Mostrando postagens com marcador billboard. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador billboard. Mostrar todas as postagens
Ela conseguiu! Após o lançamento surpresa do disco “folklore” na semana passada, Taylor Swift conseguiu estrear a canção “cardigan” no topo da Billboard Hot 100, a principal parada americana de singles.



Segundo atualizações divulgadas nessa segunda-feira (03), a loirinha não só colocou “cardigan” em #1 como também estreou “the 1” já no top 5, em #4, e “exile”, sua parceria com Bon Iver, em #6.

E vamos de recorde: com a estreia de “cardigan” no lugar mais alto da parada, Taylor Swift se torna a primeira artista da história a estrear simultaneamente um single e um álbum em #1 nos dois principais charts da Billboard.

No total, Taylor Swift tem agora seis canções número 1 na Hot 100: “We Are Never Ever Getting Back Together”, “Shake It Off”, “Blank Space”, “Bad Blood”, “Look What You Made Me Do” e, claro, “cardigan”.

Será que o “folklore” ainda vai ter um novo single em #1? Porque nós vemos potencial em várias faixas.

Lil Nas X quer o mundo? A gente te dá.

O maior hit do ano até aqui, “Old Town Road” foi mais longe do que qualquer um imaginaria no início do seu sucesso e, nesta segunda (22), se consagrou entre as maiores músicas na história da Billboard Hot 100, igualando o recorde de Mariah Carey e Luis Fonsi com 16 semanas no topo da parada.

Antes sucesso como viral, a canção de Lil Nas X já completa sua 20ª semana na maior parada dos Estados Unidos, e após remixes com nomes como Billy Ray Cyrus, Diplo, Young Thug e até Mason Ramsey (todo mundo já viu aquele vídeo dele cantando no Walmart) segue firme na possibilidade de ir além e quebrar o recorde de Mariah Carey, mantido pela faixa “One Sweet Day” desde 1995.

Em anos anteriores, principalmente pós-ascensão dos streamings na contabilização das paradas, hits de Drake, Ed Sheeran e Black Eyed Peas chegaram perto de ameaçar a marca de Mariah, mas nenhum foi tão longe quanto Luis Fonsi, que se equiparou a cantora em 2017, com “Despacito”, e agora Lil Nas.


A marca é importante não apenas pelo recorde em si, mas também pela guerra travada pela própria Billboard contra o artista negro e LGBTQ durante sua ascensão. “Old Town Road”, apesar do sucesso, foi barrada da parada country da revista, após alegarem não possuir elementos o suficiente para se enquadrar no gênero. Acusada de racismo, a revista manteve sua decisão e, como resposta, teve o primeiro remix do hit, com o cantor country Billy Ray Cyrus, e, daí em diante, ninguém o parou.

No Twitter, onde é usuário assíduo, o artista até brinca com sua conquista e a importância dos remixes para alcançá-la, tendo, inclusive, convidado Mariah Carey para uma eventual nova versão do sucesso, além de nomes como Dolly Parton e até a animação “Peppa Pig”.


Neste ano, Lil Nas X lançou seu primeiro EP, “7”, e trouxe nele duas apostas para manter os bons números de “Old Town Road”: seu próximo single, “Panini”, e a parceria com Cardi B em “Rodeo”.


O Billboard Music Awards de 2018 trouxe performances para agradar a todos os gostos e gerações. De BTS à Janet Jackson, Dua Lipa à Salt'n'Peppa, foram 14 performances de artistas queridinhos dos charts e ícones que a indústria não está pronta para esquecer. Confira os nossos destaques!

Ariana Grande abriu a premiação bem Mary Poppins com milhares de guarda-chuvas em sua performance de "No Tears Left To Cry", a primeira do single em uma premiação.


Kelly Clarkson foi a apresentadora da noite e subiu ao palco para cantar um medley dos maiores hits do ano, incluindo "Humble", do Kendrick Lamar, "Finesse", do Bruno Mars com a Cardi B, "Shape of You", do Ed Sheeran, e outros destaques dos charts.



A fada Dua Lipa surgiu em cima de um flamingo gigante para não deixar ninguém esquecer das suas "New Rules". A apresentação da cantora marcou a sua estreia em uma premiação americana, com o hit que já completa 41 semanas nos charts da Billboard.



