Mostrando postagens com marcador glee. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador glee. Mostrar todas as postagens
YAS BISH! Nicki Minaj alcançou um novo patamar no mundo da música. A cantora trinidiana agora é a mulher com mais hits na Billboard Hot 100, possuindo 76 aparições na parada musical. O último recorde, pertencente à ilustre Aretha Franklin, foi de 73, quando "Break It To Me Gently" entrou no jogo em junho de 1977, concedendo a ela 58 anos de reinado na lista!

A conquista só foi possível devido ao debut da parceria de Onika com Gucci Mane, "Make Love", ao lado de seus recentes lançamentos: "No Frauds", "Regret In Your Tears" e "Changed It", que pegaram, respectivamente, as posições #14, #61 e #71.


É bacana ressaltarmos que, apesar do longo processo de segregação racial na indústria, o recorde foi quebrado mais uma vez por uma artista negra, sendo que a última cantora que esteve perto de batê-lo foi Taylor Swift. Como você pode conferir no ranking abaixo:

1) Nicki Minaj (76)
2) Aretha Franklin (73)
3) Taylor Swift (70)
4) Rihanna (58)
5) Madonna (57)

Das 76 músicas que concederam o recorde à artista, 32 são autorais e 44 são participações especiais. No ranking geral, o topo fica com a série Glee (com 207 entradas na parada), seguida dos rappers Lil Wayne (135) e Drake (133).

Vale lembrar que Minaj ainda pode dar as caras pela Hot 100 com sua mais nova parceira com o DJ David Guetta e o rapper Lil Wayne, "Light Up My Body", lançada no último dia 23.



Sempre se falou em um episódio musical no Arrowverse, ainda mais tendo dois de seus protagonistas participado do fenômeno “Glee”. Em entrevista ao TVLine, o produtor Andrew Kreisberg confirmou que o ex-Warbler se reuniria mais umas vez aos seus amigos Grant Gustin e Melissa Benoist, dessa vez como o vilão Music Meister.

Ficamos impressionados com o seu talento ao longo dos anos e mal podemos esperar pra ver o que ele fará como Music Meister

O vilão, introduzido na série animada “Batman: Bravos e Destemidos” (com a voz de Neil Patrick Harris), tem o poder de controlar as pessoas, obrigando-as a dançar e cantar. Nem tão absurdo em um mundo onde vilões conseguem dividir a terra ao meio, como disse o produtor.



Também foi confirmado que os atores Jesse L. Martin (Joe), Victor Garber (Dr. Stein), John Barrowman (Malcolm Merlyn), Jeremy Jordan (Winn) e Carlos Valdes (Cisco) cantarão ao lado dos heróis. 


O evento musical dividido em duas partes vai ao ar nos dias 20 e 21 de março pelo canal americano CW.  No Brasil, as séries são exibidas pelo Warner Channel. 
De tempos em tempos somos agraciados com uma idéia de série com potencial de ser viciante, independente de nos decepcionarmos depois ou não. Esse é o caso da nova série "Scream Queens", do criador de séries como "Glee", "Nip/Tuck", "American Horror Story" e "Popular". E hoje o próprio nos divulgou através de seu twitter com a versão super-size da sequência de título da série, que ainda serve pra divulgar a estréia dia 22 de setembro com um episódio de duas horas!!!!!


Se vocês acham que os filmes românticos criam expectativas absurdas sobre o amor, você precisam ver esse casais das séries que fizeram com que a gente loucamente encontrasse nosso amor perfeito quando crescesse.

Enquanto não nos traz novidades do seu novo disco, sucessor do ótimo e subestimado "Trespassing", o cantor Adam Lambert parece estar se divertindo entre as gravações da série "Glee". No próximo dia 25, a produção está de volta com o episódio "Frenemies", retomando os trabalhos com sua quinta temporada, e para a felicidade do público, as versões aparentam estar sensacionais!

Lambert, que neste retorno engata uma relação ainda mais próxima com Kurt, interpretado pelo Chris Colfer, na série já cantou diversas canções, indo de "Marry The Night" da Lady Gaga à "What Does The Fox Says?" da dupla de humoristas Ylvis, e agora solta a voz ao som de "I Believe In A Thing Called Love", da banda The Darkness.

Somos bem suspeitos pra falar de qualquer coisa que envolva o cantor, mas bem, todos concordam que a versão de uma música como essa realmente é pra fazer com que voltemos a acreditar numa coisa chamada amor, certo? A apresentação conta, inclusive, com a partipação do Colfer, sendo um dueto entre Elliot e Kurt, e nós amamos, até porque não tinha como ser de outra forma. Ouça a versão abaixo na íntegra:



FLAWLESS.

Além deles, o episódio "Frenemies" também contou com uma versão para "Brave", originalmente lançada pela Sara Bareilles, nas vozes de Lea Michele (Rachel) e Naya Rivera (Santana), "Every Breath You Take", da banda The Police, com um arranjo de tirar o fôlego nos vocais das mesmas atrizes, e rolou até um cover para "Breakaway", da Kelly Clarkson, por Kevin McHale (Artie), Jenna Ushkowitz (Tina) e Darren Criss (Blaine). A prévia dessas 3 você pode ouvir a seguir. Saíram todas as músicas do episódio completas:

Breakaway - Kevin McHale, Jenna Ushkowitz & Darren Criss
Whenever I Call You A Friend - Kevin McHale & Jenna Ushkowitz
My Lovin’ (You’re Never Gonna Get It) - Kevin McHale & Jenna Ushkowitz
Brave – Lea Michele & Naya Rivera
Every Breath You Take – Lea Michele & Naya Rivera
Don’t Rain On My Parade – Naya Rivera

Quem não vamos perder essa volta da série?

