Com a atualização divulgada nesta segunda-feira (18), a Billboard confirmou que Ariana Grande conquistou seu terceiro nº 1 na principal parada de singles da revista, a Hot 100, com sua nova música, "Stuck With U"

O single, uma parceria com Justin Bieber, foi lançado de forma a ajudar na luta contra o coronavírus, tendo todos os seus lucros revertidos em doações para uma organização que ampara filhos de primeiros socorristas. 


Apesar de toda a boa ação envolvendo a canção, a atualização semanal do chart foi envolta de muita polêmica. O rapper 6ix9ine, que também competia pelo lugar mais alto da parada com seu novo single, "GOOBA", afirmou que Ariana estaria fraudando dados para pegar o #1 na Hot 100 e teria submetido uma quantidade irreal de singles comprados.  


Por outro lado, muitos andam dizendo por aí que 6ix9ine, que em 2015 se declarou culpado em acusação de utilizar uma criança em performance sexual e, recentemente, foi liberado da prisão após se declarar culpado por outras acusações, dessa vez de envolvimento com gangues do tráfico, estaria usando bots para inflar as visualizações de sua nova música no YouTube.

No final das contas, o rapper acabou sendo barrado não por uma, mas duas mulheres. O segundo lugar da Hot 100 ficou com Doja Cat e seu hit "Say So", enquanto ele teve que se contentar com a terceira posição. 

Ao final dessa semana, Lady Gaga e Ariana Grande lançarão sua tão esperada parceria em "Rain On Me". Já 6ix9ine pode vir a lançar um novo single também essa semana, justamente para competir com as duas cantoras. Vem aí mais um duelo cheio de polêmicas?
Harry Styles sabe que estamos todos confinados em casa e matou nossas saudades de uma aglomeração com o clipe de “Watermelon Sugar”, lançado nessa segunda-feira (18).

Gravado em janeiro, nas praias de Malibu, muito antes da quarentena, o vídeo explora toda a carga sexual contida na letra da canção, desde seu início, com a mensagem “esse clipe é dedicado ao ato de tocar” (entenda como quiser), às cenas na praia em que Harry desfruta de muitas melancias e da companhia de várias mulheres. 



Mas, lembre-se: por mais que esse clipe tenha nos dado vontade de correr para a praia mais próxima, temos que continuar isolados socialmente. Como disse Harry em seu Instagram, nada de tentar isso em casa, hein? 

“Watermelon Sugar” é a quarta música do disco “Fine Line” a ganhar um clipe, seguindo “Lights Up”, “Adore You” e “Falling”. Saber aproveitar um álbum é essencial! 
Como divulgar um álbum em meio a uma pandemia? Esse é o questionamento geral dos artistas que já lançaram ou pretendem lançar materiais esse ano. Porém, Katy Perry provou, ao performar neste domingo (18) na final do American Idol, que tudo é possível com um pouco de criatividade.

Quarentenada como nós e grávida de oito meses, Katy realizou a primeira apresentação televisionada de seu novo single, "Daisies", com a ajuda de muita tecnologia. Ela fez uso de técnicas de realidade aumentada e inteligência artificial que, segundo a própria, "nunca antes foram vistas na TV".

Ah, é importante notar que tudo foi gravado respeitando as regras de isolamento social. Ela ficou em um armazém, sozinha, com uma pequena equipe de produção localizada atrás de um vidro.

Como resultado, Katy entregou uma performance inovadora e instigante, que não só é a melhor de 2020 até aqui, como uma das mais memoráveis de sua carreira. 



Não sabemos vocês, mas vamos considerar esse aqui o videoclipe oficial da canção.
Se Beyoncé aposta em alguém, a gente sabe que temos que prestar atenção. É o caso da dupla Chloe x Halle, duas irmãs talentosíssimas que lançaram na última sexta-feira (15) seu potencial primeiro hit: a canção “Do It”.

Tendo 21 e 20 anos, respectivamente, Chloe e Halle Bailey sabem como equilibrar um som suave e, por vezes, mais maduro, com letras que conversem diretamente com a sua geração de uma forma bem natural e até confidencial.

