Mostrando postagens com marcador Valesca Popozuda. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Valesca Popozuda. Mostrar todas as postagens
Por Leonardo Uller

E aí, Valesca, tudo bom? 

Quem tá falando aqui contigo é uma pessoa que tem o maior carinho pela sua trajetória e arte. Lembro quando, em 2012, fui pela primeira vez em um show seu (foram mais quatro, desde então): eu tinha acabado de me assumir gay em casa, estava numa fase super gostosa e você falou com todas as letras no seu show “se alguém mexer com os gays, mexeu comigo. Manda uma mensagem pra mim no twitter que eu vou ajudar como puder, homofobia não tá com nada”.

Na hora eu só pensei “caraca, que massa isso. Uma funkeira que se importa com a minha dignidade”. Desde então, veio o sucesso nacional em carreira solo com “Beijinho no ombro” e várias declarações bastante acertadas sobre feminismo e LGBTfobia. Mas me decepciona ver você virando as coisas para essas bandeiras agora, num momento em que esses temas efervescem no funk com o trabalho maravilhoso de pessoas como a MC Carol, por exemplo.

Depois de vários singles que não viraram hits e virais, incluindo uma parceria com a homofóbica Cláudia Leitte, e nenhum álbum completo, eis que você aparece com seu novo single: “Viado”. Que péssima escolha, Valesca. Vamos começar com o título, usando essa expressão perjorativa contra a comunidade homossexual. Entendo que você jamais quis ofender os gays usando o termo, mas isso não dá passe livre para você usá-lo em uma música. E nem para milhões de pessoas cantarem uma música com essa palavra que tanto machuca e estigmatiza a comunidade LGBT no Brasil.

Segundo problema, o teor da letra. Nela, você está narrando uma história para o seu amigo gay, o “viado”. Valesca, você precisa urgente saber de uma novidade: esse papo de que o gay tem que ser um acessório na vida das mulheres não tá com nada. É bem bacana que você tenha vários amigos gays, mas se você os trata como poodles, como faz nessa música, não tem nada de bacana nisso tudo.

Isso sem falar no clipe, né? Mais uma vez, a mesma história do boy magia e cheio de tanquinhos e bunda de fora. Nada contra gostar de um cara ABNT, mas essa higienização que a comunidade gay passa há anos, onde só os sarados e bonitos são valorizados é muito triste e faz muito mal pra muita gente (eu, inclusive). Padrões estéticos não devem ser impostos dessa maneira.



Se você algum dia ler isso, quero que leia de coração aberto. É a carta de um fã que, em 2012, se sentiu realizado e contemplado por seu trabalho e hoje está longe de se sentir assim. Tudo isso pra quê? Pra conseguir lucrar em cima da comunidade LGBT? Seu clipe e single não propõem um mínimo de reflexão sobre a comunidade gay e a homofobia, apenas mira no pink money e no reforço de estereótipos – vide a estratégia de divulgação, com o lançamento dentro de um site que nada aborda sobre o empoderamento feminino e LGBT.

Como alguém que admira o seu trabalho ou, na melhor das hipóteses, já admirou, te recordo: você é bem mais do que isso.

***

Leonardo Uller é jornalista, tem 22 anos, e foi o autor do trabalho de conclusão de curso “Empoderados: perfis de jovens gays fãs de divas do pop”, sendo também amante do trabalho de artistas como Adele, Beyoncé e Madonna.
Hoje em dia, o que não faltam são hits vindos do funk, né? Logo de primeira, já conseguimos pensar em “Baile de Favela”, “Malandramente”, “Tá Tranquilo, Tá Favorável” e por aí vai. E se reclamarem, a gente traz os clássicos também! Tipo “Boladona”, da Tati Quebra Barraco, “Eguinha Pocotó”, do MC Serginho, e “Agora Sou Solteira”, da Gaiola das Popozudas.

É mais ou menos nesse clima que vai funcionar o #SaquePancadão, que é mais uma inusitada modalidade da Parada Coca-Cola, que acontecerá nessa quarta-feira (16), com um grande show da Valesca Popozuda, acompanhada do cantor Buchecha e sob o comando de Becca Pires e Felipe Castanhari.