A dupla Chainsmokers levou o Top Dance/Eletronic Artist e dedicaram o prêmio a Avicii. Eles ainda entregaram junto com a Halsey o Best Hot 100 Song para "Despacito", antes com um discurso sobre a morte do produtor e como é importante estar atento e apoiar pessoas queridas que possam estar enfrentando dificuldades com a própria saúde mental.

Taylor Swift levou os prêmios de Best Female Artist e Top Selling Album para "Reputation". Durante o seu discurso, agradeceu às artistas femininas da música que abriram caminho na indústria para que cantoras como ela possam "fazer o que fazem, do jeito que querem fazer".

Khalid recebeu o prêmio de Best New Artist, e subiu ao palco com Normani para uma performance no estilo sexy hot de "Love Lies". A ex-Fifth Harmony mostrou que não só tem um vocal fantástico como é também super talentosa dançando.



Shawn Mendes performou "In My Blood" e voltou ao palco com Khalid para cantar o feat "Youth", em homenagem às vítimas do mais recente tiroteio em um colégio nos Estados Unidos, que aconteceu na última sexta-feira (18) em Santa Fé, no Texas. Os dois foram acompanhados pelo coral do colégio Stoneman Douglas, da Flórida, que passou pela mesma tragédia em fevereiro desse ano.


Os BBMAs ainda receberam duas apresentações à distância: Ed Sheeran cantou "Galway Girl" ao vivo de um show na Irlanda, e Kesha e Macklemore cantaram "Good Old Days" direto da turnê dos dois pelos Estados Unidos na T-Mobile Arena.

O momento mais esperado da noite foi com certeza a primeira performance ao vivo de Christina Aguilera e Demi Lovato com o hino "Fall In Line". A apresentação contou com vocais poderosíssimos das duas e um exército (literalmente) de dançarinos, em uma performance super dramática e memorável para a carreira das duas.



JLo nunca decepciona e trouxe uma performance opulenta para o seu novo single, "Dinero", acompanhada de DJ Khaled e projeções de Cardi B, que não esteve presente na apresentação.



Janet Jackson foi também um dos destaques da noite, homenageada com o Icon Award. Há quase uma década sem se apresentar em premiações, a irmã de Michael mostrou que é um ÍCONE mesmo, e performou alguns de seus maiores hits em uma apresentação cheia de energia e coreografias incríveis.



Camila Cabello botou fogo no palco junto a Pharrell Williams, em uma apresentação de "Sangria Wine", single lançado pelos dois na última sexta (18). Camila ainda cantou o hit "Havana", que já completou 39 semanas no Hot 100, e recebeu um dos mais especiais premios da noite, o Billboard Chart Achievement Award.



E para a alegria dos milhões de fãs ao redor do mundo, BTS fez a sua estreia na premiação com uma apresentação super divertida de "Fake Love". O fenômeno do KPop ainda levou o prêmio de Top Social Artist, pelo segundo ano seguido.



A noite foi encerrada com a entrega do prêmio de Top Artist para Ed Sheeran, e uma icônica reunião do supergrupo Salt'N'Peppa. As integrantes originais se reuniram para apresentar "Let's Tal About Sex","Push It" e ainda trouxeram as maravilhosas do En Vogue para cantar "Whatta Man", todos hits que fizeram um sucesso enorme no começo dos 90. A vibe da apresentação trouxe todo o espirito da década, com muita cor, jeans rasgados e hip-hop clássico.



Quais foram as performances preferidas de vocês no BBMA 2018? Contem pra gente aqui embaixo!




Hit campeão de teorias nas redes sociais, "This Is America", do Childish Gambino, fez a sua estreia na Billboard alcançando a primeira posição do Hot 100. O clipe brutal do single foi lançado na semana passada durante a sua performance como artista convidado no Saturday Night Live e, desde então, a internet não parou de compartilhar teorias sobre simbolismos ocultos no vídeo.

O brasileiro não tem limites e já criou uma versão funk para “This is America”

Que o clipe é uma resposta direta à vivência violenta entre o racismo e as armas nos Estados Unidos, já ficou bastante claro. Mas muitos "textões" e álbuns de prints foram compartilhados ao longo das duas últimas semanas analisando cada movimento de Gambino.