O episódio (“Frenemies”) irá explorar as ‘rixas’ entre os amiguinhos. Enquanto no núcleo Lima, Artie e Tina brigarão pelo posto de orador da turma, em NY, Santanão fará audição para ser a substituta de Rachel no revival da Broadway de “Funny Girl”, que não aceita tão facilmente a “traição”. Kurt, sob conselho do noivo e movido pelo recalque de ter alguém tão bom quanto ele (só que Adam >>>>) no grupo, irá aprender tudo do seu rival em uma tarde que passarão juntos.


Glee retorna no dia 25 de fevereiro, na FOX americana.

(colaborou: Sebastião Mota)

Todos estão animados com o tão aguardado lançamento de Lea Michele no meio musical sem ser apenas Rachel Berry, certo? A longa espera terminou e já te mostramos aqui a tracklist de "Louder", o primeiro álbum da queridinha do Glee, e também seu single de estreia, "Cannonball". E se você é fã das baladas de Sia Furler (compositora da faixa), como, por exemplo, "Loved Me Back To Life", lead single do último álbum de Celine Dion, então deve ter colocado Lea Michele no repeat e já está performando a canção como se estivesse no Glee Club do McKinley High.

Horas após seu lançamento no iTunes US, "Cannonball" já marcava presença no top 10 das canções mais compradas digitalmente. Fez bonito, certo? Sem grandes divulgações. Mas agora Lea Michele deve começar  a promoção de seu novo projeto e a primeira parada aconteceu no bacanudo The Ellen DeGeneres Show. A cantora performou seu novo single e também falou sobre Cory Monteith e Kate Hudson. Confira a apresentação da estrela de Glee:


Se você estava viajando para Asgard, vamos lembrá-lo que Cory Monteith, namorado e colega de trabalho de Lea na série da Fox, morreu em julho deste ano devido à combinação tóxica de heroína e álcool em seu organismo. Durante a entrevista, a atriz e cantora admitiu que ainda está lutando para superar a perda de Cory:
É uma dor que acompanha você todos os dias, não importa o que esteja fazendo. Há momentos difíceis em que eu prefiro estar no trabalho com as pessoas que eu amo, e que também estão passando por isso. 
Lea também falou sobre como o criador de Glee foi solidário com sua dor:
Ryan [Murphy] foi até a casa da Kate [Hudson] e disse 'O que você quer fazer?", e o que eu quisesse fazer seria feito. Pedi para voltar ao trabalho. Eu precisava, eles (o elenco) são minha família e o que as pessoas não entendem é que voltar a trabalhar não é mais difícil do que ficar em casa abrindo armários.
Sobre Kate Hudson, Lea disse que é ridículo ler comentários sobre uma suposta desavença e que tudo foi inventado, já que Hudson basicamente lhe deu sua casa para que ela e sua família pudessem ter um lugar para respirar e voltar para a casa que viveu com Cory, que estava cheia de lembranças. A atriz ainda lembrou o quanto estava feliz com o amado e contou à Ellen como o ator ficou animado depois de uma entrevista em seu programa:
É uma das minhas lembranças favoritas. Eu me lembro quando ele chegou em casa naquela noite, meio que estufou o peito e disse 'Eu conversei com Ellen sobre você hoje'. Eu estava tão feliz. Ele era uma pessoa tão reservada e eu literalmente vivi todos os dias da minha vida sentindo-me como a garota mais sortuda do mundo inteiro. Eu só pensava que ele era o melhor homem e assim, lembrar este momento significa muito para mim.
Confira a entrevista abaixo:


Louder será lançado dia 4 de março de 2014. Ansiosos?

Diferente de grande parte das emissoras, a FOX resolveu transmitir sim um episódio inédito de Glee em plena noite de Ação de Graças. Já não bastasse a série ter atingido uma das piores audiências no ano anterior durante essa data, “Puppet Master” quebrou recorde e a série teve sua pior audiência desde que foi ao ar pela primeira vez. Justificável até, mas Glee já tem sua próxima e final temporada garantida. Sem ligar muito para números, vamos ao episódio.

Pelos promocionais, featurettes e stills revelados, imaginava que estaríamos diante de um episódio despretensioso, divertido e, de certa forma, inovador à série…. digno de primeira temporada. Entretanto, tudo se inverte quando Blaine se torna o centro das atenções, servindo até de ponte para o núcleo NY. Não me leve a mal, mas o personagem de maneira alguma tem carisma (ou extensão vocal) o suficiente para sustentar um episódio inteiro sozinho.

Sob a desculpa de Will não poder comparecer aos primeiros ensaios semanais do glee club e sabendo que sua formatura está próxima, bem como sua despedida ao mundo dos corais, Blaine assume o posto de líder do New Directions, já reivindica um solo nas nacionais e apresenta várias ideias para a sua última apresentação no coral da escola. Obviamente nem tudo foi inicialmente aceito por todos e Blaine resolveu sofrer calado no canto da sala (onde foi que eu já vi isso mesmo, Rachel?). O diferencial da vez fica por conta de um vazamento de gás em um local estratégico que faz com que Blaine tenha delírios onde todos são fantoches, uma vez que Kurt acidentalmente o chamou de manipulador via telefone. 

Aproveitando a ligação (literalmente), Kurt também teve lá os seu delírios: o lançamento de sua banda Pamela Lansburry (Rachel, Santana, Elliott e Dani). Por sorte a apresentação color blocking e retilínea de “Into the Groove” não passou da cabeça de Kurt (até agora). Acabou que no primeiro show só havia uma pessoa e esta seria exatamente aquela que abriria portas para a banda no futuro, já garantindo um segundo show em um local respeitado.


