Mostrando postagens com marcador milla jovovich. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador milla jovovich. Mostrar todas as postagens
A franquia "Resident Evil" nunca se preocupou em trazer uma produção que fosse fiel à série de jogos começada em 1996. A proposta de Paul W. S. Anderson se mostrou ousada logo no primeiro filme, trazendo uma protogonista que sequer existe na franquia de games, interpretada pela talentosa Milla Jovovich. Alice carregou durante cinco filmes um mistério envolvente quanto a sua origem, e agora, neste sexto, tem um desfecho surpreendente satisfatório.

Começamos o longa em uma Washington pós-guerra, com Alice sendo a única sobrevivente e, logo após ter sido ataca por um zumbizão da porra, é convocada pela Rainha Vermelha para salvar toda a humanidade através de um anti-vírus criado pela Umbrella. Alice tem 48 horas para voltar a Raccon City — finalmente! — e liberar o anti-vírus que se dissipa pelo ar. O roteiro que se preocupa em trazer algum diálogo morre aqui.


Após os dez primeiros minutos do primeiro ato em diante, o filme simplesmente não para. O ritmo frenético domina todos os atos, com poucos momentos que trazem um alívio ao espectador, um momento para respirar em meio de todo o caos é raríssimo. É através deste ritmo que entendemos — de novo — a proposta de Anderson que foi aplicada a partir do quarto filme: um filme de ação que não para. Terror? Só jump scare barato.

Exigir um roteiro complexo para a produção chega a ser risonho. A franquia nunca se propôs para tal e sempre funcionou dentro do que Paul W. S. Anderson quis trazer para as telonas. É um pipocão muito bem resolvido, obrigado, e não vemos sentido em cobrar um roteiro minuciosamente trabalhado quando temos uma direção fantástica, apoiada numa computação gráfica de dar inveja e sequências grandiosas. Anderson mostra mais uma vez que sabe dirigir um filme de ação.

Dentro daquilo que a franquia se propôs ao longo dos filmes, "Resident Evil 6" consegue trazer um desfecho improvável. Como reforçado no início do texto, roteiro é algo que Paul não se preocupou, refinando o melhor dos últimos dois filmes: a ação. São sequências grandiosas que preenchem toda a produção, que trazem uma das coisas mais divertidas em 2016 até o momento.



Sobrevivemos a mais um dia de feira, gente! Com uma programação do Auditório Cinemark pra lá de convidativa, resolvemos dedicar todo o nosso segundo dia aos painéis que aconteceriam por lá, e rolaram surpresas bem boas, viu? Teve desde Milla Jovovich e seu marido divulgando trecho de "Resident Evil 6" a Marcelo Adnet comandando um dos painéis mais divertidos de toda feira até agora, e é claro que houve conteúdo exclusivo.

O 1º dia da CCXP 2016 foi INSANO e Natalie Dormer é a maior feminista que a gente respeita

Começando pela Sony, tivemos Milla ao lado de Paul W. S. Anderson falando um pouco sobre toda a franquia "Resident Evil" e quais eram os planos para o último filme. Segundo eles, toda a ideia é voltar para onde começamos, isso envolve até mesmo a atmosfera do primeiro longa-metragem, e a ideia é tornar a produção mais contida, porém tão grandiosa quanto os anteriores. Eita!

Conversando um pouquinho com a Milla sobre Alice, a atriz contou que a personagem é uma de suas favoritas e que sabe de toda a importância dela para o cinema, falando um pouco também de sua representatividade: "Sinto uma conexão com a personagem, fico feliz em interpretar uma mulher forte, que não depende da aparência, e orgulhosa por falar por todas elas". Quando questionados sobre a personagem no último filme, os dois revelaram que iremos descobrir seu verdadeiro passado.

