Mostrando postagens com marcador música. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador música. Mostrar todas as postagens

Falta menos de um mês para o lançamento do novo disco das meninas do Little Mix, o “Confetti”, e como prévia do que poderemos encontrar no material, elas lançaram a faixa “Not A Pop Song” nessa quinta-feira (08).


A canção é uma indireta mais do que direta para Simon Cowell, responsável pelo The X Factor, reality show no qual o Little Mix foi formado, e dono da antiga gravadora delas, a Syco.


Em “Not A Pop Song”, Jade, Jesy, Perrie e Leigh-Anne falam sobre não fazer o que o Simon manda, sobre um tempo em que se sentiam marionetes no meio da indústria e sobre serem consideras um guilty pleasure para alguns.



A gente ama ver nossas misturinhas mandando a real, viu? 


O “Confetti”, primeiro disco da girlband em sua nova gravadora, a RCA, chega no dia 06 de novembro e contará ainda com os singles “Break Up Song” e “Holiday”.


Tá todo mundo doente de amor, gente! E o motivo não poderia ser outro: as meninas do Blackpink finalmente revelaram seu disco de estreia, “The Album”, e o lead-single “Lovesick Girls”, que sucede “How You Like That” e a parceria com Selena Gomez em “Ice Cream”, dando o passo principal para a divulgação do seu novo trabalho nos moldes da indústria coreana.


Esperado desde 2016, quando o grupo estreou com o EP “Square One” e o hit “Boombayah”, “The Album” conta com oito músicas ao longo dos seu vinte e quatro minutos, e traz, além de Selena Gomez, outros nomes bem conhecidos pelo pop ocidental, incluindo a rapper Cardi B, presente na faixa “Bet You Wanna”,  e o francês David Guetta, que co-assina a composição do single principal.


Notório esforço para consagrá-las no mercado americano, “The Album” chega também após sua colaboração com Lady Gaga em “Sour Cream”, do álbum “Chromatica”, e não deve tardar a colher seus primeiros frutos no meio digital, dado o histórico de recordes e números exorbitantes das meninas, que já se tornou tradição quando falamos em lançamentos do k-pop em escala global.


Como dirão seus fãs, os chamados Blinks, pelos próximos meses, STREAM BLACKPINK:



Fundador da gravadora ‘PC Music’, o produtor, cantor e compositor AG Cook têm sido super produtivo nessa quarentena e, passado o lançamento dos seus discos “7G” e “Apple”, além de suas produções para Charli XCX (“how i’m feeling now”) e Christine and The Queens (“La Vita Nuova”), o músico dividiu estúdio com a sueca Robyn para a sua parceria com o Jónsi, do Sigur Rós, “Salt Licorice”.

Revelada nos streamings nessa semana, a música faz parte do disco solo de Jónsi, todo assinado por Cook, “Shiver”, e afasta a dona de “Honey” do house que vinha explorando em suas últimas colaborações para flertar com seu pop explosivo e experimental, que muito bebe de fontes que ela mesma transbordou em álbuns anteriores.

Com clipe produzido durante o isolamento, dirigido pelo próprio Jónsi, “Salt Licorice” tem tudo para garantir o seu lugar entre algumas das melhores faixas desse ano.



Pode ser que Romy Madley Croft não seja um nome muito familiar pra você, mas o grupo que ela integra, The xx, e as músicas que ela já compôs, como o hit “Electricity”, do duo Silk City com a Dua Lipa, certamente são.


Agora, vale incluir mais uma referência pra lista: seu single de estreia em carreira solo, “Lifetime”, eleito por essa matéria nesse exato momento como a única música que você precisa ouvir nessa semana.