Assim como Blaine, quem também inspirou gás no canto da sala foi Jacob, o que acabou gerando um dos melhores mashups/covers de Glee até então. Por falar em Jacob, sempre aquele fardo que a série vem carregando desde sua 4ª temporada: o triângulo (agora quadrado) amoroso com Marley, Ryder e Bree. O velho e datado plot da capitã das líderes de torcida grávida. Olha… isso não foi basicamente a primeira temporada inteira??? Do jeito que as coisas em Ohio andam, até me admiro quando isso tudo não passou de um susto para Jacob. O que tiramos daí então: Jake voltará para Marley e Ryder continuará sem função alguma na série. Aliás, sou o único que ainda não aceitou bem o “sumiço” do plot Ryder/Wade? Passaram uma temporada inteira criando suspense para apenas jogarem no lixo depois? 


Por último, mas não menos importante, temos Sue. A treinadora, agora diretora interina do McKinley High, invocou o conselho da escola, para que avalie todo o seu esforço e tenha seu cargo consolidado de uma vez por todas. O momento chave se dá quando Bob (Christopher Cousins, Breaking Bad) revela pensar que Sue era na verdade um homem. Abalada e após ser a terceira vítima do gás, une esforços a Wade/Unique e volta às suas raízes de quando ainda possuía “traços femininos” evidentes e ninguém ainda a temia.


Não. Não gosto dessa insegurança da implacável treinadora que certa vez casou consigo mesma. Apenas deem uma conclusão épica e digna de Sue Sylvester.

Ainda que esteja longe de ficar entre os melhores da série, “Puppet Master” tinha tudo para ser tão bom quanto o 3x20 “Props” em que Tina bate a cabeça e todos trocam de corpos (plot igualmente bizarro) e, uma vez que Blaine já é garantido na próxima temporada, poderiam ter cedido mais espaço a outros do elenco original que provavelmente não voltaremos a ver, como Tina e Artie.

Na trilha sonora do episódio:
Into the Groove” - Madonna
"You're My Best Friend" - Queen
Cheek to Cheek” - Fred Astaire
Nasty / Rythym Nation” - Janet Jackson
The Fox” - Ylvis

Obs. 1: Já está passando da hora de criarem substanciais plots para Dani, Santana e Rachel. Sequer me lembro quando foi a última cena de Rachel em NYADA e o romance Dantana ter dado sinais de vida depois de 5 episódios. Quanto a Elliott, já estão construindo o set de seu apartamento e em breve seremos agraciados com mais participações de Adam Lambert. As cenas em NY sempre são mais interessantes, mas também muito breves. Espero  profundamente que a situação melhore o quanto antes.

Obs. 2: Uma vez que não houve muitas graças para dar em um episódio de ação de graças, elegemos 5 performances da temporada às quais somos gratos.






Mais um episódio de Glee… mais um tributo. Sue organiza uma feira das profissões e claro, nenhum espaço dedicado às artes, o que provoca Will. Aquela novela de sempre. Chegamos ao tema semanal do Glee Club: Billy Joel. Confesso que nunca parei para escutar as músicas do Piano Man (conheço 3 ou 4 ~valeu, mãe~), enquanto os adolescentes do McKinley High já sabem todo o repertório de cor, exceto Unique e seu marcante "WHO?!". 

Formações musicais à parte, todos os números foram bons o suficiente para esquecermos a possibilidade de avançar alguns minutos. Começamos então com “Movin' Out (Anthony's Song)”


O número inicial serviu apenas como um gancho para passarmos ao núcleo New York, quando Blaine e Sam batem à porta do apartamento em forma de pavilhão de Rachel, Kurt e Santana. Enquanto os alunos remanescentes do Glee Club decidem a carreira a qual seguirão, Blaine foi para sua audição em NYADA e Sam para uma entrevista em Hunter. Fato que a seleção de Blaine aconteceu, mas não aos nossos olhos. Acabaram por dedicar 50% do episódio à procura de um motivo para Sam continuar em New York, uma vez que sua entrevista foi um fracasso e agora aspira a carreira de modelo… tudo por incentivo de Rachel (oi?!). Estariam mesmo tentando formar o casal Samchel? POR FAVOR, ME DIGAM QUE NÃO!

Ainda sobre Sam em New York, mais uma participação especial em Glee. Madame Tyra Banks! Sim, a diva-mor de America’s Next Top Model agora nos agracia com todo o seu temperamento, técnicas milenares de reading e cortes milimetricamente geométricos. Miss Banks agora é dona de uma agência de modeling e atende por Bichette! Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência.


De volta a Lima, Artie tenta convencer Becky que alunos com algum tipo de deficiência podem sim ter uma carreira e até a leva a uma das várias faculdades que incentivam essa inclusão. Ainda que não tenha qualquer relação direta com os protagonistas, essa preocupação de Glee com os verdadeiros “excluídos” sempre foi admirável e a cena com Becky e seus novos amigos fez o episódio realmente valer a pena, porque, cá entre nós, todo esse esforço para transformar Sam na versão masculina de Brittany apenas não convence. 


E já que estamos em clima de mudança, nada mais certo que conclusão de arcos secundários, como o de Becky. 

Enquanto isso, no McKinley High (alguém realmente sentiu falta durante todo o episódio?)… ainda temos Marley, Ryder, Kitty, Tina e Jake fazendo sabe lá o que. Não estivesse mais sonolento que nunca, ainda colocaram o professor para cantar outro clássico de Billy Joel. Uma vez que toda essa obsessão pela virgindade de Marley não seja suficiente para continuarmos em Ohio e Blaine e Sam são incluídos em New York (sendo o primeiro garantido), é praticamente certo que iremos nos despedir de Lima e do dia a dia dos estudantes do William McKinley High School no próximo ano. A questão é: quem mais poderia se unir a Kurt, Rachel e Santana no futuro? Schuester professor em NYADA? Sue na política? Demi Lovato e Adam Lambert fixos? 

