Kesha virá ao Brasil para apresentação única em janeiro do ano que vem, mas será que teremos música nova até lá?

As coisas não andam nada bem pra Kesha. Atualmente trabalhando em seu novo disco, sucessor do injustiçado “Warrior” e primeiro desde a aparente separação com o produtor dos seus maiores sucessos, Dr. Luke, a cantora de “Last Goodbye” não possui qualquer previsão de lançamento para o seu novo material, até então sem um selo de suporte, e neste meio tempo, ainda briga na justiça pelo fim do seu contrato de oito discos com a Kemosabe Records, que a descobriu e lançou seu primeiro CD, “Animal”.

Toda essa treta da Kesha com a Kemosabe é mais obscura do que parece. A gravadora do produtor Dr. Luke repete uma história semelhante ao da Jojo, que ficou presa à Blackground Records por anos, mas com um adendo: Kesha e Luke já não se dão bem há um tempo. Pra piorar, a história parece ir além de uma simples briga e, em seu processo contra o hitmaker, a cantora alega ter sido vítima de abuso sexual, o que leva todo o caso para outro nível de gravidade.

Sem ter o que perder, Dr. Luke nega todas as acusações até a última oportunidade e, seguro de si, ainda abriu um processo em resposta à cantora, pela permanência do contrato, que inicialmente parecia a oportunidade de sua vida, afinal, quem não gostaria de garantir oito discos lançados ao lado de um dos maiores produtores do mercado pop? Mas hoje tem se tornado seu maior pesadelo.


Pela primeira vez enfrentando um problema como esse publicamente, Dr. Luke possui em seu histórico produções com Katy Perry, Avril Lavigne, Britney Spears e vários outros nomes, mas essa última, sem muitas explicações, tem tido uma relação cada vez mais distante com o produtor, que em seu último CD participou de apenas uma canção. Com Kesha, Luke trabalhou em seus dois discos, “Animal” e “Warrior”, além de EPs como “Cannibal” e o acústico “Deconstructed”. Desde 2012, a californiana tem dividido estúdio com nomes como Sia, Calvin Harris e até o piradaço Wayne Coyne, da banda Flaming Lips, buscando por sua reinvenção musical.

Ainda que um novo disco pareça distante, Kesha deve revelar músicas novas o quanto antes e um indício disso foi um repentino show anunciado pela cantora no Brasil. Nesta semana, ela foi confirmada para uma apresentação única em São Paulo no dia 25 de janeiro, no Citibank Hall, a convite da Tickets For Fun, que neste ano também trouxe ao país Miley Cyrus, One Direction, Lorde e vários outros nomes.

O show, aparentemente, não pertence a turnê com o disco “Warrior”, mas deve contar com músicas do CD em sua setlist, além do seu álbum de estreia e, se as coisas saírem como esperamos, prévias do seu novo material. Essa é a segunda vinda dela ao Brasil, que em 2011 tocou em São Paulo e também foi uma das atrações do festival Rock in Rio.

Os ingressos começarão a ser vendidos a partir do dia 27 de novembro e a classificação do show é de 14 anos.
Tecnologia do Blogger.