Cantora, compositora e multi-instrumentista, Romy chegou a falar sobre sua estreia com material próprio no começo desse ano, mas demorou até que, enfim, pudéssemos ouvir alguma amostra desse trabalho. “Lifetime”, felizmente, faz a espera valer a pena, nos embalando através de um dance repleto de camadas eletrônicas, que conversam bem com o último trabalho do The xx, em tempo que também a permite explorar seus vocais nos versos que vão de encontro com essa vontade de nos reunir com os que amamos “quando tudo isso acabar”.


Não só uma ótima pedida, como a única pedida possível.

E vamos de mais um remix de “Levitating”. O atual single de Dua Lipa ganhou nesta quinta-feira (01) uma nova versão com o rapper DaBaby.


Deixando claro que seu objetivo é levitar diretamente para topo dos charts e conquistar mais um hit nos Estados Unidos, depois de “Don’t Start Now” e “Break My Heart”, Dua fez o certo em recrutar o dono de um dos maiores hits do ano por lá, a faixa “ROCKSTAR”


Mas não só por isso DaBaby está aqui: o cara tem feito algumas das melhores rimas em parcerias de música pop nos últimos tempos, como em “My Oh My” da Camila Cabello e “Enemies” do Post Malone, e aqui em “Levitating” não é diferente.


Ah, e podem ficar tranquilos: diferente do remix com Madonna e Missy Elliott e produção da The Blessed Madonna, essa nova versão de “Levitating” continua com um instrumental igualzinho ao original.



Quem gostou, gostou. Quem não gostou, a original tá lá no Spotify pra tacar stream à vontade!


O novo remix de “Levitating” ganhará um clipe nessa sexta-feira (02) com produção da plataforma TikTok (olha o hit vindo aí!) e uma vibe toda intergaláctica, pra combinar com a canção. Confira um teaser:


Elas estão vindo! Parece que a parceria entre Miley Cyrus e Dua Lipa não só vai sair, como deve ganhar um clipe. Isso porque elas foram clicadas juntas nessa quarta-feira (30) em um set de filmagens na cidade de Nova York.

Nas imagens, Miley aparece toda produzida com seu cabelo mullet enquanto Dua se encontra na frente de um trailer, usando um roupão. Ok, nada muito revelador, mas só de saber que está acontecendo já ficamos satisfeitos!



A promessa de parceria entre as amigas já é antiga: elas chegaram a gravar juntas a faixa “L.A. Love”, que acabou descartada, mas voltaram ao estúdio em busca da canção perfeita para combinar o estilo das duas. Mas parece que agora realmente vem aí e a colaboração deve estar no novo disco de Miley, a lenda urbana “She Is Miley Cyrus”.


Falando em música nova (ou nem tão nova) de Miley, a artista lançou nesta terça-feira (29) seu cover de “Heart Of Glass” em todas as plataformas de streaming. A canção da banda Blondie foi performada pela norte-americana no último iHeart Festival e acabou viralizando na redes sociais.


      

Tomara que a vibe dessa parceria entre Miley e Dua seja uma mistura de rock e disco, né? 

Demi Lovato
começou essa quarta-feira (30) com música nova. A cantora liberou de surpresa, em seu Twitter (é isso mesmo!), a inédita "Still Have Me", uma resposta direta ao término de noivado com Max Ehrich. 

A canção, mais uma balada poderosa de Demi, traz a artista falando sobre como ainda se sente "uma bagunça e quebrada" e que parece que alguém "roubou toda a luz" que ela já teve, mas o que realmente importa é que, ainda que ela não tenha muito, ela tem a ela mesma. 


Por enquanto, "Still Have Me" já soma mais de 1 milhão de visualizações no Twitter de Demi, marca ultrapassada em menos de três horas. 

E ela foi tão rápida na divulgação da música que seu empresário, Scooter Braun, afirmou em suas redes sociais que ainda está trabalhando para colocar a canção nas plataformas de streaming. Surpreendeu todo mundo mesmo!

Agora ficamos aqui no aguardo de "Still Have Me" na plataforma mais próxima pra gente poder tacar stream. Libera pra gente, Demi!