Na trilha sonora da semana:
Movin' Out (Anthony's Song)” 
Piano Man” 
My Life

Obs. 1: Rachel ainda tem aulas em NYADA? O tempo que ela gasta sendo Fanny Brice na "vida real", fazendo jantares e passando óleo em Sam dizem o contrário. 

Obs. 2: THANK GOD FOR SANTANA!




Antes de prosseguir com a leitura, é importante deixar os preconceitos de lado. Sabe aquele velho ditado de não julgar um livro pela capa? Assim funciona o quinto episódio da 5ª temporada de Glee, "The End of Twerk". Quem diria que um episódio com tal título e com um cover de "Blurred Lines" pudesse ser tão inteligente? 

Por algum motivo cósmico, jamais perdi a fé na série que um dia foi puro ouro. Em meio a temporadas catastróficas, podemos salvar alguns ótimos episódios como "Asian F" (3x03) e "Dynamic Duets" (4x07). O quinto ano da série vem agradando e "The End of Twerk" foi apenas a cereja do bolo. Lembram lá no primeiro ano, quando Rachel Berry ainda era adoravelmente insuportável? Quando havia aquelas lições de moral, aceitação própria e mais um número upbeat em grupo de alguma música de superação. Usaram do mesmo artifício, porém dando uma nova significância para Unique, o único personagem do núcleo Ohio que não me dá sono.

Nos primeiros minutos, quando Will anuncia que o tema da semana será twerk e como isso poderia ser essencial às Nacionais, minha vontade de fechar o player foi quase instantânea, mas Sue Sylvester atribuindo o título de inimiga-mor dos Estados Unidos a Miley Cyrus, resenhando o clipe de "Wrecking Ball" e prometendo acabar com essa pandemia do twerk de uma vez por todas fizeram tudo valer a pena. (-n) 


Parafraseando a diretora, essa *vulgar e sexualmente explícita desculpa para um dança maluca* foi apenas o estopim para um ótimo um dos melhores momentos de Glee.

A frente do conselho do McKinley High, Will Schuester e seu pitching a favor do twerk, com uma ótima montagem sobre as danças que já foram consideradas impróprias e hoje se tornam apenas nostálgicas.


De maneira sutil, acabaram por traçar um ótimo paralelo ao arco de Unique, sobre a estranheza e medo de tudo aquilo que é novo, diferente do "comum" e não aprovado pelos "bons contumes" da sociedade. O apartheid de hoje é a piada de amanhã. Rendendo ainda um ótimo cover de "If I Were a Boy" (Beyoncé).


Nessa semana, não deram muita ênfase ao lado SMASH (assim já podemos chamar). Apenas um ponto final ao luto de Finn/Cory. Vale destacar o ótimo primeiro ensaio de Rachel como Fanny Brice, ao lado do *marido de Siobhan* (sdds Ringer).


Fizeram parte da trilha sonora da semana:

"You Are Woman, I Am Man" - Musical Funny Girl 
"If I Were a Boy" - Beyoncé 
"Blurred Lines" - Robin Thicke 
"Wrecking Ball" - Miley Cyrus 
"On Our Way" - The Royal Concept 

Glee pós-primeira temporada nunca teve lá o roteiro mais brilhante e regular de todos os tempos (vide Quinn Fabray, vítima do sadismo ryanmurphiano), mas nesses 4 primeiros episódios do 5º ano, a série parece ter encontrado um rumo. Obviamente não estou falando do núcleo McKinley High, que vem cada vez mais me dando mais sono e preguiça de ver o episódio seguinte. Acredito também que os roteiristas compartilhem do mesmo sentimento da grande maioria: repetição do plot da menina virgem que resolveu esperar, mas o namorado, cansado das investidas, resolve ir para a cama com a capitã das líderes de torcida …zzZZZZ

Aproveitando que ainda estamos em Ohio, falemos então do que aconteceu essa semana por lá. Desde sempre, os integrantes do New Directions recebem temas semanais para trabalharem suas músicas em cima disso. O tema da semana em questão não poderia ter sido mais sem noção: Katy ou Gaga? Mas entendemo$ a escolha. No meio do draminha adolescente clichê, confesso que foi até divertido o interesse de Sam pela enfermeira desastrada. Ambos se esforçando para causar uma boa impressão ao outro, quando na verdade estamos frente a duas “katys” (<3).

Na trilha sonora, tivemos uma apresentação maçante de “Applause” e um arranjo mais stripped down de “Wide Awake”.



Agora vamos falar sobre o que realmente interessa? A expansão do núcleo NY roubando cada vez mais atenção e fortalecendo o rumor de que teremos o 6º e último ano da série dedicado somente a Rachel, Kurt, Santana e Blaine. Sério, sempre que mudam a locação parece que trocamos o canal e começamos a ver outra série. Nesse episódio então… os dois núcleos ficaram pelo menos 20 anos mais distantes, no que diz respeito à qualidade... a começar com a adição de Adam Lambert ao time que já conta com Demi Lovato. 

Gostando ou não, é inegável reconhecer o moço como uma das maiores vozes da geração. Geralmente ocorre que cantores tem sérios problemas na atuação, o que deixou muitos céticos se Adam daria conta do recado ou não. E quer saber? ELE ARRAZOU! Com direito a diálogos com o grupo, Adam (agora Elliott ‘Starchild’ Gilbert) deu um show na apresentação altamente dramática de "Marry the Night" e ficou completamente confortável frente às câmeras, nas cenas que seguiram. Que fique bem claro que desejamos fortemente mais cenas com ele e Demi Lovato e torcemos para que ambos não acabem como Kate Hudson e Sarah Jessica Parker, que apenas sumiram da série.