Ao fim da primeira parte com "Resident Evil 6", Érico Borgo, mediador e quem comandava o painel, começou a falar das próximas produções do estúdio, mostrando também conteúdo inédito. Com um "olá" de Chris Pratt para os fãs, vimos coisinhas de "Passageiros"; rolou "T2 Trainspotting" and "Smurfs 3"; e teve também o elenco de "Jumanji" respondendo em vídeo algumas perguntas dos fãs. O melhor ficou para o final com o teaser de "Homem-Aranha: De Volta ao Lar"; você pode conferir a descrição aqui.

O Marcelo Adnet veio logo em seguida do painel da Sony, comandando o "(Re)Globo", anunciando algumas séries para 2017 e tá tudo bem promissor. Os dois projetos que mais nos chamaram atenção foram "Zózimo" e "Filhos da Pátria". O primeiro é quase um noir no Rio de Janeiro sobre um detetive que só pega casos extra-conjugais; enquanto o segundo é uma comédia que se passa pós-independência, com direito a "FORA [DOM] PEDRO" e uma crítica maravilhosa quanto ao impeachment mascarada de piada. Ah!, também tivemos vários globais por lá, como Tony Ramos, Bruno Mazzeo e Mônica Iozzi.

Após o painel de "3%", que foi invadido pelo elenco da série, rolou o painel da Fox. E CARAMBA, soltaram tanta coisa legal. Vimos uma sequência de fuga de "Assassin's Creed", clipes de "O Poderoso Chefinho" e uma CENA de "Logan"! A cena em questão é bem simples, porém com ela tivemos a certeza de que o Xavier não é "algo" da mente do Logan, algo cogitado com o primeiro trailer.

Por enquanto, ainda não podemos mostrar isso pra vocês, mas o que não faltam são novidades sobre a CCXP 2016 no nosso Instagram, Twitter e Snapchat (portalitpop). Acompanhe nossa cobertura por lá!

Diferente da San Diego Comic Con, aqui no Brasil, com a CCXP, ficamos sabendo de quase todos os convidados e atrações antes mesmo de botar os pés no evento. Talvez buscando abranger um público maior devido às novidades previamente anunciadas, ficamos sabendo de muita coisa antes da hora. E tá dando certo porque nós não vemos a hora de botar os pés na São Paulo Expo para ver a lindíssima da Milla Jovovich, a proprietária de "O Quinto Elemento" e face de "Resident Evil" nos cinemas.

Eu sei que é difícil acreditar, então vamos repetir.
Sim, gente! Milla Jovovich estará na CCXP 2016!

A moça vem ao Brasil junto do diretor Paul W.S. Anderson para o painel da Sony, no dia 2 de dezembro. A vinda dos dois está relacionada à promoção de "Resident Evil 6", que estreia em janeiro de 2017 e até lá os dois devem rodar o mundo todo para a sua divulgação. Vale lembrar que o sexto longa será o último da franquia nos cinemas para a alegria de alguns fãs que não aceitam o fato de que a produção nunca teve o intuito de ser fiel aos jogos.



Ambos não são os únicos grandes nomes com presença marcada na CCXP. A proprietária de "Game Of Thrones", Natalie Dormer estará lá, lindíssima no painel da série; podem contar com Evanna Lynch, a Luna de "Harry Potter", no painel na Warner; e James mozão Gunn deve trazer algum material de "Guardiões da Galáxia 2". QUE CCXPZONA DA PORRA!
O mundo do cinema sem as mulheres não seria o mesmo. E como hoje é o Dia Internacional da Mulher nada melhor do que uma lista bem especial não? Poderíamos ser bem saudosistas e fazer uma lista com personagens dos anos 80 e 90, mas não, preferimos fazer uma lista com as personagens que marcam a geração atual. De Hermione à Miranda Priestly!

