Mostrando postagens com marcador música. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador música. Mostrar todas as postagens
Chloe x Halle tem nos mantido muito bem servidos durante essa quarentena e depois de inúmeras performances impecáveis, elas chegam com mais uma novidade pra nos manter alimentados. 

Nessa sexta-feira (04), a dupla de irmãs lançou um tão esperado remix de “Do It”, primeiro single de seu mais recente álbum, “Ungodly Hour”, e aglomerou - mas, calma, só em feats mesmo.  

Com participações de Doja Cat, a dupla de rap City Girls e a novata Mulatto, a nova versão de “Do It” ganhou quase um minuto e meio a mais pra dar tempo de todas as garotas brilharem com suas rimas - inclusive as próprias Chloe e Halle, que acrescentaram novos versos a canção.

O resultado? Um sabor delicioso. Nós recomendamos!

Dois dos maiores nomes da cena emo brasileira, marcada pelo auge da metade dos 2000 até o começo dos anos ‘10, os músicos Lucas Silveira (vocalista da Fresno) e Di Ferrero (NX Zero) se reuniram neste ano para uma sequência de dois feats que chegaram ao público nesta sexta-feira (04).

“Silêncio”, primeira música anunciada, se trata de uma releitura que tem uma história bem inusitada: a faixa, lançada pelo NX Zero em 2008, na época foi composta por Lucas Silveira, sob o codinome Beeshop, ao lado de Esteban Tavares, ex-integrante da Fresno. Até então, esse havia sido o mais perto que as bandas chegaram de lançar uma parceria em estúdio, tendo eles se encontrado apenas em especiais de TVs e festivais em que dividiram músicas do próprio repertório ou se aventuraram com covers.

Na nova versão, produzida por Lucas, a música de 12 anos atrás ganha uma roupagem muito mais enxuta, com camadas eletrônicas que sobrepõem o som roqueiro de 2008 sob uma melodia pop, mais próxima da sonoridade explorada por ambos os artistas atualmente.


“Será”, faixa inédita presente no mesmo registro, vem pra frisar o quanto a colaboração entre os músicos é uma proposta muito mais atual do que presa à nostalgia ou necessidade de reproduzir o que fazem e fizeram ao lado de suas bandas. Repleta de sintetizadores e camadas onde eles revezam entre primeira e segunda voz, a canção deixa o espírito emo, inevitavelmente invocado quando falamos sobre os dois, pra narrativa da sua letra.


Atualmente dedicado a sua carreira solo, Di Ferrero têm realizado várias colaborações com as chamadas “Di Boa Sessions”, sendo essa sua quarta edição. Longe da sonoridade explorada com o NX Zero, o cantor têm trabalhado ao lado de produtores e compositores como Ruxell, Pablo Bispo e Sérgio Santos, famosos por hits de IZA, Gloria Groove e Pabllo Vittar.

Lucas Silveira, por sua vez, lançou com a Fresno no ano passado o disco “Sua alegria foi cancelada”, responsável por todo um reposicionamento da banda na era dos streamings, acumulando milhões de execuções só no Spotify. Se não fosse a pandemia e a consequente quarentena, neste ano a banda seria uma das atrações nacionais do Lollapalooza; no lugar, vieram as lives intituladas “QuarentEMO”, nas quais o vocalista se encontra com integrantes da banda remotamente e apresenta hits próprios e diversos covers.

Em sua segunda e última edição, transmitida no dia 22 de agosto, a live trouxe presenças ilustres, incluindo o vocalista do My Chemical Romance, Gerard Way, e uma participação especial do músico Chris Carrabba, frontman da banda Dashboard Confessional.


“Di Boa Sessions 4”, com as duas colaborações entre Di e Lucas, já está disponível nas principais plataformas internet afora.
Depois de rumores envolvendo “Alice” e “Free Woman”, Lady Gaga pode ter escolhido “911” como novo single do “Chromatica”.

A faixa, uma das favoritas dos fãs, foi performada no VMAs, que aconteceu neste domingo (31), ao lado dos singles “Rain On Me” e “Stupid Love”.


Logo depois, a canção ganhou uma aba de promoção com links para todos os serviços de streaming (veja aqui), e até a Siri, assistente pessoal do iPhone, avisou que “911” é sim o próximo single de Gaga.


Depois do Video Music Awards, Bloodpop, um dos produtores do “Chromatica”, disse em seu Instagram que agora a era vai finalmente começar. Vem aí ou não vem?
A indústria do k-pop é inflada com lançamentos semanais, por isso até mesmo quem acompanha assiduamente o gênero acaba perdendo uma coisa ou outra e, em alguns casos, um grande artista não consegue a devida atenção que merece. Nos últimos meses, um cantor passou a chamar minha atenção por fugir um pouco das fórmulas mais convencionais do gênero e revolvi trazer para cá: Demian.