Finalizando o episódio, uma apresentação conjunta dos dois núcleos para hit de Katy Perry. Confiram:


PS: Adam Lambert retornará a série no sétimo episódio da temporada (“Puppet Master”), que irá ao ar no dia 28 de novembro, na FOX americana. As filmagens devem acontecer nos próximos dias. Em sua setlist, teremos:

Cheek to Cheek - Fred Astaire
Into the Groove - Madonna
Nasty/Rhythm Nation - Janet Jackson
You’re My Best Friend - Queen
The Fox (What Does the Fox Say?) - Ylvis
Don’t You (Forget About Me) - Simple Minds

Após revelada a versão ~zeradora de vidas~ de “Marry the Night”, na voz do rei Adam Lambert, todas as músicas presentes no quarto episódio da 5ª temporada de Glee já podem ser ouvidas. Para quem estava enterrado durante os últimos meses, o episódio em questão recebe o título “A Katy or A Gaga” e abordará uma disputa $audável entre as duas divas.

Marry the Night (Glee Cast Version) [feat. Adam Lambert]
Applause (Glee Cast Version)

Wide Awake (Glee Cast Version)

Roar (Glee Cast Version) [feat. Demi Lovato & Adam Lambert]


 Todos vivos? Agora um featurette sobre o personagem de Lambert, com trechos de sua participação na série (E ATUANDO!!!!)



Adam interpretará Elliott Gilbert, um moço que tentará entrar na banda cover de Madonna, que Kurt tanto sonha montar. Durante as audições, Elliott já se apresenta como Starchild, samba ao som de “Marry the Night” e causa AQUELA impressão nos jurados, principalmente em Santanão e Demi Lovato (aka Dani).

Adam ainda conta que participou das audições para a série, antes mesmo de entrar para o American Idol. Diz que, na época, Ryan Murphy adorou sua voz mas teve papel recusado por conta de ser “muito velho”. Como o mundo dá voltas, agora tia Ryan morde a própria língua e faz questão de colocar o todo poderoso na série como o nêmesis de Kurt. E olha… P-R-O-M-E-T-E!


 Glee retorna no próximo dia 7 (quinta), na FOX americana.

A gente já contou pra vocês que o cantor Adam Lambert fará uma participação na série "Glee", junto com a também cantora e atriz Demi Lovato, e uma das grandes surpresas do episódio, intitulado "A Katy Or A Gaga", é uma versão do cantor de "Never Close Our Eyes" para "Marry The Night", música lançada pela Lady Gaga com o disco "StillBorn This Way".

Sem spoilers, por enquanto o que podemos contar é que o episódio será sobre a tão famigerada rivalidade entre Katy Perry e Lady Gaga, só que pelo reflexo dos fãs. Nessa, dois grupos irão disputar cantando músicas das cantoras e, pelas fotos divulgadas, sabemos que vai rolar até Chord Overstreet incorporando o figurino da cantora em "Applause", primeiro single do "ARTPOP".

Sobre a versão do Adam Lambert para "Marry The Night", a gente só diz uma coisa: ARR%MBARAN. O cara é um dos melhores cantores pop da atualidade e a música, mesmo não possuindo o melhor clipe da carreira da Gaga, é uma das melhores que ela já lançou, sendo assim nem tinha como dar errado. Aliás, estamos pensando seriamente sobre gostar mais da canção na voz do cantor. Usem e abusem do player abaixo:


Finalmente é liberado o primeiro promo do aguardadíssimo quarto episódio da 5ª temporada de Glee. Depois de abordar Nicki Minaj vs Mariah Carey e epis tributos a Britney, Madonna, The Beatles… tio Ryan Murphy quer ver mais $angue. 


O intitulado "A Katy or A Gaga" será composto apenas por músicas das referidas divas e performances emblemáticas. Não bastasse ter muito glam em um episódio só, tiveram que chamar o maior especialista no assunto: ADAM LAMBERT!


Sim, diva maior não há. No promo, vemos Adam em sua audição para um grupo cover de Madonna, deixando Santanão e Kurt de boca aberta. O personagem se chamará Elliott Gilbert, mas Starchild será seu nome de guerra. A trilha sonora do episódio ficará por conta de:

"Applause" (Lady Gaga) - Sam, Marley, Artie, Ryder e Blaine
"Roar" (Katy Perry) - New Directions, Rachel, Santana, Kurt, Dani e Starchild
"Marry the Night" (Lady Gaga- Starchild
"Wide Awake" (Katy Perry) - Tina, Unique, Jake e Kitty

ADEUS!


Como nem tudo são flores, a série entrará em um breve hiato e retornará somente no dia 7 de novembro, na Fox americana.





Ainda é difícil acreditar na morte do ator Cory Monteith, astro de Glee e namorado de Lea Michele, a protagonista da série. Em julho, ele foi encontrado morto em um hotel em Vancouver, no Canadá e, recentemente, a causa de sua morte foi confirmada: um relatório oficial divulgado pela polícia declara que oficiais que estiveram no hotel Fairmont Pacific Rim, local onde o ator faleceu e foi encontrado depois de algumas horas, encontraram duas garrafas vazias de champanhe, copos e “uma colher com resíduos da droga (heroína) e uma seringa hipodérmica usada”. Cory enfrentava o problema com as drogas desde a adolescência e chegou a ficar internado no começo de 2013.

