Mostrando postagens com marcador saga crepusculo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador saga crepusculo. Mostrar todas as postagens
Era 21 de novembro de 2008 quando chegou aos cinemas o primeiro exemplar de uma das maiores franquias da história: "Crepúsculo". Sucesso absoluto de bilheteria, os cinco filmes arrecadaram mais de $3,3 bilhões de dólares, levando milhões de fãs à loucura, o que, em contrapartida, marcou o nome da saga como uma das mais odiadas que se tem notícia.

Foi assim desde o nascimento: ou você amava ou odiava "Crepúsculo". Eu nunca me enquadrei em algum desses extremos. Conseguia assistir aos filmes sem amar ou odiar, levando-os como entretenimento momentâneo com suas qualidades e defeitos - até porque tem coisa VERDADEIRAMENTE ruim na Sétima Arte, principalmente voltado para o mesmo nicho: adolescentes.

É fato que "Crepúsculo" está longe de um "Harry Potter" ou "Jogos Vorazes" - citando as maiores franquias como o mesmo público alvo que funcionaram -, mas, vamos lá, não precisa olhar torto para os vampirinhos que brilham no sol - obrigado, Stephenie Meyer, pela bagunça na biologia vampira - pois dá pra tirar algo de bom entre eles. É por isso que eu, nesse aniversário de 10 anos do lançamento do primeiro filme, cá estou para listas meu ranking com os cinco longas, do pior para o melhor - ou do pior para o menos pior, dependendo da sua filosofia de vida.


#5 Eclipse

Direção de David Slade.
O terceiro filme da franquia serve, basicamente, para nada - ele começa e termina no mesmo lugar. O longa é inteiramente sobre um aborrecido triângulo amoroso, com Bella enrolando tanto Jacob como Edward - mesmo estando noiva do vampiro. Para não ficar só no lenga-lenga, o plot gira em torno de Victoria, a vampira do primeiro filme, querendo vingança pela morte do amado - bom pontuar que a escalação de Bryce Dallas Howard aqui foi péssima. São duas horas intermináveis com a protagonista passando de mão em mão, clímax com uma batalha morna e, sinceramente, toda a mitologia dos lobisomens é desinteressante. Uma tortura.

#4 Crepúsculo

Direção de Catherine Hardwicke.
É bem provável que a Summit, produtora de "Crepúsculo", não imaginaria a dimensão do sucesso comercial que tinha em mãos lá em 2008, quando ainda era uma independente companhia. Então não é de se espantar que muita coisa na obra seja, digamos, "amadora". É clara a falta de requinte em diversos aspectos do filme, que abusa de um filtro pesado para dar uma atmosfera visual. A história carrega seu charme, com uma Síndrome de Estocolmo absoluta, porém, falta uma equipe melhor para sair do básico - o clímax, a construção dos vilões e, sim, Robert Pattinson, são fracos.

#3 Lua Nova

Direção de Chris Weitz.
Depois dos cofres lotados, o salto da produção entre "Crepúsculo" e "Lua Nova" é gritante. Os efeitos especiais não podiam permanecer no mesmo patamar já que os lobisomens entraram na história - com um CGI aceitável agora. Edward, percebendo o perigo que Bella corre ao estar rodeada de vampiros, coloca a segurança da amada acima do relacionamento e vai embora, deixando-a em profunda depressão - mas com Jacob e todos os seus músculos para consolá-la, claro. "Lua Nova" tem algumas escolhas visuais bastante inspiradas - a sequência da passagem dos meses e o momento em que Bella vê Edward na água são destaque -, que compensam as forçações. E o melhor: tem a introdução dos Volturi.

#2 Amanhecer: Parte 2

Direção de Bill Condon.
Depois da adaptação de "Harry Potter e as Relíquias da Morte", virou moda dividir o último livro em dois longas. O macete não voltou a ser tão bem usado como no mundo bruxo - a divisão do último "Jogos Vozares" piorou o saldo final -, todavia, em "Amanhecer" se mostrou justificável. O último exemplar finalmente transforma Bella em vampira, e promete o embate final dos Cullen contra os Volturi. A verdade é que o filme se transforma num "X-Men", com vários vampiros e seus superpoderes, de manipulação dos quatro elementos até ilusões visuais, e eu não estou reclamando. Contudo, nada se compara com a mudança brilhante no clímax: no livro, nada acontece, enquanto no filme há uma reviravolta que consegue chocar e empolgar. Entre acertos, o cinema vai sempre ser assombrado por aquele bebê de CGI.

