A Lionsgate quer transformar "Power Rangers" em uma franquia de 7 filmes


Com o fim temporário da sua franquia mais lucrativa no cinema, "Jogos Vorazes", a Lionsgate precisa de uma substituta, e por que não usar um potencial sucesso para tal? "Power Rangers" pode dar muito errado ao querer ser sério demais ou por nadar no meio termo, mas também pode dar muito certo por estes mesmos motivos. Logo, "Power Rangers" é a bola da vez.

Não, gente, não estamos falando mais do que devíamos ou estamos sobre efeito de drogas. O CEO da própria empresa John Feltheimer, segundo o Variety, numa reunião com acionistas, teria dito: "Estamos muito, muito empolgados com este filme. Nós nos vemos fazendo cinco, seis ou sete [filmes]". Vai ter muita faísca, muita pose na frente de explosões coloridas e robôs por muito tempo.

Apesar da recepção mista que os visuais de Rita Repulsa e dos próprios Rangers têm recebido, o filme parece, de fato, promissor. 1) Ele quer ser sério, mas ainda com aquele fator nostalgia. 2) Usará elementos já conhecidos, mas de um novo jeito. 3) Tudo isso em meio à tecnologia atual. Tem como esse filme dar errado, gente? Talvez, mas preferimos ser bem otimistas até o lançamento do primeiro trailer.

Problemas com materiais não existem. Só na versão norte-americana, temos 23 temporadas. Material é o que não falta, gente. Então, só nos resta esperar pelo sucesso de "Power Rangers" e nos preparar para essa franquia gigantesca que a Lionsgate tanto quer.
Tecnologia do Blogger.