Pouco tempo depois de sua estreia, o cantor deu uma pequena viralizada nas redes sociais, principalmente no Twitter, mas não demorou muito para que parassem de falar do moço. Por isso, eu peço: tire nove minutos do seu dia para conhecer o seu som. É o suficiente visto que o cantor tem apenas três músicas lançadas.

A estreia de Demian aconteceu em março, com "Cassette", canção escrita pelo cantor. A faixa tem uma batida bem envolvente, enquanto o seu videoclipe é todo simples, ao ponto de parecer um artista independente tentando vender o seu som.


Após "Cassette", veio "Karma". Para Demian, as faixas se completam. "Definitivamente há uma conexão entre 'Cassette' e 'Karma' porque ambas as canções descrevem momentos pós-termino. Enquanto 'Cassette' descreve um término de forma bem bonito, 'Karma' descreve aquele momento doloroso baseado na sensação de perder alguém. Eu tentei entregar emoções mistas a partir de duas situações diferentes", explicou em entrevista a The Kraze Magazine.


Demian não é contratado pelas grandes empresas que comandam a indústria do k-pop, tampouco assinou contrato com uma pequena empresa desconhecida. Demian responde pelo selo de uma filial sul-coreana da Sony Music, que não possui uma atuação tão grande no país, mas talvez o suficiente para que em um futuro não muito distante o cantor tente outros mercados, como os Estados Unidos, já que até em inglês ele já cantou.

O último lançamento cantor foi "Yes", divulgada na última quarta-feira (25), uma faixa quase inteiramente em inglês se não fossem alguns versos em seu idioma nativo. A canção foi liberada junto de um lyric video que parece muito mais uma videoclipe, mas isso só prova o cuidado artístico que o cantor possui junto de sua equipe.


Esses são apenas os primeiros passos do cantor que ama Frank Ocean, The Weeknd Harry Styles. Com tão pouco e com apenas 26 anos, Demian já conseguiu mostrar o seu potencial; e nós não vemos a hora do cantor ganhar o reconhecimento que merece. Alimente um Demian você também.
E aí, bora fritar? Dua Lipa fez a sexta-feira (28) dos amantes das pistas de dança ao lançar o “Club Future Nostalgia”, versão remixada e ousada de seu mais recente disco. 

Com produção de The Blessed Madonna e participações de Mark Ronson, Gwen Stefani, Neneh Cherry, Stevie Nicks, Jamiroquai e BLACKPINK, além de Missy Elliott e Madonna, creditadas no remix de “Levitating”, o “Club Future Nostalgia” é, de longe, a coisa mais diferente que Dua fez em sua carreira.

O álbum de remix funciona num estilo rádio mix, daqueles que tocavam à meia-noite nas rádios brasileiras de música pop: muita batida, muita experimentação e muita nostalgia também. Ou seja: esse realmente não é um projeto pra todo mundo.


Se você, como a pessoa que vos escreve, já curtia algo assim, contínuo, e é até apegada a esse estilo de mix, então esse álbum é pra você. Se não, fique tranquilo. O “Future Nostalgia” em sua versão original continua lá em todos os serviços de streamings e muito em breve deve ganhar um relançamento com novas músicas não tão remixada assim.

Aos que pretendem se aventurar, mesmo não sendo esse o tipo de projeto que mais curte, ou que querem ouvir uma coisa ou outra pra saber se vão tentar mesmo escutar tudo, recomendamos a inédita “Love Is Religion”, o remix com carinha de samba de “Boys Will Be Boys” e a nova versão de “Physical”, com produção de Mark Ronson e participação de Gwen Stefani. 

Tanto pra quem curtiu e pra quem não curtiu o “Club Future Nostalgia”, não podemos negar que é louvável ver Dua Lipa se comprometer tanto com o conceito de uma era em pleno 2020. Entre erros para alguns e acertos para outros, ela é, de fato, a salvação do pop.

SELEPINK IN YOU AREA! Depois de muita espera, a aguardada parceria entre BLACKPINK e Selena Gomez finalmente está entre nós. "Ice Cream" chega no finalzinho do verão norte-americano e sul-coreano, mas já tem cara de hit. Confira.



A parceria entre as cantoras vem sendo especulada desde o início do mês, quando o BLACKPINK anunciou uma parceria misteriosa por meio das redes sociais. No comecinho, muitos especularam que se tratava de Ariana Grande, mas não demorou muito para que o portal sul-coreano "My Daily" confirmasse que a canção seria em colaboração com Selena Gomez.