Esse é o caso de “Do It”, que fala sobre autoconfiança e amor próprio com uma linguagem cheia de expressões bem atuais, usando de versos que a gente com certeza vai ver por aí em muitas legendas do Instagram.



Assim como na música, no clipe o duo mostrou que entende muito bem seu público e como se inserir na indústria atualmente. Visualmente impecável, o vídeo mostra o crescimento das irmãs como artistas e as traz no auge da beleza e com muita presença investindo em uma coreografia acessível, perfeita para os tempos de TikTok que estamos vivendo.


Elas estão prontas!

“Do It” estará no segundo álbum de estúdio de Chloe x Halle, “Undgodly Hours”, marcado para o dia 5 de junho.
A produção de um filme envolve muitos imprevistos e problemas que parecem ser impossíveis de resolver. Muitas vezes tais empecilhos sequer chegam ao público, mas às vezes acabamos tendo conhecimento de alguns, principalmente quando o filme é adiado mais de três vezes por motivos diversos. Né, "Novos Mutantes"?

Pensando nisso, a edição deste sábado do Bastidores reúne cinco filmes que tiveram grandes problemas de produção. Alguns, aliás, são perceptíveis até mesmo no produto final pelo público.

007 - Sem Tempo Para Morrer (2020)


Surpreende que o vigésimo quinto filme da franquia "007" irá realmente sair se levarmos em consideração que houve uma explosão no set filmagens e que Daniel Craig (James Bond) se feriu em um acidente. Deu tudo errado.

A explosão foi antes do acidente com Craig e comunicada oficialmente pelo filme por meio do Twitter, em meados de junho de 2019. Segundo a publicação, um funcionário da equipe ficou levemente ferido e o estúdio onde o longa-metragem estava sendo rodado foi danificado.

Já no mês anterior a explosão, Daniel Craig machucou seu tornozelo e ainda precisou passar por uma cirurgia (!!!). Não há informações de como o acidente se deu, mas as filmagens precisaram ser adiadas em duas semanas por conta do ocorrido. A informação também foi divulgada oficialmente pelo Twitter do filme.

Han Solo (2018)


A tragédia de "Han Solo - Uma História Star Wars" foi anunciada muito antes de sua estreia. Em meio a produção, a dupla de diretores Phil Lord e Chris Miller ("Uma Aventura Lego") foi trocada por Ron Howard ("O Código DaVinci"). O motivo: Kathleen Kennedy, presidente da Lucasfilm, não estava gostando da abordagem dada pela dupla.

Kennedy buscava algo ao estilo "Guardiões da Galáxia", segundo o The Wall Street Journal, por isso foi feita a troca. No fim, Howard acabou refilmando 70% de um filme que grande parte dos fãs da franquia "Star Wars" fingem não existir. De qualquer modo, a Lucasfilm já estava preparada para o tombo.

Apesar da troca de diretores, talvez o maior problema da produção tenha sido Alden Ehrenreich, o Han Solo dessa nova versão. Um ator envolvido na produção, que na época não se identificou, afirmou que Alden não era bom o suficiente. A declaração foi dada ao site Vulture no começo de 2018, mas ajudou a crescer um rumor de 2017 que afirmava que um professor de atuação teria sido contratado para ajudar Alden.

Liga da Justiça (2017)


A DC Comics ainda estava perdida em como dar início ao seu universo cinematográfico compartilhado e "Liga da Justiça", dirigido por Zack Snyder e Joss Whedon, era a oportunidade perfeita para mostrar ao público que sabia o que estava fazendo. Infelizmente deu tudo errado e só agregou a maré de hate que a quadrinista seguia sofrendo nos cinemas.

O problema é anterior a este longa-metragem, na verdade. "Batman VS Superman: A Origem da Justiça" não teve a melhor das recepções. Arrecadou bem, mas não o suficiente para agradar executivos, o que resultou em uma série de intervenções em produções como "Esquadrão Suicida" e no próprio "Liga da Justiça", um verdadeiro Frankenstein, como o site The Wrap classificou.