Nessa modalidade, nossos atletas bons de funk chegam inspirados no vôlei, com dois times: de um lado, os melhores funks da atualidade, e, do outro, alguns dos seus maiores clássicos. E serão com esses saques que eles terão a chance de nos surpreender, sendo TUDO transmitido pelo Facebook da Coca-Cola, além de conferirmos ainda os bastidores no Snapchat da MTV (mtvbrasil). #IssoÉOuro.

Na TV, o funk vai invadir o MTV Hits, que será inspirado na tag #SAQUEPANCADÃO com uma programação que promoverá a sarrada mais pop que você já viu.

O show da Valesca Popozuda na Parada Coca-Cola acontecerá na noite de hoje, às 21h15, e vale lembrar que o espaço da Coca no Armazém 3, no Porto Maravilha, segue aberto ao público até o dia 21, das 11 às 18h. 

A gente estava quase começando a cantar “Pretty Girls”, da Britney Spears com a Iggy Azalea, mas calma que a coisa aqui é entre loiras, só que não essas. Valesca Popozuda ainda não fala sobre um disco de estreia, mas tem entretido seus fãs com o lançamento de alguns singles avulsos que aproveitam bastante desta fase pop do funk, coisa que, pra ela, que pegou boa parte do tempo marginalizado do gênero, ainda é novidade, e depois de lançar músicas como o hit “Beijinho no Ombro” ou aquela que serviu de trilha sonora para um comercial da Veja, “Eu Sou A Diva Que Você Quer Copiar”, a cantora se prepara para começar a divulgação do seu lançamento mais recente, “Sou Dessas”, e não vem sozinha.
É a mistura do Brasil com o Egito, gente! A cantora Valesca Popozuda continua com seu plano de dominação mundial escorado nessa leva pop de um gênero que ela sempre soube fazer bem, o funk, e depois de singles como “Beijinho no Ombro” e “Eu Sou A Diva Que Você Quer Copiar”, a Beyoncé brasileira nos trouxe outro hino de aceitação com cunho feminista, agora dizendo que ela é dessas.
Quer ter corpo sarado, uma carreira de sucesso, viajar pra França e frequentar várias festas? Então vai trabalhar, vadia! Foi mais ou menos isso o que aprendemos com Britney Spears e o primeiro single do seu último álbum, "Work Bitch", e agora estamos refazendo a lição de casa, mas com o novo funk da Valesca Popozuda, que lançou nesta segunda-feira (18) o clipe de seu novo single, "Eu Sou A Diva Que Você Quer Copiar".

Não existe dúvida: o mundo é comandado pelas mulheres! Elas estudam, trabalham, pagam suas contas e ainda arranjam tempo para dançar, se divertir e aproveitar a vida com quem mais amam. Mas nem sempre foi assim. Algumas divas do universo pop, além de fazerem música boa e conquistarem uma legião de fãs, também foram responsáveis por fortalecer o poder das mulheres ao redor do mundo e marcar seu lugar na história. Nesse dia dedicado a elas, vamos conferir quem são as garotas que dominam o mundo?



ARETHA FRANKLIN
Lá nos anos 60, Aretha Franklin foi responsável pelo primeiro hino feminista do qual se tem registro, a inesquecível "Respect". Originalmente gravada pelo cantor Otis Redding, a cantora transformou parte da letra que, quando cantada por uma mulher, assumia um significado totalmente novo. A música virou símbolo da luta pelos direitos femininos nos EUA na época e Aretha se tornou ícone de uma geração de mulheres que queriam mais do que só cuidar da casa e dos filhos: queriam R-E-S-P-E-I-T-O!



MADONNA
Impossível falar da importância das mulheres no universo pop sem citar Madonna. A cantora, com suas roupas provocantes e sua atitude irreverente, provocou homens e mulheres ao redor do mundo todo ao expressar sua sexualidade sem nenhum pudor e causar muita polêmica! Até hoje, a artista é engajada em movimentos pela liberdade das mulheres e já arrumou confusão até com o presidente da Rússia por causa disso!