Os produtores de Glee tiveram um enorme trabalho na adaptação do roteiro para que Finn, o personagem de Cory na série, recebesse um desfecho digno do carinho que os fãs e toda a equipe da série tinham pelo ator, sem falar na dificuldade que o elenco, principalmente Lea Michele, deve ter sentido em atuar no episódio que marca esta triste despedida. A Fox liberou hoje a promo de "The Hardest Word to Say Is 'Goodbye'", e com poucos segundos já é possível sentir a forte emoção que vem por aí. Os fãs do programa devem preparar o coração - no vídeo, Lea Michele canta "Make You Feel My Love", interpretada originalmente por Bob Dylan, e regravada brilhantemente pela britânica Adele. Confira:


O episódio ainda tratá interpretações das seguintes canções:

“Seasons Of Love” – Rent
“I’ll Stand By You” – The Pretenders
“Fire and Rain” – James Taylor
“If I Die Young” – The Band Perry
“No Surrender” – Bruce Springsteen

Acertaram nas escolhas? O episódio começará com o falecimento de Finn, mas Ryan Murphy, o criador da série, decidiu não abordar o motivo de sua morte por considerar a atitude “exploratória”. No decorrer da trama, os personagens irão recordar os melhores momentos do astro no musial, enquanto interpretam canções para homenageá-lo. Mas o destaque será a performance de Lea Michele. A atriz já emocionou o público durante um belíssimo discurso no Teen Choice Awards 2013 e parece que isso acontecerá novamente em "Glee":


"The Hardest Word to Say Is 'Goodbye'" será tansmitido nos EUA dia 10 de Outubro pela Fox.

E depois de muitas especulações, o criador da série "Glee", Ryan Murphy, finalmente se pronunciou em relação ao futuro de Finn, personagem interpretado pelo ator Cory Monteith, que infelizmente surpreendeu a todos após ser encontrado morto em um hotel no Canadá. 

Na tal entrevista, para o TV Line, Ryan afirmou que procurou pela atriz e também protagonista da série, Lea Michele, antes de tomar a decisão e então teve uma palavra final, optando pela morte do personagem na série (como muitos já esperavam). 
“Tínhamos escrito dois episódios dos Beatles em maio e estávamos trabalhando nisso por quatro anos. Nós apenas decidimos que seria provavelmente o melhor para todo mundo voltar a ficar juntos. Então, nós iremos ao ar com esses dois episódios e estamos escrevendo o terceiro episódio, que lida com a morte de Finn, que é um episódio muito difícil de escrever. Tem que ser feito com muito cuidado e realmente ter certeza de que é um tributo a Cory”
O episódio com o falecimento de Finn deverá ser o terceiro da quinta temporada de "Glee", que foi adiada e tem estreia marcada para o dia 26 de setembro. Após o falecimento do personagem de Cory, a série entrará em hiato e segue então com uma incógnita quanto ao seus próximos episódios. Especula-se que cenas inéditas com o ator sejam utilizadas como parte de seus momentos finais, sendo editadas para simular sua despedida. Só a gente continua custando a acreditar que ele realmente "partiu"? :(

Esse post deveria sair só na semana que vem, porque não consideramos a possibilidade da dita "Cura Gay" ser aprovada num país constitucionalmente laico.

Estamos muito tristes no momento com essa decisão da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM), numa manobra claramente religiosa, afinal, quem melhor para decidir sobre psicologia senão o Conselho Federal de Psicologia? Nossas esperanças estão concentradas agora na aprovação ou veto das comissões de Seguridade Social e Família/Constituição e Justiça. Caso seja aprovada pelas comissões, o projeto de lei segue para os deputados federais, a análise do Senado e finalmente sanção ou veto da presidenta Dilma.

Enfim, manifestando nossa opinião contra esse ato, listaremos aqui nossos ícones gays preferidos do mundo pop, bem como "momentos gays", portanto não se chateie caso o seu ídolo não esteja aqui, mas se achar legal que as pessoas conheçam, deixe nos comentários.

A gente espera que vocês leitores, lindos e cultos, já conheçam bem ícones como Elton John e Freddy Mercury (que é bissexual, não homossexual). Ambos tem um papel absurdo de grande no mundo da música, mas vamos nos concentrar em outros momentos.

1) Adam Lambert

Saído do reality show American Idol em segundo lugar, já que o vencedor da oitava edição do programa foi Kris Allen, mas isso não impediu Lambert de fazer sucesso mais que o vencedor. Com seu álbum debut For Your Entertainment, Adam obteve ótimos resultados! Músicas totalmente pop que estrearam em #3 na Billboard 200, além de serem disco de platina em 5 países e ouro no Brasil. Mais tarde, o debut também ganhou certificado como disco de platina no mundo. Em ascensão absoluta, Adam precisou dizer claramente em entrevista que era gay, para o público poder finalmente deixar isso de lado e focar em sua música. Na mesma entrevista o cantor revela não ter tido dificuldades para contar a sua mãe que é gay, pois ela quem o abordou e perguntou. Quando questionado sobre sair do armário definitivamente no programa, Lambert afirmou que nunca esteve dentro para poder sair, sua sexualidade só não é o foco de sua carreira. Em maio de 2012 Adam lançou oficialmente seu segundo álbum de estúdio, Trespassing, se tornando o primeiro homossexual assumido a conseguir um álbum #1 na Billboard 200. Caso não bastem tantas conquistas, ele também se apresentou numa série de shows com a banda Queen, ao lado até de Freddy Mercury, via hologramas. Se isso não é poder, porrã.



2) Christian Chavez

 O cantor mexicano ex-integrante da banda RBD se assumiu em 2007, enquanto ainda estava no grupo. A sexualidade do integrante era questionada frequentemente e ele não só colocou um fim aos rumores se assumindo, como em 2011 lançou a música "Libertad" com Anahí, também ex-integrante da banda, e um vídeo bafão para a faixa. No vídeo Chavez critica até mesmo a igreja (não venham com "Madonna já fez/faz tempo" porque a laicidade ainda é um problema e ainda deve ser combatido), num confessionário ele declara não ter nada a confessar, já que tá cansado de pedir desculpas. O vídeo continua com imagens de diversos protestos e ícones gays/de luta por direitos como Ru Paul, Harvey Milk e Martin Luther King.