#1 Amanhecer: Parte 1

Direção de Bill Condon.
E o melhor filme da franquia é, de longe, "Amanhecer: Parte 1". A película já começa sem rodeios e em 10 minutos Bella já está casando. Da lua de mel no Rio de Janeiro até a noite de núpcias dos pombinhos - quebrando a cama -, "Amanhecer 1" carrega o melhor plot da franquia: Bella fica grávida de Edward, e o bebê - ou seja lá o que for essa cria de uma humana com um vampiro - está matando-a de dentro pra fora. Pela primeira vez o roteiro faz com que tememos o desenrolar da situação, fincando arcos narrativos interessantes e colocando coadjuvantes que serviam de enfeite para o palco principal. Obrigado, Bill Condon, por trazer dignidade e compor um filme sólido.

***

Caso você queira maratonar - como eu tive que fazer para montar esta lista -, boa sorte.
Querendo ou não, a "Saga Crepúsculo" foi um grande fenômeno, e foi a partir dela, indiretamente, que estamos tendo "Jogos Vorazes" e cia. A franquia lucrou cerca de 3 bilhões de dólares, e vocês acharam que acabaria em "Amanhecer - Parte 2"? Desde 2012, a Lionsgate vem prometendo aos fãs novidades, e eis que o momento chegou!

A partir de 2015, serão lançados espécies de mini-filmes com personagens secundários, e todos eles serão divulgados através do Facebook! E antes que venham com pedras dizendo que a autora não esta a par do projeto, ela mesma que está ~chefiando~ tudo tá? "The Storytellers: New Creative Voices of the Twilight Saga", nome dado ao projeto, escolherá cinco diretoras estreantes para a direção dos curtas.

E mais! Stephenie Meyer, Kristen Stewart, Catherine Hardwicke (diretora de "Crepúsculo"), Kate Winslet ("Titanic"), Octavia Spencer ("Histórias Cruzadas") Jennifer Lee (roteirista de "Frozen"), Julie Bowen ("Lost") e Cathey Schulman (presidente da Woman Film) estão envolvidas no projeto, fazendo a escolha das diretoras. Who run the world?
A voz feminina é algo que tem se tornado cada vez mais importante para mim, e tenho dado muito valor para ela desde quando comecei a trabalhar na indústria do cinema” - Stephenie Mayer ao The New York Times.
Você deve estar se perguntando: "Todo esse alarde para mini-filmes?" . Caaalma, as novidades não param por aí! A ideia é realmente trazer longa-metragens para um futuro bem próximo, pelo menos é o que Michael Burns, diretor da Lionsgate, tem em mente.
Nós achamos que o Facebook é uma ótima maneira de introduzir o mundo de ‘Crepúsculo’ para toda uma nova audiência, enquanto reenergizamos os fãs existentes. Esses mini-filmes são apenas o começo… Você provavelmente pode adivinhar o que pode estar por vir"
O projeto ainda não tem uma previsão de quando será posto em ação, mas sabemos que será já no ano que vem, e isso com certeza é um alívio aos fãs sedentos por novidades!
Quando falamos da trilha sonora da "Saga Crepúsculo", lembramos de diversos nomes como Paramore, Muse, Linkin Park, Metric, mas quem diria que um dia Bruno Mars se uniria a esse grupo? 
O cantor foi recém-confirmado na trilha sonora de "Amanhecer - Parte 1" com a ainda inédita, "It Will Rain". A faixa deverá ser lançada dia 27 de setembro e na internet já está rolando uma suposta prévia da introdução de "It Will Rain", ouça:

Esse é o momento em que perguntamos "Hit or shit ?!", Bruno Mars e Crepúsculo... mistura curiosa.
Caíram na internet nesta quinta-feira (31) algumas imagens que poderiam fazer parte da cena de sexo entre Edward Cullen e Bella Swan em "Amanhecer", entre as imagens surgiu também uma que poderia ser Bella Swan em sua forma vampira. Veja as fotos:




 As fotos foram divulgadas por um blog fã da saga. A primeira parte do filme "Amanhecer" chegará as telonas dia 18 de novembro, ainda este ano.

