A indústria do k-pop é inflada com lançamentos semanais, por isso até mesmo quem acompanha assiduamente o gênero acaba perdendo uma coisa ou outra e, em alguns casos, um grande artista não consegue a devida atenção que merece. Nos últimos meses, um cantor passou a chamar minha atenção por fugir um pouco das fórmulas mais convencionais do gênero e revolvi trazer para cá: Demian.

Pouco tempo depois de sua estreia, o cantor deu uma pequena viralizada nas redes sociais, principalmente no Twitter, mas não demorou muito para que parassem de falar do moço. Por isso, eu peço: tire nove minutos do seu dia para conhecer o seu som. É o suficiente visto que o cantor tem apenas três músicas lançadas.

A estreia de Demian aconteceu em março, com "Cassette", canção escrita pelo cantor. A faixa tem uma batida bem envolvente, enquanto o seu videoclipe é todo simples, ao ponto de parecer um artista independente tentando vender o seu som.


Após "Cassette", veio "Karma". Para Demian, as faixas se completam. "Definitivamente há uma conexão entre 'Cassette' e 'Karma' porque ambas as canções descrevem momentos pós-termino. Enquanto 'Cassette' descreve um término de forma bem bonito, 'Karma' descreve aquele momento doloroso baseado na sensação de perder alguém. Eu tentei entregar emoções mistas a partir de duas situações diferentes", explicou em entrevista a The Kraze Magazine.


Demian não é contratado pelas grandes empresas que comandam a indústria do k-pop, tampouco assinou contrato com uma pequena empresa desconhecida. Demian responde pelo selo de uma filial sul-coreana da Sony Music, que não possui uma atuação tão grande no país, mas talvez o suficiente para que em um futuro não muito distante o cantor tente outros mercados, como os Estados Unidos, já que até em inglês ele já cantou.

O último lançamento cantor foi "Yes", divulgada na última quarta-feira (25), uma faixa quase inteiramente em inglês se não fossem alguns versos em seu idioma nativo. A canção foi liberada junto de um lyric video que parece muito mais uma videoclipe, mas isso só prova o cuidado artístico que o cantor possui junto de sua equipe.


Esses são apenas os primeiros passos do cantor que ama Frank Ocean, The Weeknd Harry Styles. Com tão pouco e com apenas 26 anos, Demian já conseguiu mostrar o seu potencial; e nós não vemos a hora do cantor ganhar o reconhecimento que merece. Alimente um Demian você também.
E aí, bora fritar? Dua Lipa fez a sexta-feira (28) dos amantes das pistas de dança ao lançar o “Club Future Nostalgia”, versão remixada e ousada de seu mais recente disco. 

Com produção de The Blessed Madonna e participações de Mark Ronson, Gwen Stefani, Neneh Cherry, Stevie Nicks, Jamiroquai e BLACKPINK, além de Missy Elliott e Madonna, creditadas no remix de “Levitating”, o “Club Future Nostalgia” é, de longe, a coisa mais diferente que Dua fez em sua carreira.

O álbum de remix funciona num estilo rádio mix, daqueles que tocavam à meia-noite nas rádios brasileiras de música pop: muita batida, muita experimentação e muita nostalgia também. Ou seja: esse realmente não é um projeto pra todo mundo.


Se você, como a pessoa que vos escreve, já curtia algo assim, contínuo, e é até apegada a esse estilo de mix, então esse álbum é pra você. Se não, fique tranquilo. O “Future Nostalgia” em sua versão original continua lá em todos os serviços de streamings e muito em breve deve ganhar um relançamento com novas músicas não tão remixada assim.

Aos que pretendem se aventurar, mesmo não sendo esse o tipo de projeto que mais curte, ou que querem ouvir uma coisa ou outra pra saber se vão tentar mesmo escutar tudo, recomendamos a inédita “Love Is Religion”, o remix com carinha de samba de “Boys Will Be Boys” e a nova versão de “Physical”, com produção de Mark Ronson e participação de Gwen Stefani. 

Tanto pra quem curtiu e pra quem não curtiu o “Club Future Nostalgia”, não podemos negar que é louvável ver Dua Lipa se comprometer tanto com o conceito de uma era em pleno 2020. Entre erros para alguns e acertos para outros, ela é, de fato, a salvação do pop.

SELEPINK IN YOU AREA! Depois de muita espera, a aguardada parceria entre BLACKPINK e Selena Gomez finalmente está entre nós. "Ice Cream" chega no finalzinho do verão norte-americano e sul-coreano, mas já tem cara de hit. Confira.