CYNDI LAUPER
Na mesma época que Madonna aparecia, outra cantora também ganhava espaço ao emplacar um hit que falava sobre garotas que só queriam se divertir. Cyndi Lauper queria poder se vestir como quiser, se divertir e correr livre pelo sol sem que nenhum garoto a impedisse, e serviu de inspiração para muitas outras meninas se sentirem bem com elas mesmas!


SPICE GIRLS
O grupo britânico dos nos anos 90, além de contar com 5 garotas bonitas e estilosas, foi responsável por criar o termo "girlpower". As Spice Girls esfregaram na cara de todo mundo que uma menina pode querer sim sair com um cara só por diversão e mostraram quem é que manda no pedaço! Falar abertamente de sexo, amor e qualquer coisa relacionada ao universo feminino em suas canções não era nenhum tabu para elas, que abriram espaço para tantos outros grupos nos anos que seguiram.



SHANIA TWAIN
"Cara, eu me sinto como uma mulher!" Foi essa a declaração definitiva que Shania Twain precisou para assumir o controle da música country nos EUA durante os anos 90 e 2000. O estilo, fortemente dominado por homens, teve que engolir uma mulher bonita, poderosa e que bombou mais que qualquer artista masculino na época com suas músicas de exaltação feminina!



P!NK
A atitude punk e agressiva de P!nk foi responsável por transformá-la numa das artistas de maior impacto e visibilidade da nossa geração. A cantora nunca fez o estilo gostosona ou garota certinha e talvez seja por isso que tenha conseguido se destacar tanto. P!nk sempre defendeu o poder feminino em suas canções e espalhou mensagens que incentivavam outras garotas a se sentirem bem para ser exatamente do jeito que elas querem.



CHRISTINA AGUILERA
Em 2002, ao lançar seu segundo álbum, Christina Aguilera chocou a todos com muita nudez e sexualidade à flor da pele. Muitos a julgaram e olharam feio, mas qual é o problema de uma mulher demonstrar que sente prazer e ser dona do seu próprio corpo? Da era "Stripped" pra cá, Aguilera continua defendendo a liberdade feminina e já marcou seu nome entre os principais ícones do girl power dessa geração.



BEYONCÉ
Tudo começou no Destiny's Child quando ela dizia que era uma mulher independente e que pagava as próprias contas. De lá pra cá, Beyoncé já afirmou que nenhum cara é insubstituível, já foi uma solteira orgulhosa e no seu álbum mais recente, conseguiu explorar todos os detalhes da sua postura feminista em cada uma das faixas. No quesito empoderamento das mulheres, Beyoncé é flawless!



NICKI MINAJ
Muitos podem discordar com a presença dela na lista, mas conquistar espaço no cenário do rap e do hip hop sendo mulher é uma tarefa para poucas e Nicki Minaj já garantiu seu lugar ao sol! Com estilo marcante e abusando de sua feminilidade, a cantora conquistou uma legião de fãs e atualmente, consegue faturar mais e lotar mais shows que alguns importantes rappers homens.



MILEY CYRUS
Miley é muito mais do que twerk e marijuana. Ao se vestir com o mínimo de roupas possíveis e abusar da sua sexualidade, a cantora prova que as garotas podem fazer o que bem entenderem do seu corpo porque tem toda a liberdade para isso! Miley não tenta ser feminista ou pregar nenhuma mensagem, mas suas ações já geraram muita repercussão e no ano passado, muitas das críticas à sua performance no VMA, só provaram como o mundo, infelizmente, ainda é muito machista.



E NO BRASIL?
Valesca Popozuda deseja a todas suas inimigas, vida longa! Quando se trata de liberdade sexual e libertação da mulher, a funkeira é só tiro, porrada e bomba! Falar abertamente de sexo e prazer pode ser tabu para muitas meninas, mas Valesca, com certeza, está ajudando a mudar essa história. Ao contrário do que muitos pensam, o funk tem sim seu lado bom!


O mundo precisa das mulheres e todas elas têm um recado a dar. Parabéns a todas essas cantoras que ajudaram a afirmar a posição das garotas na sociedade e parabéns a todas as meninas que lerem esse post e se sentirem inspiradas por essas divas. VIVA LONGA AO GIRL POWER!