"Ice Cream" é a terceira grande parceria internacional do grupo. BLACKPINK já colaborou com a Dua Lipa para faixa "Kiss and Make Up", e recentemente com Lady Gaga para a faixa "Sour Candy", do disco "Chromatica". "Ice Cream" faz parte do disco "The Album", o primeiro álbum de estúdio do grupo previsto para outubro.
Anitta agora é trapper. O gênero, derivado do rap, cresce no Brasil há alguns anos e, principalmente pela internet, já catapultou inúmeros nomes ao cenário mainstream, tendo forte presença digital e, consequentemente, um público majoritariamente jovem, possui como alguns dos seus grandes nomes artistas como Recayd Mob, Sidoka e Raffa Moreira, além de agora, é claro, Anitta.

A cantora que começou sua carreira no funk e, pelos últimos anos, se dividiu entre o mercado pop e latino, já vinha se aproximando desse estilo musical pelas beiradas e, em seus dois últimos lançamentos, deixou mais do que clara a nova empreitada.

Quem assinou a estreia de Anitta no trap foi outro nome influente do meio: WC no Beat. Apontado como uma das referências na mistura do trap com o funk, WC lançou na semana passada seu novo disco, “GRIFF”, e conseguiu um dos feitos mais inesperados desse ano, que foi unir Anitta e Djonga na mesma canção.

Longe dos versos em espanhol e influências do reggaeton que ditaram o tom de suas últimas músicas, “Cena de Novela” traz a artista carioca mais do que enturmada dentro de sua nova proposta, com versos rimados que buscam fazer o encontro das suas novas inspirações no rap com a familiaridade do funk.



O flow de Anitta está aprovado?

Uma semana depois de “Cena de Novela”, foi a vez de mais uma parceria de Anitta no trap chegar ao público. Ao lado de Dfideliz, do Recayd Mob, BIN e seu parceiro de longa data, Papatinho, em “Tá com o Papato” Anitta vem ainda mais ousada, aqui sequer flertando com o funk pra facilitar a assimilação do público. “Chegou a patroa”, ela versa, em referência a treta com Ludmilla, que também rendeu a música “Cobra Venenosa”, enquanto segue falando sobre ela, Papatinho e manda até alguns versos em inglês, se autointitulando uma “diva worldwide”.

Anteriormente, Papatinho e Anitta haviam colaborado na música “Onda Diferente”, com Ludmilla, presente no disco “Kisses”.



Apesar da chegada de Anitta ao trap ainda ser uma novidade, a cantora nunca escondeu a sua influência no hip-hop, o que vai desde a sua admiração por Beyoncé a recente aproximação de artistas como Cardi B e Megan Thee Stallion pelas redes sociais, sem contar nos inúmeros feats com rappers em todas suas investidas no mercado internacional, como Tyga em “Desce pro play”, Swae Lee em “Poquito” e Snoop Dogg em “Onda Diferente”.

Será que essa nova fase da cantora pega?

A semana mal começou, mas nos já estamos pensando no fim dela, e não é por causa da chegada do final de semana (embora isso sempre seja algo ótimo). Nós estamos mesmo é esperando a chegada dessa sexta-feira, 28 de agosto, que será um dia LO-TA-DO de lançamentos.

Mas por quê? A gente explica: no final de agosto, exatamente no dia 31, acaba o período de elegibilidade para a próxima edição do Grammy. Assim, essa é a última sexta-feira de lançamentos para que os artistas liberem singles e álbuns passíveis de submissão, na esperança de conseguir uma indicação ao prêmio. 

Pensando em facilitar sua vida para aproveitar essa super sexta-feira, preparamos uma lista com todos os lançamentos anunciados para esse dia 28. Anota aí: 

Katy Perry - “Smile” 

Mamãe do ano, Katy lança nessa sexta seu quinto disco, o “Smile”. Por todos as faixas já lançadas do material e por tudo o que a artista tem dito sobre o projeto, que vai abordar sua depressão após a conturbada era “Witness” de forma leve e dançante, apostamos que este será o melhor álbum da cantora. 

BLACKPINK & Selena Gomez - “Ice Cream”

Com álbum de estreia marcado para outubro, as garotas do BLACKPINK estão apostando tudo nessa parceria com Selena Gomez, com co-composição da Ariana Grande e produção do Tommy Brown, para se estabelecerem de vez no mercado norte-americano. 

Dua Lipa - “Club Future Nostalgia”

A gente sabe que o remix de “Levitating”, com produção da The Blessed Madonna e participações de Madonna e Missy Elliott dividiu opiniões, mas se tem alguém que nos provou ao longo desse ano que merece um voto de confiança, esse alguém é a Dua Lipa. E é claro que saber que teremos Mark Ronson e Gwen Stefani em um remix de “Physical” também nos ajuda a ter confiança na versão club do “Future Nostalgia”. 