A parceria entre as cantoras vem sendo especulada desde o início do mês, quando o BLACKPINK anunciou uma parceria misteriosa por meio das redes sociais. No comecinho, muitos especularam que se tratava de Ariana Grande, mas não demorou muito para que o portal sul-coreano "My Daily" confirmasse que a canção seria em colaboração com Selena Gomez.

"Ice Cream" é a terceira grande parceria internacional do grupo. BLACKPINK já colaborou com a Dua Lipa para faixa "Kiss and Make Up", e recentemente com Lady Gaga para a faixa "Sour Candy", do disco "Chromatica". "Ice Cream" faz parte do disco "The Album", o primeiro álbum de estúdio do grupo previsto para outubro.
Anitta agora é trapper. O gênero, derivado do rap, cresce no Brasil há alguns anos e, principalmente pela internet, já catapultou inúmeros nomes ao cenário mainstream, tendo forte presença digital e, consequentemente, um público majoritariamente jovem, possui como alguns dos seus grandes nomes artistas como Recayd Mob, Sidoka e Raffa Moreira, além de agora, é claro, Anitta.

A cantora que começou sua carreira no funk e, pelos últimos anos, se dividiu entre o mercado pop e latino, já vinha se aproximando desse estilo musical pelas beiradas e, em seus dois últimos lançamentos, deixou mais do que clara a nova empreitada.

Quem assinou a estreia de Anitta no trap foi outro nome influente do meio: WC no Beat. Apontado como uma das referências na mistura do trap com o funk, WC lançou na semana passada seu novo disco, “GRIFF”, e conseguiu um dos feitos mais inesperados desse ano, que foi unir Anitta e Djonga na mesma canção.

Longe dos versos em espanhol e influências do reggaeton que ditaram o tom de suas últimas músicas, “Cena de Novela” traz a artista carioca mais do que enturmada dentro de sua nova proposta, com versos rimados que buscam fazer o encontro das suas novas inspirações no rap com a familiaridade do funk.



O flow de Anitta está aprovado?

Uma semana depois de “Cena de Novela”, foi a vez de mais uma parceria de Anitta no trap chegar ao público. Ao lado de Dfideliz, do Recayd Mob, BIN e seu parceiro de longa data, Papatinho, em “Tá com o Papato” Anitta vem ainda mais ousada, aqui sequer flertando com o funk pra facilitar a assimilação do público. “Chegou a patroa”, ela versa, em referência a treta com Ludmilla, que também rendeu a música “Cobra Venenosa”, enquanto segue falando sobre ela, Papatinho e manda até alguns versos em inglês, se autointitulando uma “diva worldwide”.

Anteriormente, Papatinho e Anitta haviam colaborado na música “Onda Diferente”, com Ludmilla, presente no disco “Kisses”.



Apesar da chegada de Anitta ao trap ainda ser uma novidade, a cantora nunca escondeu a sua influência no hip-hop, o que vai desde a sua admiração por Beyoncé a recente aproximação de artistas como Cardi B e Megan Thee Stallion pelas redes sociais, sem contar nos inúmeros feats com rappers em todas suas investidas no mercado internacional, como Tyga em “Desce pro play”, Swae Lee em “Poquito” e Snoop Dogg em “Onda Diferente”.

Será que essa nova fase da cantora pega?

Não foi só a bebê Daisy Dove Bloom que Katy Perry colocou no mundo esta semana. Seu novo disco, “Smile”, chegou nessa sexta-feira (28) com o objetivo de nos fazer sorrir e, em uma primeira ouvida, podemos dizer que a artista foi bem sucedida em sua missão.

Diferente do “Witness”, um trabalho mais experimental (ao menos para os padrões de Katy), o “Smile” é, de certa forma, uma volta às origens em termos de sonoridade para a cantora, tendo alguns elementos aqui e ali de “PRISM” e até “Teenage Dream”. Ainda assim, o “Smile” se destaca na discografia de Katy por mostrar seu amadurecimento: como pessoa, mulher, artista, filha, futura esposa e, agora, mãe. 

A artista reflete sobre os pontos baixos de sua vida que se sucederam após o desempenho moderado do “Witness” e o témino de namoro com seu atual noivo e pai de sua filha, Orlando Bloom. E é interessante notar que Katy poderia ter apostado em um álbum triste para contar essa história. Ao invés disso, ela fala de superação, força, amor e resiliência de forma leve, mas poderosa, nos convidando a dançar em meio às lágrimas. 