Foi divulgada uma imagem de Renesmee, a filha de Edward e Bella em Amanhecer, quem vai viver o papel, e a pequena atriz Mackenzie Foy.

A pequena aparece em um campo florido, bastante parecido com aquele onde seus pais, interpretados por Robert Pattinson e Kristen Stewart, protagonizavam várias imagens românticas em Eclipse, o filme anterior da saga.

O encerramento da saga Crepúsculo está sendo dirigido por Bill Condon e será dividido em duas partes. O primeiro filme estreia no dia 18 de novembro deste ano e o segundo um ano depois, em 16 de novembro de 2012.

[via Perez Hilton]

Ontem (29) a Rede Globo exibiu o sucesso de bilheteria "Crepúsculo" que é o primeiro filme da saga adaptada dos livros de Stephenie Meyer. Os fãs da saga ~adoraram~ a exibição na Globo, e o mais elogiado foi a nova dublagem que deram ao filme que com certeza supera qualquer outra grande produção como a novela "A Usurpadora" e "Isa TKM". Aí você acorda e se depara com "Eduardo Cullen" entre os tópicos mais comentados do Twitter. Eu não sou Eduardo Cullen e esse é um "Vamos Entender" especial #CrepusculoNaGlobo !
Há algum tempo os fãs da Saga Crepúsculo fizeram uma petição online para levar o filme a programação da Rede Globo, mas parte dos fãs estavam divididos, já que uns preferiam que o filme fosse exibido pelo SBT. Não sabemos se a petição teve algum peso nisso, mas a Rede Globo conseguiu o filme e após a divulgação de que o filme seria exibido em tv aberta, os fãs aguardavam ansiosos pelo acontecimento que protagonizou diversos boatos, houve a notícia de que o filme seria a primeira "Tela Quente" deste ano, e frequentemente a notícia ganhava novas versões, até que finalmente a Globo fez a chamada para "Crepúsculo", que seria uma de suas atrações de fim-de-ano. Nesta chamada muitos já haviam notado uma mudança de voz em Edward, mas por um momento pensei que eles teriam pegado uma chamada em inglês e teriam traduzido-a por conta própria, mas o caso foi pior do que imaginamos.
A Globo, numa parceria com o estúdio de dublagem Marshmallow, fez uma redublagem fail e nós, como fãs, não deixamos barato e xingamos muito no Twitter. Mas não satisfeitos em substituir as vozes do filme, eles ainda mudaram nomes da saga e parte das falas e foi aí que Edward Cullen virou Eduardo, a Bella ganhou a voz de "Mia Colucci", e "my monkey-man" virou "meu gorilinha gostoso" !  Isso foi mais que o suficiente para a Globo se tornar um motivo de piada na internet. Muitos consideraram o ato como um desrespeito aos fãs que queriam ver o filme na telinha, mas ver da maneira original já que já existia uma versão dublada em português e bem fiel a saga original.
Com toda essa "confusão", os termos "#crepusculo" e "Eduardo Cullen" chegaram aos tópicos mais comentados do Twitter no mundo, fazendo com que os gringos se perguntassem "what the fuck is Eduardo Cullen?!", e aos tópicos mais comentados do Brasil teve também "Élice", "Rosali","Jacó", "Tecla SAP", "MACAQUINHA", "GORILINHA GOSTOSO", "Colucci" e outras tags que mostraram um pouco da insatisfação do público. 

Mas , mesmo com a total desaprovação do público, todos criticaram, mas assistiram até o fim, e a Globo teve recorde de audiência, ultrapassando os 31 pontos - pra quem não entende, isso é audiência para final de BBB. Só esperamos que a Globo tire alguma lição disso tudo, já que provavelmente o resto da saga será transmitido pela mesma emissora.


Eduardo Cullen ?! Pobreza pega. Que nojo, gente !