As coreografias do clipe, por exemplo, que acontecem à frente de cenas extremamente violentas, foram interpretadas por muitos como uma crítica sobre a população negra ser colocada como espetáculo nos Estados Unidos, com a sua cultura "abraçada" pelo mainstream enquanto a vivência violenta de ser negro no país não é sempre levada em consideração, ou mesmo combatida. O questionamento que surge agora é: os textões interpretativos do clipe, que agora se reproduzem sem parar, não estão acontecendo de forma muito semelhante? Quanto da reflexão real sobre o racismo se perde em compartilhamentos, textos copiados com análises de cada expressão facial de Gambino e clickbaits?

"This Is America" ganhou o primeiro lugar na Billboard desbancando "Nice For What", do Drake, que já completava 4 semanas no topo do chart. Será que a internet sustenta essa liderança?

Chegamos ao final do ano, o que significa que é hora da Billboard liberar o tradicional Year End Chart, listas de fim de ano que apontam os maiores artistas, músicas e discos, baseado nas posições e estabilidades dos mesmos em diversos charts.

Sem surpresas, o Year End Chart de 2017 comprova que esse foi um ano bem ruim para as mulheres.

Entre as top músicas da Hot 100, para que contabiliza vendas, streamings e spinns de rádios pra contabilizar as principais canções do ano, por exemplo, encontramos apenas uma canção com a participação de uma mulher, sendo esta “Closer”, do The Chainsmokers com a Halsey. Confir ao ranking completo:

1. Shape Of You – Ed Sheeran
2. Despacito – Luis Fonsi & Daddy Yankee feat. Justin Bieber
3. That’s What I Like – Bruno Mars
4. HUMBLE. – Kendrick Lamar
5. Something Just Like This – The Chainsmokers & Coldplay
6. Bad And Boujee – Migos feat. Lil Uzi Vert
7. Closer – The Chainsmokers feat. Halsey
8. Body Like A Back Roud – Sam Hunt
9. Believer – Imagine Dragons
10. Congratulations – Post Malone feat. Quavo


Na parada de Top Artistas, a situação é ainda pior. Não há nenhuma mulher no Top 10, e a primeira cantora a aparecer no ranking é Ariana Grande, em 15º lugar. No Top 20, apenas mais uma mulher dá as caras: Rihanna, em 20º. Vale lembrar que ambas lançaram seus últimos discos em 2016. Tá sofrido.

Essa é a lista geral dos principais artistas de 2017:

1. Ed Sheeran
2. Bruno Mars
3. Drake
4. Kendrick Lamar
5. The Weeknd
6. The Chainsmokers
7. Justin Bieber
8. Future
9. Shawn Mendes
10. BTS

E essa é a lista de artistas femininas de 2017:

1. Ariana Grande
2. Rihanna
3. Halsey
4. Taylor Swift
5. Lady Gaga
6. Alessia Cara
7. Selena Gomez
8. Demi Lovato
9. Adele
10. Katy Perry



Na lista de Top 200 álbuns, a situação é praticamente a mesma. A primeira cantora a aparecer é Rihanna com seu "ANTI", lançado no início de 2016. Ela chegou 23º lugar. Confira o Top 10:

1. DAMN. – Kendrick Lamar
2. 24K Magic – Bruno Mars
3. Starboy – The Weeknd
4. Divide – Ed Sheeran
5. Drake – More Life
6. Soundtrack – Moana
7. Post Malone – Stoney
8. Migos – Culture
9. Original Broadway Cast Recoring – Hamilton: An American Musical
10. J. Cole – 4 Your Eyez Only

Já começamos nossas orações para o Year End Chart de 2018 ser melhor. 
YAS BISH! Nicki Minaj alcançou um novo patamar no mundo da música. A cantora trinidiana agora é a mulher com mais hits na Billboard Hot 100, possuindo 76 aparições na parada musical. O último recorde, pertencente à ilustre Aretha Franklin, foi de 73, quando "Break It To Me Gently" entrou no jogo em junho de 1977, concedendo a ela 58 anos de reinado na lista!