Cearenses, esse momento é de vocês! A equipe de Selena Gomez está aqui no Brasil, mais precisamente em Icapuí, no Ceará, gravando o novo clipe da artista (que infelizmente não veio para a gravação).

Começaram a circular web nessa segunda-feira (21) algumas fotos da filmagem do videoclipe, como a de um mural pintado com a carinha de Selena. Olha só que lindinho, gente:




Segundo insider, o vídeo gravado é para uma nova parceria de Selena em espanhol e o resto do clipe foi filmado em Los Angeles.


E quem é esse feat misterioso? Rumores dizem por aí que a faixa pode ser uma parceria com Rosalía e Maluma. Vai com calma, Seleninha, que a gente não tem nem roupa pra esse evento!

Kanye West tá decidido a mudar os rumos da indústria pelos próximos anos e, através do seu Twitter, tem publicado inúmeras reflexões sobre o que considera uma forma de escravidão dos dias atuais, se referindo aos contratos de grandes gravadoras e a maneira como elas negociam a propriedade musical de seus artistas.


A principal indignação de Kanye é em relação aos direitos das “masters” de suas canções, que contratualmente pertencem as gravadoras com quem assinou contrato e, consequentemente, não permite que ele faça qualquer coisa com suas próprias músicas sem que tenha permissão, além dessas serem fontes de lucros intermináveis, visto que gerarão renda enquanto forem tocadas, seja nas plataformas de streaming, através da venda de CDs, programas de TV ou shows.


Pela rede social, Kanye revelou todos seus contratos com a Universal Music, que detém os direitos das suas masters, e criticou o selo por não revelar o quanto valem suas propriedades, afirmando que o valor está mantido em sigilo pela gravadora temer que ele tenha dinheiro o suficiente pra comprá-las de volta.


Além disso, o rapper, que no ano passado lançou o álbum gospel “Jesus is King”, propôs ainda que outros artistas se unissem ao seu manifesto e, sim, incluiu Taylor Swift, que levantou uma discussão muito semelhante há alguns meses, quando travou uma batalha em busca dos direitos pelas masters de seus primeiros álbuns, atualmente pertencentes ao empresário —e, hoje, seu inimigo declarado — Scooter Braun.


Mas Kanye foi além e, pelo Twitter, prometeu que resolverá o problema da cantora e     conversará diretamente com Scooter, quem considera um amigo próximo e de longa data da sua família. Já pensou?



Além de Taylor Swift, outros artistas citados por Kanye West foram Bono Vox, Paul McCartney, Jay-Z, Kendrick Lamar e Drake. No caso do último, Kanye ainda brincou afirmando que lutaria pelo contrato de todos, menos do canadense, voltando atrás na mesma publicação e explicando a piada, “te amo, Drake, todos os artistas devem ser livres.”



O que acontece quando estamos morrendo? No clipe de “911” da Lady Gaga, lançado nessa sexta-feira (18), a artista tenta dar sentido aos pesadelos que correm em sua mente em seus momentos finais.


A produção mostra Gaga tendo uma série de alucinações conceituais depois de sofrer um acidente de trânsito. A ideia, segundo a cantora e atriz (quem viu o vídeo já entendeu a ênfase nessa palavra aqui) é mostrar sua “experiência com saúde mental e como realidade e sonhos podem se conectar para criar heróis em nós e ao nosso redor”. 


Em seu pesadelo, parece que encontramos Gaga em uma espécie de Juízo Final, tal como “O Auto da Compadecida”. E tem mais: tudo o que se passou ao seu redor durante o acidente reaparece nesse sonho estranho, e muitas dessas coisas em forma de símbolos e metáforas. Estamos falando de Lady Gaga, né? 


Por exemplo, tem gente argumentando que a almofada que aparece tantas vezes no clipe seria... o airbag do carro. Será? Pra gente saber, a solução é ver, rever e analisar, o que vai nos fazer dar vários plays no vídeo (que mecanismo!).