The Weeknd x Calvin Harris - Over Now

Maior nome do pop masculino atualmente, tudo que o The Weeknd toca vira outro. E não é pra menos: além do seu status como um dos principais artistas dessa geração, o cara também tem entregado muitos hinos, vide “Blinding Lights”, um dos singles do ano. Com o reforço do Calvin Harris, acreditamos que não tem como não vir algo ótimo por aí. 

JoJo - “Good To Know (deluxe)”

Bora ajudar a pagar a janta da JoJo, galera! A versão deluxe do “Good To Know”, lançado originalmente em abril, vem aí, e contará com participações de Demi Lovato no remix de “Lonely Hearts” e Tinashe na inédita “Love Reggae”. A qualidade tá garantida.  

Jaden Smith (feat. Justin Bieber) - “Falling For You”

Sobe aqui só quem é viúva de “Never Say Never”! Reizinho caridoso, Jaden Smith resolver relembrar os tempos em que o Justin Bieber ainda fazia música boa e convidou o menino yummy yummy para a faixa “Falling For You”, presente em seu novo disco, “Cool Tape Volume 3”, também com o lançamento marcado para essa sexta. Se nós vamos dar stream? Preferimos não informar. 

BÔNUS

(RUMOR) Drake - “Certified Lover Boy”

Se só com a lista de lançamentos citados nesse post já é o suficiente para que os serviços de streaming reforcem seus servidores, imagina com esse rumor? Pois é, tem quem diga por aí que o novo disco do Drake chega para arrombar o Spotify nessa sexta e que o material terá parcerias com Bruno Mars e Ariana Grande. Se isso for verdade mesmo, tudo o que podemos fazer é desejar boa sorte aos artistas com lançamentos marcados para esse dia 28, porque eles vão precisar.
Um dos políticos americanos de maior presença nas redes sociais, Barack Obama tornou tradição que, anualmente, suas músicas favoritas do verão sejam reveladas e, também anualmente, impressionem o público pela curadoria tão precisa, que não se limita ao que teve sucesso comercial nas paradas americanas.

Neste ano não poderia ter sido diferente e a “Barack Obama’s 2020 Summer Playlist” entrega tudo e mais um pouco, contando com músicas como “Already”, presente no álbum “The Gift”, da Beyoncé, “Be Honest”, da Jorja Smith, e até a recente “Un Día”, de J Balvin com Dua Lipa e Tainy.



Artistas confirmados na Convenção do Partido Democrático, que acontece entre os dias 17 e 20 de agosto, em Milwaukee, nomes como John Legend, Common, Jennifer Hudson e Billie Eilish também aparecem entre as músicas selecionadas.

Ouça a playlist completa abaixo:


Obama, eu imploro, entre em minha casa e refaça todas as minhas playlists!
Ainda levantando inúmeras questões sobre como acontecerá de maneira segura em meio a uma pandemia, uma das maiores premiações da cultura pop americana, MTV Video Music Awards, mantém a sua próxima edição confirmadíssima para o dia 30 de agosto e com uma lista cada vez maior de artistas em seu line-up.

Há algumas semanas, a MTV já havia dado como certo as performances de artistas como The Weeknd, J Balvin e BTS. Dona do hit “Say So”, Doja Cat também foi escalada, além da boyband latina CNCO e o dono do hit “The Box”, Roddy Rich.

Agora, mais nomes chegam para a lista que mantém nossas expectativas nas alturas, incluindo Miley Cyrus, que lançou há alguns dias seu single de retorno, “Midnight Sky”, e a dupla que fez chover no planeta Chromatica, Lady Gaga e Ariana Grande, garantidíssimas para um dueto em “Rain On Me”.


Um dos grandes nomes da música pop em 2020, a cantora Dua Lipa passou praticamente despercebida com os clipes do seu álbum mais recente, “Future Nostalgia”, e deve ficar de fora também das atrações musicais, enquanto os rumores falam ainda sobre uma possível aparição de Selena Gomez, que lança música com as sul-coreanas do Blackpink dois dias antes do evento, e Christina Aguilera, cotada ao título de Artista Vanguarda.

O MTV Video Music Awards 2020 acontecerá no dia 30 de agosto, diretamente do Barclays Center, em Nova York, com transmissão pela MTV Brasil.
Ao contrário de inúmeros artistas que têm se adaptado aos ditos “novos formatos da indústria”, apostando na baixa temporada de shows pra se apresentarem nos formatos de drive-in, a cantora Pabllo Vittar está disposta a esperar até que realmente seja seguro retornar aos palcos, com a promessa de que só voltará a fazer shows quando houver uma vacina contra o COVID-19.