A conquista só foi possível devido ao debut da parceria de Onika com Gucci Mane, "Make Love", ao lado de seus recentes lançamentos: "No Frauds", "Regret In Your Tears" e "Changed It", que pegaram, respectivamente, as posições #14, #61 e #71.


É bacana ressaltarmos que, apesar do longo processo de segregação racial na indústria, o recorde foi quebrado mais uma vez por uma artista negra, sendo que a última cantora que esteve perto de batê-lo foi Taylor Swift. Como você pode conferir no ranking abaixo:

1) Nicki Minaj (76)
2) Aretha Franklin (73)
3) Taylor Swift (70)
4) Rihanna (58)
5) Madonna (57)

Das 76 músicas que concederam o recorde à artista, 32 são autorais e 44 são participações especiais. No ranking geral, o topo fica com a série Glee (com 207 entradas na parada), seguida dos rappers Lil Wayne (135) e Drake (133).

Vale lembrar que Minaj ainda pode dar as caras pela Hot 100 com sua mais nova parceira com o DJ David Guetta e o rapper Lil Wayne, "Light Up My Body", lançada no último dia 23.



É pra aplaudir de pé, gente! A cantora Jojo levou dez anos até que lançasse seu terceiro disco, sucessor de “The High Road” (2006), e após o fiasco comercial do EP “III”, lançado no ano passado, estreou no top 10 da Billboard Hot 200 com o álbum “Mad Love.”.



O disco, atualmente promovido pela parceria com Wiz Khalifa, “Fuck Apologies.”, marca uma importante fase na carreira dela, que ficou presa por um contrato durante a última década, impossibilitada de investir em novos lançamentos e, por conta disso, atrelada ao hit “Too Little Too Late”, o que chega a ser tragicamente cômico.

“Mad Love.” estreou na sexta posição da parada americana, com um total de 25 mil cópias vendidas, como mostramos a seguir.

1. Kings of Leon - "Walls" (77 mil cópias)
2. Drake - "Views" (40 mil cópias)
3. Suicide Squad - "OST" (35 mil cópias)
4. The Game - "1992" (32 mil cópias)
5. Twenty One Pilots - "Blurryface" (26 mil cópias)
6. JoJo - "Mad Love." (25 mil cópias)
7. Broadcast Cast Recording - "Hamilton" (23 mil cópias)
8. Ariana Grande - "Dangerous Woman" (22 mil cópias)
9. Travis Scott - "Birds in the Trap Sing McKnight" (21 mil cópias)
10. Green Day - "Revolution Radio" (21 mil cópias)

O novo disco de Jojo chegará às lojas brasileiras no dia 18 de novembro, mas já está disponível nas principais plataformas de streaming – sim, nós estamos falando do Spotify. Além de Wiz Khalifa em “Fuck Apologies”, “Mad Love.” conta com a participação de Alessia Cara na faixa “I Can Only”.

Se “Cheap Thrills” existe, graças a Deus, por que existe?


Enquanto promovia o disco “This is Acting”, composto por músicas que ela escreveu para outras artistas, a cantora australiana Sia afirmou que via nessas músicas potencial para conquistar as paradas e, com esse CD, provaria estar certa, entretanto, singles como “Alive” e “Bird Set Free” não caíram tão facilmente na graça do público, ainda que sejam músicas realmente incríveis.

Eis que, quase cinco meses após o seu lançamento, o segundo single oficial do CD, “Cheap Thrills”, cumpriu a profecia e, em sua versão remix, com o rapper Sean Paul, alcançou o PRIMEIRÍSSIMO lugar da Billboard Hot 100, se tornando o maior sucesso da carreira de Sia. A notícia foi dada agora há pouco pela Billboard e vale para a próxima atualização da parada, que acontece no próximo dia 6.


Por muito tempo impulsionada por seu lyric video, “Cheap Thrills” vem ganhando espaço na parada americana há algum tempo e, nesta semana, ganhou o peso das rádios, destronando Drake e sua “One Dance”, que permaneceram no primeiro lugar da lista por invejáveis 10 FUCKING semanas.