“911” é o terceiro single da era “Chromatica”, sucedendo as faixas “Stupid Love” e “Rain On Me”, com a Ariana Grande. 


Com projeto de carreira internacional à todo vapor, Anitta lançou nessa sexta-feira (18) seu novo single, “Me Gusta”, e esse lançamento representa um passo definitivo para fazer sua busca por reconhecimento para além do Brasil dar certo. 


A nova aposta da sensación de la favela mistura versos em inglês e espanhol e traz participações de Myke Towers, rapper latino, e ninguém menos do que Cardi B, dona do hit número 1 do mundo neste momento, a faixa “WAP”.


É claro que essa combinação de fatores deve favorecer “Me Gusta”, mas de nada adiantaria se a música não fosse, de fato, tão boa como é, sendo um dos melhores lançamentos próprios de Anitta em bastante tempo.


O sucesso de “Me Gusta” recaí sobre sua produção, trabalho do ÀTTØØXXÁ e de Ryan Tedder. A música faz um ótimo trabalho em misturar reggaeton com funk, dois ritmos que tem tanto em comum, tendo surgido de periferia, em algo harmonioso e único, finalmente dando a identidade que faltava para a carreira internacional de Anitta. 


 

Se “Me Gusta” vai ou não acontecer, isso a gente ainda não sabe, mas é com certeza uma direção na qual vale a pena ver a cantora brasileira seguir. 


O videoclipe da canção chega também nessa sexta, às 12h no horário de Brasília. 

Elas estão vindo! As garotas do Little Mix anunciaram nessa quarta-feira (16) o nome, a capa e a data de lançamento de seu aguardado sexto álbum.

O disco se chamará “Confetti” e ganhou essa capa maravilhosa, com muita cor e purpurina:


Continuando com a tradição de lançamentos ao final do ano, as meninas reservaram o dia 6 de novembro para jogar todo esse “Confetti” na gente. Estamos prontos pra essa festa! 

O novo disco das misturinhas deve trazer em sua tracklist as já lançadas “Break Up Song” e “Holiday”, além de uma parceria misteriosa que, segundo rumores, deve ser com ninguém mais do que Pabllo Vittar.

Investindo em divulgação pesada pra consolidar a dominação mundial, o BLACKPINK ganhará um documentário na Netflix, com lançamento marcado para o dia 14 de outubro.

A informação foi compartilhada pela gigante dos streamings em suas redes sociais e a companhia, que se mostrou bastante orgulhosa ao anunciar que o “BLACKPINK: Light Up The Sky” será seu primeiro projeto documental de K-pop.


Qual ícone vocês vão escolher? Nós vamos de Lisa, com certeza! 

O documentário não poderia vir em melhor hora. As garotas acabam conquistar sua melhor posição na Hot 100 americana, estreando o single “Ice Cream”, em parceria com a Selena Gomez, em #13, além de estarem com seu primeiro disco completo com lançamento marcado para dia 2 de outubro, quase duas semanas antes do lançamento do filme.



Esperamos que o “BLACKPINK: Light Up The Sky” traga muitas imagens de bastidores da gravação do THE ALBUM, dos clipes da era e, quem sabe, até da suposta parceria com a Cardi B que vem aí. 

BLACKPINK in your area e em uma Netflix perto de você!
Chloe x Halle tem nos mantido muito bem servidos durante essa quarentena e depois de inúmeras performances impecáveis, elas chegam com mais uma novidade pra nos manter alimentados. 

Nessa sexta-feira (04), a dupla de irmãs lançou um tão esperado remix de “Do It”, primeiro single de seu mais recente álbum, “Ungodly Hour”, e aglomerou - mas, calma, só em feats mesmo.  