A decisão é, obviamente, a mais sensata. Sem uma vacina, ainda que os eventos se comprometam a cumprir com todas as normas da OMS, não têm controle total aos processos de entrada e saída do público, bem como colocam em exposição a saúde de seus funcionários, ou, em casos como o criticado show dos Chainsmokers nos EUA, podem ainda contar com a irresponsabilidade do público que, não contente em saírem de casa numa quarentena, podem descumprir com as regras desse tipo de show e colocarem em risco a saúde de todos ao redor.

Desta vez não indo longe demais, uma vez que faz coro ao pedido de que “se puder, fique em casa”, Pabllo foi tão elogiada por suas palavras sobre esse atual cenário, que ganhou até mesmo uma homenagem feita pelos moradores de São Gotardo, em Minas Gerais, que expuseram um outdoor agradecendo as palavras da drag queen. “O povo trabalhador de São Gotardo está contigo, Pabllo Vittar. #ficaemcasa”, diz o cartaz.


Sobre os shows drive-in, Pabllo afirmou em entrevista ao Estadão:

“Eu acordo de manhã sabendo que ainda não tem vacina e é muito triste ver que o governo também não faz quase nada pela população que mais precisa. Então, como eu vou subir num palco pra drive-in? Primeiramente, para isso a pessoa tem que ter carro. Quem tem carro no Brasil? Não tem como eu subir num palco sabendo que tem um monte de gente que não está nem podendo trabalhar. Essa não é a energia que quero pra mim.”

No comecinho desse ano, em março, Vittar lançou o disco “111”, de onde extraiu hits como “Amor de que”, “Parabéns” e o feat. com a Charli XCX em “Flash Pose”. Sem a divulgação massiva pelos palcos e programas de televisão, a cantora cumpriu uma longa agenda de lives e participações em eventos virtuais, além de ter apostado no formato animação para o clipe da canção “Rajadão”, lançado em julho.

The Boyz é um daqueles grupos dessa geração nova de k-pop em que é preciso dar toda atenção possível devido ao talento inegável dos integrantes. O grupo estreou em dezembro de 2017 com a faixa-título "Boy" após um programa de variedades criado exclusivamente para apresentar os membros ao público, mas não demorou muito para que o início de um sonho desse tudo errado.

Foi em outubro de 2019 quando os fãs, chamados The B (deobi), receberam a triste notícia de que um dos membros, Hwall, estaria se afastando das atividades em grupo por questões de saúde em uma carta escrita a mão por ele. Quase um ano depois, Hwall ressurge como Hyunjun Hur em sua primeira faixa solo em inglês (!), "Bagari", que recebeu um videoclipe recheado de referências a obra "O Pequeno Príncipe", nessa sexta-feira (14).


Em "Bagari", Hyunjun fala sobre um amor aparentemente não correspondido, mas também canta sobre aceitar seus sentimos e se recuperar, traçando um possível paralelo com o que aconteceu com ele. Em sua carta de despedida do grupo, ele deixou claro que problemas de saúde o impediram de entregar a performance "perfeita" que tanto desejava.

"Eu fui muito feliz em receber amor de tantos fãs a cada performance, e mais que tudo, eu estava ansioso em poder realizar meu sonho (se tornar um artista completo que é amado em todo mundo), então decidi fazer reabilitação após minha cirurgia na perna. Entretanto, se tornou um fardo para mim performar nos palcos em um estado imperfeito devido a diversas questões de saúde. Expressei meu desejo de interromper minhas atividades por um bom tempo com minha família, membros e agência".

Artistas de k-pop trabalham muito além do necessário e com horas escassas de descanso.


A indústria do k-pop é cansativa ao extremo e o público espera apenas a perfeição de seus ídolos. Devido a essa expectativa e graças a glamourização de um esforço desenfreado, os artistas de k-pop trabalham muito além do necessário e com horas escassas de descanso. Então como deve ser para um cantor não poder dar seu melhor quando esperam unicamente isso de você?

São incontáveis os casos de artistas que se apresentaram em condições fora das ideais e muitos outros vão seguir se apresentando com a saúde em péssimo estado como se fosse a coisa mais normal do mundo. A saúde mental desses cantores é outra coisa que precisa urgentemente virar uma pauta dentro da indústria do k-pop, principalmente quando nos últimos dois anos há casos alarmantes de suicídios.

Hyunjun foi diagnosticado com tendinose posterior tibial, sendo necessário passar por uma cirurgia, em março de 2018. Devido a tendinose, o cantor ficou afastado de algumas atividades em grupo para poder se recuperar. No próprio "Come On! The Boyz Summer Vacation RPG", um reality do The Boyz, o cantor ficou de fora de algumas brincadeiras que envolviam esforço físico e também não pode promover algumas músicas do grupo.

O anúncio da saída de Hyunjun do The Boyz aconteceu mais de um ano depos, no finalzinho de outubro de 2019, mas o cantor seguiu com a Cre.ker - empresa responsável pelo grupo - até que seu contrato finalizasse "calmamente", como ele mesmo disse em uma carta aos fãs divulgada também nessa sexta-feira. Na carta, aliás, ele agradece aos membros do The Boyz e afirma que irá sempre apoiá-los.

