Adele não foi convidada para cantar no Super Bowl, segundo a própria NFL

Tem que ser muito foda para recusar um convite para o Super Bowl e, claro, inteligente para saber quando uma proposta coincide ou não com o seu trabalho. E isso, por si só, já diz bastante sobre a Adele, que confirmou ter recusado se apresentar no evento da NFL, por esse não ser “sobre música”. Mas tem um porém: a hitmaker de “Water Under The Bridge” sequer foi convidada.

Em um comunicado publicado pela Billboard neste domingo (14), a NFL e a patrocinadora do Super Bowl, Pepsi, disseram: “Adele, a gente te ama, mas você não tinha nem que tá aqui, linda.”

Na verdade, eles disseram quase isso. Foram com essas palavras:

“A NFL e Pepsi são grandes fãs da Adele”, eles disseram. “Nós conversamos com vários artistas sobre o Halftime Show do Super Bowl. Entretanto, até o momento, nós não fizemos nenhum convite formal para Adele ou qualquer outra pessoa. Nós estamos focados em preparar um show fantástico para Houston e ansiosos para revelarmos isso numa boa hora.”

Adele, que terminou por antecipar a sua recusa ao evento, não se pronunciou desde o comunicado da empresa, mas, muito provavelmente, pode estar falando sobre alguma conversa com a sua gravadora ou representantes que tenham cogitado colocá-la no palco do show esportivo, que, definitivamente, não combina com o seu tipo de música e performance.



Neste ano, a atração do show de intervalo do Super Bowl foi a banda Coldplay, porém, pouquíssimos deixaram a programação se lembrando de Chris Martin e sua trupe, graças ao furacão Beyoncé, que escolheu o mesmo palco para estrear a sua “Formation”. Para esse ano, a nossa grande aposta – e escolhe mais inteligente, diga-se de passagem – é a Rihanna, que entregaria um show grandioso e animado, como o evento pede. 
Tecnologia do Blogger.