Com participações de Doja Cat, a dupla de rap City Girls e a novata Mulatto, a nova versão de “Do It” ganhou quase um minuto e meio a mais pra dar tempo de todas as garotas brilharem com suas rimas - inclusive as próprias Chloe e Halle, que acrescentaram novos versos a canção.

O resultado? Um sabor delicioso. Nós recomendamos!

Dois dos maiores nomes da cena emo brasileira, marcada pelo auge da metade dos 2000 até o começo dos anos ‘10, os músicos Lucas Silveira (vocalista da Fresno) e Di Ferrero (NX Zero) se reuniram neste ano para uma sequência de dois feats que chegaram ao público nesta sexta-feira (04).

“Silêncio”, primeira música anunciada, se trata de uma releitura que tem uma história bem inusitada: a faixa, lançada pelo NX Zero em 2008, na época foi composta por Lucas Silveira, sob o codinome Beeshop, ao lado de Esteban Tavares, ex-integrante da Fresno. Até então, esse havia sido o mais perto que as bandas chegaram de lançar uma parceria em estúdio, tendo eles se encontrado apenas em especiais de TVs e festivais em que dividiram músicas do próprio repertório ou se aventuraram com covers.

Na nova versão, produzida por Lucas, a música de 12 anos atrás ganha uma roupagem muito mais enxuta, com camadas eletrônicas que sobrepõem o som roqueiro de 2008 sob uma melodia pop, mais próxima da sonoridade explorada por ambos os artistas atualmente.


“Será”, faixa inédita presente no mesmo registro, vem pra frisar o quanto a colaboração entre os músicos é uma proposta muito mais atual do que presa à nostalgia ou necessidade de reproduzir o que fazem e fizeram ao lado de suas bandas. Repleta de sintetizadores e camadas onde eles revezam entre primeira e segunda voz, a canção deixa o espírito emo, inevitavelmente invocado quando falamos sobre os dois, pra narrativa da sua letra.


Atualmente dedicado a sua carreira solo, Di Ferrero têm realizado várias colaborações com as chamadas “Di Boa Sessions”, sendo essa sua quarta edição. Longe da sonoridade explorada com o NX Zero, o cantor têm trabalhado ao lado de produtores e compositores como Ruxell, Pablo Bispo e Sérgio Santos, famosos por hits de IZA, Gloria Groove e Pabllo Vittar.

Lucas Silveira, por sua vez, lançou com a Fresno no ano passado o disco “Sua alegria foi cancelada”, responsável por todo um reposicionamento da banda na era dos streamings, acumulando milhões de execuções só no Spotify. Se não fosse a pandemia e a consequente quarentena, neste ano a banda seria uma das atrações nacionais do Lollapalooza; no lugar, vieram as lives intituladas “QuarentEMO”, nas quais o vocalista se encontra com integrantes da banda remotamente e apresenta hits próprios e diversos covers.

Em sua segunda e última edição, transmitida no dia 22 de agosto, a live trouxe presenças ilustres, incluindo o vocalista do My Chemical Romance, Gerard Way, e uma participação especial do músico Chris Carrabba, frontman da banda Dashboard Confessional.


“Di Boa Sessions 4”, com as duas colaborações entre Di e Lucas, já está disponível nas principais plataformas internet afora.
Depois de rumores envolvendo “Alice” e “Free Woman”, Lady Gaga pode ter escolhido “911” como novo single do “Chromatica”.

A faixa, uma das favoritas dos fãs, foi performada no VMAs, que aconteceu neste domingo (31), ao lado dos singles “Rain On Me” e “Stupid Love”.


Logo depois, a canção ganhou uma aba de promoção com links para todos os serviços de streaming (veja aqui), e até a Siri, assistente pessoal do iPhone, avisou que “911” é sim o próximo single de Gaga.