A vontade de tirar Zack Snyder, todavia, vem desde "O Homem de Aço", mas o diretor permaneceu até "Liga", saindo apenas após a morte de sua filha. Joss Whedon já havia sido contratado para reescrever algumas cenas, que tornariam o filme mais leve, e com a saída de Snyder assumiu a direção. O resultado foi aquele filme que bem... preferimos esquecer.

Mad Max: Estrada da Fúria (2015)


"Mad Max: Estrada da Fúria" foi um dos poucos resgates de franquias antigas que valeram a pena, mas a produção sofreu para sair. As gravações do filme estavam previstas para começar em 2010, porém só tiveram início no ano seguinte por conta de chuvas na Austrália, onde a produção seria rodada. Devido as chuvas, todo o cenário desértico apocalíptico desejado por George Miller se tornou um campo de flores silvestres e terra vermelha.

O longa-metragem passou a ser gravado no deserto de Namíbia, no sul da África. A gravação tinha tudo para correr certinho, mas Charlize Theron e Tom Hardy, na época, não se deram muito bem nos sets de filmagem. Somente nesta semana que ambos confirmaram as brigas em um artigo especial do The New York Times sobre o filme.

Theron acredita que faltou um pouco de empatia de sua parte, enquanto Hardy contou que a produção foi bem desgastante. "A pressão sobre nós era esmagadora às vezes. O que ela precisava era um parceiro melhor, talvez mais experiente que eu", desabafou o ator.

Novos Mutantes (2020)


Esse aqui a gente está cansado de falar, não é mesmo? Principalmente por conta dos diversos adiamentos. Entretanto, diferente dos anteriores, este aqui envolve muito mais rumores do que confirmações. A começar por uma suposta refilmagem de 75% da produção que aparentemente nunca aconteceu.

As novas filmagens buscavam trazer um novo vilão e a personagem X-23. O produtor Simon Kinberg, diretor de "X-Men: Fênix Negra", em maio de 2019, chegou a afirmar que as gravações iriam acontecer, mas não há qualquer outra notícia confirmando que o filme realmente sofreu novas filmagens, apenas que seria lançado em sua versão original, segundo Josh Boone, diretor do filme.

Voltando um pouco no tempo, lá em 2018, o filme correu o risco ainda de ser totalmente engavetado junto de "Fênix Negra". Segundo o Comic Book News, alguns acionistas da Disney queriam trabalhar com os mutantes já dentro do Universo Cinematográfico Marvel, começando do zero. Na época, o rumor apontava até mesmo para um possível cancelamento da produção.

XXX

Bastidores é uma coluna quinzenal que busca analisar e trazer curiosidades sobre o cinema enquanto arte e industria. Assinada pelo jornalista José Lucas Salvani, formado em jornalismo pela Universidade Federal de Mato Grosso e redator de cinema há quase sete anos. 
“All you need is love, tenho tanto pra te dar”, versa Jup do Bairro e seus parceiros de música, Linn da Quebrada e Rico Dalasam, nesta canção que abre oficialmente os trabalhos do seu álbum de estreia, o projeto audiovisual “Corpo sem juízo”.

Sob a produção de Badsista,  que neste ano também trabalhou com Linn no álbum de remixes do “Pajubá” e produziu a volta de Deize Tigrona em “Vagabundo”, “All You Need Is Love” leva esses três corpos para a antiguidade, enquanto mescla sintetizadores com a batida pulsante do funk, criando a mesma atmosfera dúbia de sua letra, ora romântica, sobre amor, ora putaria, afinal, os dois temas não só podem, como devem estar de mãos dadas.

No clipe, com direção do Rodrigo de Carvalho, a dificuldade de se produzir parcerias em meio ao isolamento é driblada com muita criatividade e tecnologia, apresentando-os através de hologramas no rosto de estátuas que mais parecem divindades no meio do deserto, ali sedentas por amor e para amar.

Da junção de três artistas tão plurais, “All You Need Is Love” consegue compartilhar o melhor de cada um deles e delas, e seu resultado não poderia ter sido mais caótico e grandioso.