O reinado de Sia e “Cheap Thrills” tem tudo para durar algum tempo e, estando na primeira posição, significa também alguns números que valem ser mencionados. Como o fato da música ser a primeira de uma artista feminina com mais de 40 anos a atingir o topo das paradas desde 2000, quando o #1 foi ocupado por Madonna e a sua “Music” – anteriormente, apenas Cher havia conseguido esse feito, com a música “Believe”, em 1999. Além de ser também o primeiro grande hit com Sean Paul em mais de 10 anos.

Com “One Dance”, Drake se manteve firme no segundo lugar, graças aos números de plataformas como Spotify e Apple Music, enquanto Rihanna e Calvin Harris fecham o top 3 com “This Is What You Came For”, se mostrando um nome em potencial para continuar rumando ao topo. Quem começa a ladeirar é Justin Timberlake e a sua “Can’t Stop The Feeling”, atualmente em #4, e The Chainsmokers segue relativamente estável com “Don’t Let Me Down”, atualmente na quinta posição.


Duas das estreias mais importantes da última semana começaram bem nas paradas. Katy Perry e o seu hino olímpico, “Rise”, debutou na 11ª posição, com seu videoclipe prestes a ser lançado e algumas especulações quanto a uma performance na abertura do VMA 2016, enquanto Britney Spears e o rapper G-Eazy conquistaram o 17º lugar com “Make Me”.


A corrida pelo título de hit do verão americano está mais agitada do que nunca.

PARABÉNS, SIA! <3

Os números não mentem: a carreira solo de ZAYN é um sucesso!

Seu álbum de estreia, o ótimo "Mind of Mine", lançado no dia 25 de março, estreou no topo dos EUA, com respeitáveis 157 mil cópias vendidas (é atualmente, também, #1 no UK) e vem colecionando elogios da crítica mundo afora, principalmente por se desprender completamente da antiga imagem de membro de uma boyband extremamente pop, como o One Direction.



Se com "PILLOWTALK", primeiro single em carreira solo, ZAYN quebrou recordes, se tornando o primeiro artista na história a lançar o lead da carreira diretamente no topo das paradas, com o álbum, a história não foi muito diferente e novas marcas foram quebradas. Nós listamos cinco delas, que são feitos respeitáveis da curta, porém, já promissora carreira solo do nosso bad boy favorito de Bradford, confira:


1) Com "Mind of Mine", ZAYN se torna o primeiro artista masculino britânico, na história, a estrear no topo com seu primeiro álbum.

2) E mais que isso, é o primeiro artista estreante masculino e britânico a alcançar a #1 nos EUA, em quase 30 anos - desde George Michael, com seu "Faith", em 1988, isso não acontecia (lembrando que Sam Smith e Ed Sheeran foram, no máximo, #2 e #5 com seus primeiros álbuns).

3) O cantor também é o primeiro britânico a ter o primeiro álbum, como grupo e depois solo, a ser lançado no topo - "Up All Night", com o One Direction, em 2012, e agora, com o "Mind of Mine".



4) ZAYN se igualou à Lauryn Hill e Clay Aiken por ter seu primeiro single e álbum a estrear no topo dos charts, respectivamente, com "Doo Wop (That Thing)" e "The Miseducation of Lauryn Hill", ambos em 1998; e "This is the Night" e "Measure of a Man", ambos em 2003.

5) Agora, o jovem britânico também se junta a um raro clube de artistas, que inclui Beyoncé, Justin Timberlake e Gwen Stefani. Todos eles tiveram sucessos comerciais, tanto com seus grupos e bandas, quanto como solos. Que demais!



Mesmo sem uma divulgação tão consistente do álbum até agora, conseguir tais feitos, já é gigantesco. Isso sem contar o primordial: o material é excelente e digno de muitas coisas boas ainda pela frente. Uma boa prova disso, é que o lead single, "PILLOWTALK", ainda não teve sequer uma performance ao vivo e, mesmo assim, já foi #1, está no Top 10 da Billboard há nove semanas e, nessa atual, subiu da 7ª para a 4ª posição. Um hit é um hit, né não?! Que começo de carreira!


No último sábado, 20, Rihanna completou 28 anos, mas parece que a cantora ganhou seu maior presente nessa segunda-feira, 22. No mesmo dia em que lançou os dois videoclipes para "Work", música em parceria com o Drake e primeiro single oficial do álbum, Rihanna subiu três posições no Hot 100 da Billboard e emplacou mais uma música no topo da parada.