3) Frank Ocean

Não, Frank Ocean não é gay. Mas não, Frank Ocean não é hétero. O cantor de R&B/Soul, iniciou sua carreira como compositor, tendo escrito para Justin Bieber e John Legend, por exemplo. Tendo alcançado grande sucesso com seu debut álbum Channel Orange, as músicas eram frequentemente questionadas pelo fato de serem sobre relacionamentos e o uso da palavra "ele". Os rumores tiveram seu fim quando o próprio cantor postou em seu Tumblr um relato sobre seu primeiro relacionamento/amor: um homem. Segundo Ocean, quando postou a declaração ele chorou  como um bebê e, apesar da publicação, ele nunca definiu sua sexualidade publicamente. Depois de todo o buzz em volta da notícia, a urbanidade em Channel Orange falou mais alto e o álbum teve mais visibilidade ainda e o cantor ganhou prêmios como "álbum do ano" (Train Awards) além de ter sido parabenizado por ser o primeiro homem não hétero na indústria que é predominantemente masculina e possui a fama de ser machista.



4) Lady Gaga

Finalmente a atual rainha quando o assunto é a luta por direitos cíveis da população homossexual. Com o super hino "Born This Way", o qual já citamos recentemente na lista sobre os protestos pelo texto inicial,  a Mother Monster já declarou uma, duas, três, quatro, infinitas vezes o tamanho de seu apoio pelas causas da nossa comunidade. Mas como ela não se limita a discursos e músicas (atitudes que, na verdade, já mudam muita coisa), em 2010 Gaga desembarcou linda no VMA, parecendo uma sereia e todos pararam: o público, a imprensa, os apresentadores do evento. Foi um momento histórico e caso não bastasse a deslumbrante estética apresentada, Lady Gaga desceu no tapete vermelho com membros do serviço militar americano afetados pela "Don't Ask, Don't Tell", uma política estabelecida entre militares evitando que a sexualidade dos membros seja questionada ou que eles se assumam homossexuais. Foi um momento histórico! Além disso, Gaga teve importante participação na legalização do casamento gay no estado de Nova York (pra quem não sabe, a política norte-americana é federalista, ou seja, cada estado tem autonomia para leis própria), além de ter parceria com a Virgin Mobile (empresa  de comunicação sem fio) para arrecadar dinheiro e ajudar jovens gays expulsos de casa através de seus shows. Ah, essa mulher ♥



5) Charice

Como todos sabem, recentemente a filipina se assumiu lésbica de forma inusitada, pois estava irreconhecível e se iniciaram questionamentos quanto a sua possível transexualidade. A cantora ficou famosa através dos programas da Ellen DeGeneres (outra representante da comunidade LGBT mais que amada ♥) e Oprah Winfrey, chegando a fazer um dueto com Celine Dion em 2010! Ela participou de Glee cantando "Telephone" ao lado de Lea Michele, originalmente de Lady Gaga feat. Beyoncé. Após abrir as portas desse enorme armário, Charice disse que se sente livre para sair de casa sem medo. Esse é o melhor sentimento que alguém pode ter, garanto.



6) Kurt Hummel (Chris Colfer)

Como fazer uma publicação focada em ícones gays atuais e não citar Kurt Hummel, a personagem interpretada pelo ator Chris Colfer? O criador do seriado, Ryan Murphy (também criador do sucesso American Horror Story), simplesmente se apaixonou por Chris nas audições. O ator tinha ido fazer testes para outra personagem e não passou, mas Ryan viu o enorme potencial de Chris e criou Kurt Hummel especificamente para o ator. Na série, Kurt já passou por diversas dificuldades por conta de sua sexualidade, desde a aceitação do pai viúvo, passando pelo bullying sofrido nas escolas de todo o mundo, até a aceitação de um relacionamento lindo e estável. Ryan merece os parabéns por retratar com tanta sensibilidade a realidade de jovens recém assumidos na escola e em casa.



O It Pop! quer saber as opiniões de vocês sobre a decisão da CDHM. Também deixo claro que tentamos focar em ícones/acontecimentos que estão em destaque atualmente, mas que nomes como Madonna (♥♥) merecem grande destaque! E a título de curiosidade, informo que o vocalista da banda de heavy metal Judas Priest, Rob Halford, é gay também e isso é muito corajoso em uma indústria tão machista. Beijos da nossa musa:


Seguindo a divulgação de seu álbum de estreia, o "DNA", as Little Mix, que recentemente lançaram o videoclipe para "How Ya Doin'?" em parceria com Missy Elliot, continuam sua divulgação pelos EUA. E dando continuidade ao processo, elas fizeram uma versão acústica de "Going Nowhere" para o Perez Hilton e, para variar, ficou ótimo. Cada vez mais me impressiono com elas. Como são ótimas ao vivo, as harmonias, as melodias, os vocais, tudo funciona direitinho, dá gosto de ver. Confiram:


Ainda sobre as Little Mix, foi confirmado que "Wings", hit no Reino Unido e primeiro single delas em solo norte-americano, ganhará uma versão de Glee no último episódio da 4ª temporada, que vai ao ar no mês que vem, ou seja: prevemos o single indo muito bem nas paradas por lá, hein?!