"Bagari" abre os trabalhos de Hyunjun como artista solo de forma totalmente independente. A canção conta com o selo de Dia Note, empresa/gravadora do próprio cantor que irá gerir os seus próximos passos daqui para frente. Nós acreditamos na magia de recomeços e desejamos apenas amor e sucesso ao cantor.

Atualmente, os The Boyz seguem suas atividades com 11 membros após vencerem o reality show de sobrevivência "Road to Kingdom" e preparam um comeback previsto para acontecer até o final de 2020. Enquanto o retorno não acontece, o grupo está com um projeto de covers intitulado "A to Boyz" e visa mostrar o potencial de cada um dos integrantes.

Ela veio! Miley Cyrus chegou com tudo em sua nova era com o lançamento da incrível “Midnight Sky” no início desta sexta-feira (14).

Produzida por Andrew Watt, nome por trás de músicas como “Eastside”, “Break My Heart” e “Anywhere”, “Midnight Sky” aposta em uma vibe new wave com influências de canções de rock (tem até sample de “Edge Of Seventeen”, da Stevie Knicks) e uma pitadinha da tendência disco-pop que tem rolado em 2020.

Essa mistura faz da faixa o primeiro single perfeito para o novo material de Miley, porque traz a artista confiante e muito confortável, em uma sonoridade que tem a cara dela. Parece que ela finalmente se encontrou! 

Já no clipe, gravado durante o isolamento social e dirigido pela própria Miley, ela aparece com seu cabelo estilo mullet usando muito looks que combinam perfeitamente as influências sonoras do single enquanto performa a canção com muita atitude. Simples, mas elegante.

SELPINK IN YOUR AREA!

Após muita especulação, as meninas do BLACKPINK revelaram nessa terça-feira (11) quem é o artista misterioso presente em seu novo single. E é... Selena Gomez

Em anúncio feito nas redes sociais do grupo e da artista, BLACKPINK e Selena confirmam o lançamento da faixa, ainda sem nome, para o dia 28 de agosto.



A parceria vai servir como primeiro single oficial do disco de estreia do BLACKPINK. Por enquanto chamado apenas de “THE ALBUM”, o material tem estreia marcada para o dia 2 de outubro.

Por enquanto ficamos aqui aproveitando a quarentena pra aprender a coreografia de “How You Like That”, single promocional do disco das garotas. Bring out your boss bitch!


Madame Hidroxocloriquina, Madonna está trabalhando em um projeto secreto com a roteirista de "Juno" e "Tully", Diablo Cody. Foi a própria cantora de "Hung Up" que revelou a informação em seu Instagram, na sexta-feira (07), em um vídeo ao lado da roteirista.

O vídeo publicado no IGTV é acompanhado da seguinte legenda: "quando você está preso em casa com vários machucados, o que você faz? Escreve um roteiro com Diablo Cody sobre...". Ainda não se sabe o que as duas estão aprontando, mas acredita-se ser um filme e fãs também especulam ser uma cinebiografia. Será que vem aí?

Madonna já flertou com a sétima arte algumas vezes, e em uma delas foi bem aclamada pela crítica e público por seu papel-título em "Evita". O último projeto da cantora para o cinema foi "W.E.: O Romance do Século", produzido, escrito e dirigido por ela.

Estrelado por Oscar Isaac, Andrea Riseborough, James D'Arcy e Abbie Cornish, o longa-metragem britânico acompanha o Duque de Windsor, Eduardo VII, que é pressionado a não se casar com a americana Wallis Simpson quando ele assume o trono.
Após mais um ano de espera, os meninos do Treasure finalmente estrearam com "Boy", o seu primeiro single. Só que pera aí! Antes de você ir ouvir e assistir ao videoclipe dos tesourinhos, pega na minha mão porque vou te contar algumas coisinhas que você precisa saber antes. Por exemplo: sabia que eles surgiram de um reality show e são da mesma empresa que o BLACKPINK? Vamos lá.

Há um tempinho o k-pop não têm uma estreia aguardadíssima por quase todo mundo que curte o gênero e ansiedade é justificada. Treasure saiu do reality "YG Treasure Box", lá em fevereiro de 2019, mas os sinais de que o grupo iria finalmente estrear começaram a surgir apenas em janeiro desde ano.

Quem acompanha a indústria de k-pop provavelmente ouviu falar do Treasure antes mesmo do grupo ser formado graças a um meme que viralizou no Twitter na época do reality show. Junkyu viralizou com um vídeo muito simples dizendo apenas olá - acredite! No fim, o cantor acabou se integrando ao grupo em sua versão final.