Com essa conquista, Rihanna alcança a impressionante marca de catorze (C-A-T-O-R-Z-E) faixas que assumiram a liderança da Billboard, deixando Michael Jackson para trás e conquistando sua vaga no Top 3 de artistas com maior número de #1 na parada. Beatles e Mariah encabeçam a lista com 20 e 18 músicas, respectivamente. 

Será que a Rihanna, que teve seu primeiro hit lá em 2006 ("SOS"), pode se tornar a artista com mais músicas no topo da Billboard? Vamos acompanhar e ficar de olho, afinal, com 28 anos de idade e dez de carreira, Rihanna já está fazendo história. 



Vida longa à Rainha!
A espera parece que está chegando ao fim. A lenda urbana se tornará verdade. O clipe de "Do What U Want" ficará sozinho no limbo. A Billboard bateu o martelo e disse: sim, meus amigos, o "ANTI" sai essa semana. Você leu bem. O oitavo álbum da Bad Gal Riri sai ESSA SEMANA.

Após meses de antecipações, a barbadiana postou em seu Twitter que estava finalmente ouvindo seu álbum - com um fone de ouvido que custa o PIB de 14 países. De acordo com a publicação, o "ANTI" sairá de surpresa, provavelmente antes da próxima sexta-feira.
Caso você já tenha se esquecido depois de tanto rodar nesse grande Festival Promessas que virou a era "ANTI", o primeiro single, "FourFiveSeconds", parceria com Kanye West & Paul McCartney, foi lançada dia 24 de janeiro de 2015, isso mesmo, há mais de um ano. Depois veio o hino "Bitch Better Have My Money" e, por último, a esquecível "American Oxygen". O que será que Riri preparou para nós a partir de agora?


Lembrando que a "ANTI World Tour" começa no próximo dia 26 de fevereiro. Para finalizar, ainda segundo a Billboard, o tão aguardado e misterioso single de hoje é realmente da hitmaker de "Diamonds". Só queremos dizer que: Rihanna. Vem. Só vem.

Para uma publicação especial, a Billboard revelou uma lista com os 200 Maiores Álbuns de todos os tempos. Para chegar a essa conclusão, foram avaliados os desempenhos de todos os discos que entraram na Billboard Hot 100 e Billboard 200, desde 1958 e 1963, respectivamente. 

Entre os nomes mais fortes do pop, temos Adele e seu poderoso "21" em #1, Michael Jackson com seu clássico "Thriller" em #3 e Taylor Switf em #4, com o o "Fearless", seu segundo disco. Alguém ainda duvidada do sucesso desses três? No Top 10, temos ainda nomes como Alanis Morissette e Nickelback.


Dá só uma olhada no Top 10


A lista ainda traz alguns dos nossos álbuns preferidos também, como o ótimo “The Fame” da Lady GaGa, o delicioso “Spice” das Spice Girls, além do “The Emancipation of Mimi” da Mariah Carey, o “In The Lonely Hour” do Sam Smith e o “The Dutchess” da Fergie.


Justin Bieber, Ed Sheeran, Justin Timberlake, Britney Spears, Madonna e Cristina Aguilera também aparecem na lista. Confira a relação completa.

O seu álbum preferido foi um sucesso nas paradas e apareceu na lista? Conta pra gente!

Oi, gente, como vocês tão? Por aqui, tudo ótimo e repleto de novidades em mais uma edição do It Charts, que dessa vez, não contará com os comentários do Allan sobre o Hot 100, porque ele ficou tão chocado, que precisou de um tempo a mais para se recuperar. E adiantamos, que Justin Bieber continua regulando a tabela britânica, enquanto o The Weeknd confirmando que 2015 é mesmo O ANO dele, emplacando um novo smash hit e igualando um feito que só vimos com Taylor Swift esse ano. Então, bora conferir o que de melhor ocorreu nessa nova atualização dos dois maiores mercados fonográficos mundiais: a Official Charts, pelo UK, e o Hot 100, dos USA.