E não é só isso. As meninas confirmaram pelo Twitter, que já começaram as gravações do segundo álbum.
"Agghhh, estamos de volta ao estúdio hoje. Tem uns meninos muito animados nos esperando pra criar algumas músicas  novas para o segundo álbum", disse Jesy.
Mais tarde, Perrie completou:
"Retirando-me para o estúdio já! Estou tão animada para as novas travessuras! Aqui vamos nós, álbum 2!
Mas enquanto o novo álbum não vem, vamos de "Wings" mesmo:



O "DNA", álbum de estreia das Little Mix, será lançado nos EUA no dia 28 de maio.



Depois de cantar seus hits no intervalo do Super Bowl, Queen B agora ganha mais exposição no próximo episódio de Glee (Jay é um bom marido). Na próxima quinta (07/02), irá ao ar o 13º episódio da 4ª e ótima temporada, intitulado Diva. 

Além do hits Diva (Beyoncé) e Girl on Fire (Alicia Keys), o episódio trará performances de hinos como Don't Stop Me Now (Queen) e Hung Up (Madonna). Confiram abaixo o primeiro vídeo liberado


…e a versão massiva para o ouro de Madge.


+ O restante das músicas pode ser encontrado aqui

4 palavras para esse episódio: Jenna Ushkowitz, Alex Newell.

Obs.: Darren usando a jaqueta The Blonds da maior diva do pop masculino atual.





Aproveitando o espaço Super Bowl da coisa… a CBS liberou logo depois da performance de Beyoncé, um promocional todo sexy, rock 'n' roll e provocante de 2 Broke Girls.


Dirigido pelo respeitadíssimo fotógrafo/diretor David LaChapelle e sua estética hiper realista (Spectrum, Florence + the Machine), Kat Dennings e Beth Bers redefiniram o conceito de "mamãe passou açúcar em mim" ao som de Pour Some Sugar On Me (trocadilho obrigatório), clássica da banda Def Leppard.

Preciso dizer que é um dos promos mais legais que já vi na vida? *-* Espero que traga bons números nos próximos episódios.



"When the long night comes, north of the wall becomes the kingdom of the dead."

Faltando um pouco menos de 2 meses para o início do aguardado retorno de Game of Thrones, a HBO liberou, a poucos dias, as primeiras imagens oficiais dos personagens da nova temporada. Além de alguns rostos já conhecidos como Tyrion Lannister, Sansa e Arya Stark, Daenerys Targaryen, Jon Snow, Joffrey Baratheon e Margaery Tyrell, vemos uma boa quantidade de novos personagens.




Para deixar os fãs ainda mais empolgados, a HBO liberou o making of da temporada. Vemos locações na Islândia, Croácia, Belfast e Marrocos.


A 3ª temporada de Game of Thrones, que irá abranger metade de A Tormenta de Espadas, 3º livro d'As Crônicas de Gelo e Fogo, tem estreia no dia 31 de março, na HBO.



Quer melhor forma de conseguir aqué* do que ficando nú? O pessoal de Glee acredita que essa é a melhor situação quando a situação financeira do grupo está na pior.
Para arrecadar o dinheiro necessário para bancar a viagem do New Directions para as Regionais, os meninos do clube do coral mais famoso da atualidade posarão em uma sessão de fotos sensuais para o calendário "Os Homens do McKinley". Enquanto isso em Nova York, Rachel Barry participará de um filme de arte estudantil um tanto quanto ousado. Essas situações farão parte do episódio "Naked" da quarta temporada de Glee e que será exibido na Fox norte-americana nesta quinta-feira. 

Para quem não sabe, Glee é um seriado musical que conta a vida de jovens estudantes que participam de um clube de coral no colégio McKinley em Ohio. Dois motivos do sucesso da série são as versões que o coral New Directions faz de grandes clássicos da música e a abordagem de temas comuns ao cotidiano de adolescentes norte-americanos como bullying, saída do armário, rejeição e bulimia. 
Confira a lista de músicas do próximo episódio:
- ‘Torn,’ Rachel (Natalie Imbruglia)
- ‘Centerfold’/'Hot In Here’ Medley, New Directions (J. Geils Band/Nelly)
- ‘A Thousand Years,’ Marley & Jake (Christina Perri)
- ‘Let Me Love You (Until You Learn To Love Yourself,’ Jake (Ne-Yo)
- ‘Love Song,’ Rachel, Quinn, Santana (Sara Bareilles)
- ‘The New Year,’ New Directions (Ian Axel)
Acompanhem abaixo o sneak peek (em inglês) de "Naked":

#Bônus 1 - O Glee finalmente fez uma versão babado e confusão da música do meu outing, "HUNG UP"! Vejam a gravação dos bastidores da performance que entrará no episódio 4x13 (DIVA): 



#Bônus2 - Amei a Tina usando o collant rosa da Madonna. <3


Obs: *Aqué - Dinheiro
Quanta informação para um só título, hein? A dupla de violoncelistas 2Cellos lançará no dia 15 de janeiro o seu segundo CD, intitulado "In2ition", e o disco contará não só com versões para conhecidos hits dos mais variados gêneros (de The Police à Rihanna) como também com alguns vocais conhecidos e, entre eles, temos a atriz e cantora da série "Glee", Naya Rivera, fazendo um inusitado cover de "Supermassive Black Hole" da banda Muse.

Musicalmente falando, o casamento rolou muito bem e Naya sempre arrasa quando seu chamado é cantar, mas é válido ressaltar que o clipe não é ótimo. Tem suas cenas bacanas e momentos que nos fazem pensar "nossa, que coisa legal!", mas também tem cenas que nos fazem lembrar de "Radioactive" da Rita Ora e isso não é nada bom. Olha só:

Naves espaciais foram feitas pra voar, né? "Supermassive Black Hole" é a segunda música de trabalho do 2Cellos com o "In2ition" (lê-se "intuition"), sucedendo o cover da dupla para "Highway to Hell" do AC/DC.