Depois do Video Music Awards, Bloodpop, um dos produtores do “Chromatica”, disse em seu Instagram que agora a era vai finalmente começar. Vem aí ou não vem?
A indústria do k-pop é inflada com lançamentos semanais, por isso até mesmo quem acompanha assiduamente o gênero acaba perdendo uma coisa ou outra e, em alguns casos, um grande artista não consegue a devida atenção que merece. Nos últimos meses, um cantor passou a chamar minha atenção por fugir um pouco das fórmulas mais convencionais do gênero e revolvi trazer para cá: Demian.

Pouco tempo depois de sua estreia, o cantor deu uma pequena viralizada nas redes sociais, principalmente no Twitter, mas não demorou muito para que parassem de falar do moço. Por isso, eu peço: tire nove minutos do seu dia para conhecer o seu som. É o suficiente visto que o cantor tem apenas três músicas lançadas.

A estreia de Demian aconteceu em março, com "Cassette", canção escrita pelo cantor. A faixa tem uma batida bem envolvente, enquanto o seu videoclipe é todo simples, ao ponto de parecer um artista independente tentando vender o seu som.


Após "Cassette", veio "Karma". Para Demian, as faixas se completam. "Definitivamente há uma conexão entre 'Cassette' e 'Karma' porque ambas as canções descrevem momentos pós-termino. Enquanto 'Cassette' descreve um término de forma bem bonito, 'Karma' descreve aquele momento doloroso baseado na sensação de perder alguém. Eu tentei entregar emoções mistas a partir de duas situações diferentes", explicou em entrevista a The Kraze Magazine.


Demian não é contratado pelas grandes empresas que comandam a indústria do k-pop, tampouco assinou contrato com uma pequena empresa desconhecida. Demian responde pelo selo de uma filial sul-coreana da Sony Music, que não possui uma atuação tão grande no país, mas talvez o suficiente para que em um futuro não muito distante o cantor tente outros mercados, como os Estados Unidos, já que até em inglês ele já cantou.

O último lançamento cantor foi "Yes", divulgada na última quarta-feira (25), uma faixa quase inteiramente em inglês se não fossem alguns versos em seu idioma nativo. A canção foi liberada junto de um lyric video que parece muito mais uma videoclipe, mas isso só prova o cuidado artístico que o cantor possui junto de sua equipe.


Esses são apenas os primeiros passos do cantor que ama Frank Ocean, The Weeknd Harry Styles. Com tão pouco e com apenas 26 anos, Demian já conseguiu mostrar o seu potencial; e nós não vemos a hora do cantor ganhar o reconhecimento que merece. Alimente um Demian você também.
E aí, bora fritar? Dua Lipa fez a sexta-feira (28) dos amantes das pistas de dança ao lançar o “Club Future Nostalgia”, versão remixada e ousada de seu mais recente disco. 

Com produção de The Blessed Madonna e participações de Mark Ronson, Gwen Stefani, Neneh Cherry, Stevie Nicks, Jamiroquai e BLACKPINK, além de Missy Elliott e Madonna, creditadas no remix de “Levitating”, o “Club Future Nostalgia” é, de longe, a coisa mais diferente que Dua fez em sua carreira.

O álbum de remix funciona num estilo rádio mix, daqueles que tocavam à meia-noite nas rádios brasileiras de música pop: muita batida, muita experimentação e muita nostalgia também. Ou seja: esse realmente não é um projeto pra todo mundo.


Se você, como a pessoa que vos escreve, já curtia algo assim, contínuo, e é até apegada a esse estilo de mix, então esse álbum é pra você. Se não, fique tranquilo. O “Future Nostalgia” em sua versão original continua lá em todos os serviços de streamings e muito em breve deve ganhar um relançamento com novas músicas não tão remixada assim.

Aos que pretendem se aventurar, mesmo não sendo esse o tipo de projeto que mais curte, ou que querem ouvir uma coisa ou outra pra saber se vão tentar mesmo escutar tudo, recomendamos a inédita “Love Is Religion”, o remix com carinha de samba de “Boys Will Be Boys” e a nova versão de “Physical”, com produção de Mark Ronson e participação de Gwen Stefani. 