Gente, mas QUE tombo! Vem remix do Cedric Gervais! A Lana Del Rey não tem sorte com os EUA mesmo, né? Tadinha. A cantora nova-iorquina revelou há pouco o clipe do primeiro single do seu novo CD, “Honeymoon”, que é a canção “High By The Beach”, e seus fãs já estavam felizes da vida com a Billboard, que anunciou uma estreia da cantora na sétima posição da Hot 100, o que daria à ela o título de maior estreia feminina do ano na parada (!), mas não é que erraram? E erraram feio.

Olá, migas! É com muita animação que a gente começa mais um It Charts. A partir de agora, você fica sabendo das novidades dos dois charts mais badalados do mundo: o Hot 100 dos EUA e o Official UK Charts! Tem MUITA notícia boa essa semana! Uma delas é que, lá na terra do Tio Sam, o The Weeknd finalmente conseguiu destronar Cheerleader e assumiu o topo do Hot 100! Ainda nos EUA, o Major Lazer conseguiu um novo topo. O grande destaque da semana foi o One Direction, que lançou seu novo single no topo do chart britânico e no pódio dos EUA!! Sente o poder...

Hello, Hello, Hello! Como tradição de todo começo de semana, a partir de agora você fica sabendo das novidades dos dois charts de single mais badalados do mundo! Será que aquele single horrível finalmente sashay away do topo do Hot 100? E aquela girlband maravilhosa? Continua reinando na terra da Rainha?


Salve salve, galeris! A partir deste instante você fica por dentro de todas as novidades dos top 10 dos dois principais single charts do mundo. No UK Charts e no Hot 100 US as lideranças continuam as mesmas, nas mãos de Little Mix e OMI, respectivamente, mas temos algumas novidades sim... Além disso, láaaa no finalzinho do post, a gente vai te lembrar quais eram os dez principais singles dos EUA há 9 anos, em 2006! E você pode participar comentando o ano que quer recordar que na próxima semana nós realizaremos seu pedido! 
Quem está de volta em novo formato é o It Charts! A partir de agora, toda terça-feira você fica sabendo quais os maiores hits da semana no Reino Unido e nos EUA, os principais mercados fonográficos do mundo! A coluna, assinada por Maicon Alex (UK) e Allan Correia (EUA), também vai fazer um flashback semanal pra amostrar as nudes como estavam os charts em um passado distante... Ou não.

Nós avisamos.

Depois de doze, DOZE, D-O-Z-E, 12 SEMANAS de seu reinado na Billboard Hot 100, por causa da oportunista parceria com Charlie Puth em “See You Again”, Wiz Khalifa finalmente caiu para o segundo lugar da parada e, entre tantas coisas, manteve o título de Mariah Carey, única artista a encabeçar a lista americana por 16 semanas.



Na última semana, com Khalifa realizando sua 12ª semana no primeiro lugar da Hot 100, montamos uma lista com 5 canções que poderiam destronar o rapper e, sim, estávamos certos, já que nossa primeira aposta, a música “Cheerleader”, do cantor OMI, foi quem assumiu o topo, o que já era esperado, e nas posições abaixo também houveram movimentações favoráveis às nossas previsões, como a ascensão de The Weeknd e sua “Can’t Feel My Face”, que agora garante o terceiro lugar da lista, seguida de Taylor Swift (“Bad Blood”) e o novato Silentó (“Watch Me”), que fecham o top 5.

De certo, o reinado de OMI não deve ser tão longo o quanto de Wiz Khalifa, o que também é uma boa coisa para se pensar, e olhando nas posições mais baixas, não podemos deixar de notar o lento crescimento das Fifth Harmony, com “Worth It”, e Selena Gomez, com “Good For You”. Demi Lovato deve alcança uma posição maior após o lançamento do clipe para “Cool For The Summer”, podem printar, RS.



A nova atualização da Billboard Hot 100 é a primeira desde a inauguração da Friday New Music Releases, que oficializa o lançamento de músicas mundialmente às sextas-feiras. Desta forma, a revista também atualizou seu cronograma de contabilização, realocando a divulgação prévia da Hot 100 para todas as segundas-feiras.
O título de "maior artista feminina da história da música" não é de Madonna à toa. Dona de números impressionantes e recordes para dar e vender, a eterna Material Girl conseguiu mais um para sua coleção: ela agora é a cantora com mais músicas no topo de alguma parada da Billboard EVER!