1) Hermione Granger - Franquia "Harry Potter"
Sem ela Harry e Roni não teriam passado de "A Pedra Filosofal". Sério gente. Tudo que precisava de algum raciocino mais lógico ou precisasse de alguém com uma habilidade maior, Hermione entrava em ação. Precisavam da Poção Polissuco? Lá estava ela. Uma vez ou outra ela não nos dava o ar da graça e aparecia com uma solução para determinado problema e os meninos tinham que se virar. E só avisando: "It's Wingardium LeviOsa, not LevioSA!".

2) Beatrix Kiddo - "Kill Bill"
Falar de personagens femininas marcantes no mundo do cinema e não citar Beatrix Kiddo, Mamba Negra, de "Kill Bill" chega a ser rude de nossa parte. Além de marcante, essa é a personagem mais badass já criada. Foi enterrada viva, lutou com zilhões de japoneses engravatados que surgiam de todos os lugares possíveis, retirou parte do crânio O-Ren Ishii (Boca de Algodão) com sua Hattori Hanzō, arrancou o olho da Cobra Californiana, matou um enfermeiro após sair do coma, sem falar que matou Bill. Pronto, caso você não tenha visto o filme ainda, nem precisa ver mais.

3) Alice - Franquia "Resident Evil"
Alice de "Resident Evil", uma das franquias mais controversas de hoje em dia. Depois de Mamba Negra, Alice é a mais badass dessa lista e além do mais é interpretada pela Milla Jovovich, que também fez a Leeloo, que quase entrou na nossa lista. Alice tem as melhores sequências de luta que já vimos. A introdução de "Resident Evil 4" é a melhor de todas. Sei que não é o foco do post, mas aceitem que essa franquia não é de terror. Obrigado, de nada.

4) Katniss Everdeen - Franquia "Jogos Vorazes"
Voltando para as sagas, temos ela que desafiou toda a Capital e ainda não sabe se fica com Peeta ou Gale. Nos cinemas tá gente? Sem spoilers, apesar de todos saberem que ela casa com o Finnick. Enfim, Katniss era apenas mais uma que vivia repreendida pela Capital, porém após seu ato final na 74ª Edição dos Jogos Vorazes, tornou-se o grande simbolo de uma revolução. E além de marcar a nossa geração, Katniss está marcando também essa nova geração que se alimenta de "Divergente" e "A Culpa é das Estrelas".

5) Miranda Priestly - "O Diabo Veste Prada"
Finalizando nossa lista, uma personagem que além de render gifs maravilhosos nessa linda internet, rendeu um dos melhores papeis para a talentosa Meryl Streep. Miranda Priestly muitas vezes recheou sua Sessão da Tarde com "O Diabo Veste Prada". Atire a primeira pedra quem não a conheceu lá! Miranda, editora da revista Runway, é um dos personagens mais icônicos para a geração atual. Estamos esperando a confirmação do longa "A Vingança Veste Prada", e Meryl arrasando novamente como Miranda.

Essas são algumas das personagens que marcam a nossa geração. Caso a redação do It não fosse assistir "Mean Girls" agora, nossa lista seria enorme e os personagens de Nicole Kidman e Angelina Jolie teriam que ganhar uma lista para cada uma delas por que sim.

Isso mesmo, vocês não leram errado. A multi-talentosa Milla Jovovich, a eterna Alice da saga "Resident Evil", está de música nova! Mas como assim, "nova"? Se já não bastasse ser atriz, modelo e designer, a moça também é cantora, tá?
Pra quem não sabe, Milla lançou aos 19 anos o conceitual álbum "The Divine Comedy", que tinha uma sonoridade que lembrava b-sides, algo beeeem fraquinho.
capa do álbum "The Divine Comedy", de Milla Jovovich
Mas agora, parece que Milla vai tentar ampliar ainda mais seu leque de versatilidades, e tá apostando na dance music comercial em "Electric Sky", sua nova música. Dá uma escutada e diga-me o que achou:


E não é que a faixa é boa, Brasil? Acho que dá pra pirar se tocar nas buatchy.