Por falar em membros, a gente não vai se estender muito para falar sobre cada um deles, mas você precisa saber que são 12 no total. Além de Junkyu, também fazem parte do Treasure: So Junghwan, Park Jeongwoo, Doyoung, Bang Yedam, Asahi, Yoon Jaehyuk, Mashiho, Yoshi, Jihoon, Choi Hyunsuk e Haruto. Ah, Choi Hyunsuk é o líder do grupo.

Treasure iria estrear originalmente com 13 membros, mas em dezembro do ano passado foi anunciado que Ha Yoonbin iria deixar o grupo. De acordo com uma nota divulgada pela YG, os desejos de Yoonbin se aproximavam mais de um trabalho solo do que em grupo, então acabou rescindindo o contrato.

Na indústria do k-pop, esta não foi a primeira vez em que um membro deixou seu grupo antes mesmo da estreia. O grupo SEVENTEEN originalmente tinha planos de estrear com 17 membros, mas quatro deles deixaram a empresa por motivos diversos - uns oficialmente confirmados, outros especulados pelos fãs.

Antes da estreia finalmente acontecer, Treasure soltou covers ao longo desses últimos meses - inclusive um cover de dança para "Wild For The Night". A cereja no bolo, entretanto, acabou sendo um vídeo especial para "Going Crazy", música realmente deles dessa vez. Uma pena que a canção nunca foi lançada oficialmente e sabe-se lá quando será disponibilizada no Spotiy e outros serviços de música. Mancou nessa, YG.


Antes do lançamento de "Boy", Bang Yedam foi responsável pelo lançamento do pré-single "Wayo". A baladinha deu esperança aos fãs para que os demais membros liberassem canções solo antes da grande estreia, mas a YG resolveu parar já nesta canção. Uma pena porque seria possível ver o potencial de cada um deles, não é mesmo?



Agora que você já conhece um pouco sobre trajetória dos meninos até aqui, você já pode embarcar em "Boy". O videoclipe passa uma sensação classuda ao se apoiar em cenários que lembram bem o k-pop do início dos anos 2010, mas também é bem situado nas tendências do gênero neste ano. É um mix perfeito.


Já a canção tem tudo o que a gente precisava, não é mesmo? Um break bem gostinho para dançar. A letra parece ser apenas mais uma confissão romântica entre um rapaz e uma moça - algo que o k-pop está bem inflado, mas a música soa mais como um convite a quem ouve. Os integrantes do Treasure cantam para os seus fãs em busca de se tornarem "seus garotos".

Infelizmente, a estreia do ano não veio acompanhada de um EP ou álbum, mas veio em forma de single album. Além de "Boy", o grupo também lançou "Come To Me", que é bem diferente da vibe da faixa-título, dando um gostinho da versatilidade que os 12 garotos podem ter em futuros lançamentos. Valeu a espera.

There’s some whores in this house!

Após nove meses sem lançar uma nova música, Cardi B está de volta no que deve ser o primeiro single de seu segundo disco, a parceria com a Megan Thee Stallion em “WAP”.

Só o anuncio da união de dois grandes nomes do rap feminino já foi o suficiente para nos animar, mas podemos dizer que a faixa fez justiça a essa parceria. Das artes de divulgação ao videoclipe, além de, claro, a própria canção, “WAP” é sexy, nasty e muito viciante.

Com sample de “There’s Some Whores In This House”, do Frank Ski, “WAP” traz Cardi e Megan falando bem explicitamente sobre estarem prontas para sentirem prazer e dando todas as instruções para os caras as sarisfazerem.


E como Cardi B é conhecida por servir visuais em seus videoclipes, com uma mega colaboração como essa não seria diferente. Dirigida por Collin Tilley, a produção traz as rappers sensualizando muito, em meio a onças, tigres e cobras, e ainda tem participações especiais de Kylie Jenner, Normani, Rosalía e a rappers novatas Mulatto, Sukihana e Rubi Rose.


Elas fizeram TUDO!
São 23 horas e alguns minutos de uma terça-feira qualquer. Abro o Spotify e sei o que quero ouvir. Pesquiso por “Rico Dalasam”, vou até sua página e desço em busca do seu último trabalho. “Dolores Dala Guardião do Alívio”, isso. Aperto o play.

O que se sucede aqui, é uma experiência que poucos artistas são capazes de compor, daqueles álbuns que te transportam para uma outra realidade, têm o poder de te causar sensações e, como aqui ele antecipa a partir do seu título, te transmite uma dose de alívio no meio do caos.

Quase despercebido entre o que entendemos como mainstream, o trabalho mais recente de Rico Dalasam consegue, sem muito esforço, se mostrar um dos mais completos e bem produzidos desse ano. E não digo isso pensando apenas no mercado nacional.