Entre os destaques do disco, pontuamos “Cry About It Later” e “Teary Eyes”, que juntas com “Never Really Over” formam a tríade perfeita para a abertura de um álbum como esse, “Champagne Problems”, que em seu início soa como um divertido brega funk, e a deliciosa “Tucked”, a cara do verão.

Pelas músicas do “Smile”, muitas sendo possíveis hits, fica claro que Katy não mais busca o sucesso dos charts - afinal, se assim fosse, ela teria escolhido outros singles e investido mais em rádios e playlists. Ela está em um outro momento da vida dela, um em que sucesso pra ela é chegar ao final do dia sorrindo e sabendo que nos fez sorrir também. Então, pode ficar tranquila, Katy. Você conseguiu.

A semana mal começou, mas nos já estamos pensando no fim dela, e não é por causa da chegada do final de semana (embora isso sempre seja algo ótimo). Nós estamos mesmo é esperando a chegada dessa sexta-feira, 28 de agosto, que será um dia LO-TA-DO de lançamentos.

Mas por quê? A gente explica: no final de agosto, exatamente no dia 31, acaba o período de elegibilidade para a próxima edição do Grammy. Assim, essa é a última sexta-feira de lançamentos para que os artistas liberem singles e álbuns passíveis de submissão, na esperança de conseguir uma indicação ao prêmio. 

Pensando em facilitar sua vida para aproveitar essa super sexta-feira, preparamos uma lista com todos os lançamentos anunciados para esse dia 28. Anota aí: 

Katy Perry - “Smile” 

Mamãe do ano, Katy lança nessa sexta seu quinto disco, o “Smile”. Por todos as faixas já lançadas do material e por tudo o que a artista tem dito sobre o projeto, que vai abordar sua depressão após a conturbada era “Witness” de forma leve e dançante, apostamos que este será o melhor álbum da cantora. 

BLACKPINK & Selena Gomez - “Ice Cream”

Com álbum de estreia marcado para outubro, as garotas do BLACKPINK estão apostando tudo nessa parceria com Selena Gomez, com co-composição da Ariana Grande e produção do Tommy Brown para se estabelecerem de vez no mercado norte-americano. A gente acha que vai dar certo, viu. 

Dua Lipa - “Club Future Nostalgia”

A gente sabe que o remix de “Levitating”, com produção da The Blessed Madonna e participações de Madonna e Missy Elliott dividiu opiniões, mas se tem alguém que nos provou ao longo desse ano que merece um voto de confiança, esse alguém é a Dua Lipa. E é claro que saber que teremos Mark Ronson e Gwen Stefani em um remix de “Physical” também nos ajuda a ter confiança na versão remix do “Future Nostalgia”. 

The Weeknd x Calvin Harris - Over Now

Maior nome do pop masculino atualmente, tudo que o The Weeknd toca vira outro. E não é pra menos: além do seu status como um dos principais artistas dessa geração, o cara também tem entregado muitos hinos, vide “Blinding Lights”, um dos singles do ano. Com o reforço do Calvin Harris, acreditamos que não tem como não vir algo ótimo por aí. 

JoJo - “Good To Know (deluxe)”

Bora ajudar a pagar a janta da JoJo, galera! A versão deluxe do “Good To Know”, alnçado originalmente em abril vem aí, e contará com participações de Demi Lovato no remix de “Lonely Hearts” e Tinashe na inédita “Love Reggae”. A qualidade tá garantida.  

Jaden Smith (feat. Justin Bieber) - “Falling For You”

Sobe aqui só quem é viúva de “Never Say Never”! Reizinho caridoso, Jaden Smith resolver relembrar os tempos em que o Justin Bieber ainda fazia música boa e convidou o menino yummy yummy para a faixa “Falling For You”, presente em seu novo disco “Cool Tape Volume 3”, também com o lançamento marcado para essa sexta. Se nós vamos dar stream? Preferimos não informar. 

BÔNUS

(RUMOR) Drake - “Certified Lover Boy”

Se só com a lista de lançamentos citados nesse post já é o suficiente para que os serviços de streaming reforcem seus servidores, imagina com esse rumor? Pois é, tem quem diga por aí que o novo disco do Drake chega para arrombar o Spotify nessa sexta e que o material terá parcerias com Bruno Mars e Ariana Grande. Se isso for verdade mesmo, tudo o que podemos fazer é desejar boa sorte aos artistas com lançamentos marcados para esse dia 28, porque eles vão precisar.