Tanto pra quem curtiu e pra quem não curtiu o “Club Future Nostalgia”, não podemos negar que é louvável ver Dua Lipa se comprometer tanto com o conceito de uma era em pleno 2020. Entre erros para alguns e acertos para outros, ela é, de fato, a salvação do pop.

SELEPINK IN YOU AREA! Depois de muita espera, a aguardada parceria entre BLACKPINK e Selena Gomez finalmente está entre nós. "Ice Cream" chega no finalzinho do verão norte-americano e sul-coreano, mas já tem cara de hit. Confira.



A parceria entre as cantoras vem sendo especulada desde o início do mês, quando o BLACKPINK anunciou uma parceria misteriosa por meio das redes sociais. No comecinho, muitos especularam que se tratava de Ariana Grande, mas não demorou muito para que o portal sul-coreano "My Daily" confirmasse que a canção seria em colaboração com Selena Gomez.

"Ice Cream" é a terceira grande parceria internacional do grupo. BLACKPINK já colaborou com a Dua Lipa para faixa "Kiss and Make Up", e recentemente com Lady Gaga para a faixa "Sour Candy", do disco "Chromatica". "Ice Cream" faz parte do disco "The Album", o primeiro álbum de estúdio do grupo previsto para outubro.
Anitta agora é trapper. O gênero, derivado do rap, cresce no Brasil há alguns anos e, principalmente pela internet, já catapultou inúmeros nomes ao cenário mainstream, tendo forte presença digital e, consequentemente, um público majoritariamente jovem, possui como alguns dos seus grandes nomes artistas como Recayd Mob, Sidoka e Raffa Moreira, além de agora, é claro, Anitta.

A cantora que começou sua carreira no funk e, pelos últimos anos, se dividiu entre o mercado pop e latino, já vinha se aproximando desse estilo musical pelas beiradas e, em seus dois últimos lançamentos, deixou mais do que clara a nova empreitada.

Quem assinou a estreia de Anitta no trap foi outro nome influente do meio: WC no Beat. Apontado como uma das referências na mistura do trap com o funk, WC lançou na semana passada seu novo disco, “GRIFF”, e conseguiu um dos feitos mais inesperados desse ano, que foi unir Anitta e Djonga na mesma canção.

Longe dos versos em espanhol e influências do reggaeton que ditaram o tom de suas últimas músicas, “Cena de Novela” traz a artista carioca mais do que enturmada dentro de sua nova proposta, com versos rimados que buscam fazer o encontro das suas novas inspirações no rap com a familiaridade do funk.



O flow de Anitta está aprovado?

Uma semana depois de “Cena de Novela”, foi a vez de mais uma parceria de Anitta no trap chegar ao público. Ao lado de Dfideliz, do Recayd Mob, BIN e seu parceiro de longa data, Papatinho, em “Tá com o Papato” Anitta vem ainda mais ousada, aqui sequer flertando com o funk pra facilitar a assimilação do público. “Chegou a patroa”, ela versa, em referência a treta com Ludmilla, que também rendeu a música “Cobra Venenosa”, enquanto segue falando sobre ela, Papatinho e manda até alguns versos em inglês, se autointitulando uma “diva worldwide”.

Anteriormente, Papatinho e Anitta haviam colaborado na música “Onda Diferente”, com Ludmilla, presente no disco “Kisses”.



Apesar da chegada de Anitta ao trap ainda ser uma novidade, a cantora nunca escondeu a sua influência no hip-hop, o que vai desde a sua admiração por Beyoncé a recente aproximação de artistas como Cardi B e Megan Thee Stallion pelas redes sociais, sem contar nos inúmeros feats com rappers em todas suas investidas no mercado internacional, como Tyga em “Desce pro play”, Swae Lee em “Poquito” e Snoop Dogg em “Onda Diferente”.

Será que essa nova fase da cantora pega?