Cancelado por muitos e elogiado por outros tantos, o músico tem como uma das principais passagens de sua carreira o sucesso ao lado de Pabllo Vittar no carnaval de 2017, “Todo dia”, seguido de toda a polêmica que envolveu as disputas judiciais pelos direitos de composição da faixa, hoje extinta das principais plataformas de streamings — o que é uma pena.

Tais trâmites legais, por sua vez, estão longe de caber ao Tribunal do Twitter, então que os deixemos nas mãos daqueles que estudaram para tratá-los da forma adequada. (E se ainda existe alguma reflexão que nos cabe fazer acerca da música, que seja sobre o quanto Rico e Vittar se tornaram, ao longo dos últimos anos, muito maiores do que o sucesso invisível, e têm a devida importância pelo trabalho que seguiram fazendo desde então.)



Em 2020, ouço, vejo e sinto “Guardião do Alívio” numa posição muito parecida com a qual experienciava dois dos meus discos favoritos do ano passado: “Rito de Passá”, da MC Tha, e “AmarElo”, do Emicida. Como trabalhos que, transpassando a necessidade de colecionar números exorbitantes ou grudar no imaginário popular com sequências de versos chicletes, se colocam num lugar de arte que quase não encontramos dentro desse fluxo instantâneo e tão automatizado da indústria atual, daqueles discos que não basta botar pra rodar enquanto fazemos mil e outras coisas, que o peso e importância não se moldam aos quinze segundos de um ‘TikTok’ e que, consumindo-os por completo, entendemos que o negócio não era apenas escutar. Era preciso sentir.

Parece exagero, até um pouco arrogante. Mas leva em consideração os tempos atuais, esse cenário caótico em que sociedade, política, saúde e tantos outros tópicos se atravessam, não como as interseções que sempre existiram, mas mais como balas perdidas, que nos levam ao limite ao mesmo tempo que nos separa, nivela por baixo, e aí volta pra esses sons e olhares, esse convite que transborda sensibilidade, sobre versos e vivências há tempos silenciados, subjulgados, com uma passagem de ida para um lugar onde o que predomina é essa sensação de, enfim, equilíbrio.

É o que a música pode fazer.


Perdi a noção do som, aqui perdido entre minhas próprias palavras. Volto ao Spotify, repito a quarta faixa do disco, “Circular 3”. É um registro de senhoras conversando em um ônibus. Me policio pra não simplesmente escrever a exclamação vaga e tão cheia de significados “é sobre isso!”. Porque é o que é.

Esse negócio de isolamento mexe com a gente. Nesse momento em que sequer podemos trocar abraços, ter ao nosso alcance um álbum que soe tão verdadeiro, vulnerável e humano pode ser uma experiência grandiosa.

Agradeçam ao Rico por mim.
Dua Lipa, minha filha, vamos com calma! Na noite dessa terça-feira (04), a artista anunciou que lançará uma versão remix do disco “Future Nostalgia”, com faixas retrabalhadas por diferentes produtores e com participações de vários artistas. 

Chamado de “Club Future Nostalgia”, o álbum contará com o já anunciado remix de “Levitating”, em parceria com Madonna e Missy Elliott, e produzida pela The Blessed Madonna, além de um remix de “Physical” com Gwen Stefani e produção de Mark Ronson. 

Em seu anúncio, a cantora não falou nada sobre a inclusão de novas faixas, como a aguardada “It Ain't Me”, com a Normani, porém avisou que a nova versão do álbum contará ainda com muitas outras surpresas. Será que vem aí?

O “Club Future Nostalgia” chega dia 21 de agosto, uma semana depois do remix de “Levitating”, marcado para dia 14.


Obrigada por nos manter tão bem alimentados nessa quarentena, Duazinha.
Ela conseguiu! Após o lançamento surpresa do disco “folklore” na semana passada, Taylor Swift conseguiu estrear a canção “cardigan” no topo da Billboard Hot 100, a principal parada americana de singles.



Segundo atualizações divulgadas nessa segunda-feira (03), a loirinha não só colocou “cardigan” em #1 como também estreou “the 1” já no top 5, em #4, e “exile”, sua parceria com Bon Iver, em #6.

E vamos de recorde: com a estreia de “cardigan” no lugar mais alto da parada, Taylor Swift se torna a primeira artista da história a estrear simultaneamente um single e um álbum em #1 nos dois principais charts da Billboard.

No total, Taylor Swift tem agora seis canções número 1 na Hot 100: “We Are Never Ever Getting Back Together”, “Shake It Off”, “Blank Space”, “Bad Blood”, “Look What You Made Me Do” e, claro, “cardigan”.

Será que o “folklore” ainda vai ter um novo single em #1? Porque nós vemos potencial em várias faixas.