada, Louis trabalhou bem outra vez com eles nessa semana. Que coisa MARAVILHOSA foi essa performance. Aplaudimos de pé o profissionalismo deles, que nem com um louco invadindo o palco, os atrapalhou. Eles estão em ascensão na competição e não é por ser fã de boybands, mas eles têm sim potencial. Só precisam de tempo. Ahhh, uma última coisa: James Graham é o melhor vocalista da competição. Standing Ovation merecida!


Fleur East - "Will You Be There" (Michael Jackson) 
Ela precisava após vários uptempos e, finalmente, ganhou a chance de cantar sua primeira baladinha no programa. Arrancando elogios de toda bancada e, em especial de Simon, que disse que ela provou que não é apenas uma ótima performer, mas uma grande cantora hoje, Fleur só estampou na cara de todos, aquilo que é mais que evidente desde a Judges' House: sua star quality ofusca qualquer act dessa temporada, e é quem mais merece vencer.


Andrea Faustini - "Somebody To Love" (Queen) 
Encerrando a noite, tivemos, à convite de Mel, Andrea viajando até seu país de origem, a Itália, para visitar sua família e amigos, com direito a todo aquele sotaque maravilhoso que conhecíamos graças às "Terras Nostras" da vida. Sobre a performance, Andrea segue fofo, carismático e cantando muito. Mas comigo não rola, porque é mais do mesmo que um campeão de X Factor não pode ter.


Então, foi isso, pessoal! Amanhã teremos a oitava eliminação do programa e performances da nova sensação britânica, Sam Smith, e do maior produto exportado pelo programa até hoje, One Direction. E se tivéssemos que apostar no bottom, iríamos de Paul x um dos grupos. Porque, de verdade, achamos que não deixarão Stevi fora da tour. 

 Nos vemos amanhã!