O tão aguardado momento aconteceu. Com todo o hype em cima do seu novo single, "Beijinho no Ombro" (já assistiram ao clipe?), a funkeira mais legal desse Brasil, Valesca Popozuda, subiu ao palco do programa Encontro, das manhãs da Rede Globo, para mostrar como é que se faz para as recalcadas. 

Até o momento, ainda não se sabe se "Beijinho no Ombro" antecede ou não o lançamento de um disco completo da Valesca, mas na internet o sucesso da canção é inegável e o mesmo promete se repetir pelos outros veículos. Atualmente exibido sem sua apresentadora, Fátima Bernardes, o Encontro desta sexta-feira (10) contou com diversas atrações do funk carioca, entre elas o DJ Marlboro e o menino MC Gui (esse a gente não suporta, mas enfim), mas foi Valesca quem endeusou a edição, com uma performance da sua atual música de trabalho.

Infelizmente, a estrutura do programa só permitiu que a apresentação fosse tão ao vivo quanto aquelas da Britney Spears com sua última turnê ("não era playback e sim base!11"), mas ainda assim, ter Valesca cantando uma música como essa e com todo esse apelo pop num horário relativamente disputado e bem "família" é impagável. Confiram:



É válido ressaltar que essa não é a primeira performance televisionada da canção, que já foi apresentada também no Legendários e Sábado Total, respectivamente da Record e Rede TV.

Pela internet, um vídeo que fez "Beijinho no Ombro" voltar a ser assunto foi dessa menina, que resolveu interpretar a canção numa versão acústica/quase indie, ao som de um ukelele (é tipo um cavaquinho, só que hipster). Nós não sabemos bem a razão, mas gostamos. É tipo a Clarice Falcão cantando um hino sobre expulsar as invejosas e isso parece legal, certo? Olhem só:


Depois de muitos adiamentos e quase virando a "Put It In A Love Song" do funk, Valesca Popozuda finalmente liberou hoje (28) seu clipe para o single-encerrador-de-vidas "Beijinho No Ombro", e tá super produção!


Valeixxxxca está num castelo medieval digno do seu título de Rainha do Brasil, e começa com a seita contra o recalque chegando no tal castelo. Coreografando a música com azamiga e mandando o recado para as mandadas, o clipe, com quase oito minutos de duração contando com os longos créditos, ficou padrão diva internacional, e a dona do popô GG mais amado do país mostra que sim, dá pra fazer música popular divertida e bem feita, e com esse clipe bregão, cafona e ostentador, tudo no melhor sentido, já sentimos pelas invejosas de plantão. VMA de "Melhor Coreografia", sim ou claro? Ainda temos cenas com um falcão e um tigre, numa clara indireta à Katy Perry ("Unconditionally" e "Roar", respectivamente), cuidado Kátia! N

Assistam ao clipe da galáxia e aprendam a coreografia pra próxima rival que passar perto do seu camarote.


Vocês estão ouvindo o choro? É das inimigas. Se tem uma brasileira que realmente tem condições de bater de frente com nomes como Lady Gaga, Britney Spears, Katy Perry e etc, essa é a chora, Wanessa Valesca Popozuda. A funkeira, talvez um tanto insatisfeita com a forma com que compraram o funk industrial da Anitta, não é de lançar novos singles com muita frequência, mas quando volta é pra tornar difícil o dia das suas concorrentes e assim fez quando surgiu com "Beijinho No Ombro".

O mais legal é que, se não bastasse o quão boa é a música nova, ela resolveu nos presentear com um videoclipe, que não sairá em um canal VEVO, mas chegará em breve até nós. Pelas fotos divulgadas anteriormente, já dava pra esperar por uma produção e tanto, mas a gente só confirmou esse pensamento nesta quinta-feira (21), quando Ms. Popozuda revelou uma prévia com alguns segundos do clipe novo. Olhem só:


Eita nós! Ritual de iniciação Illuminati pra barrar o recalque das inimigas? Comercial da turnê Mrs. Carter Show da Beyoncé? Superprodução. Se só com a prévia já ficamos assim, imaginem quando sair o clipe. Por enquanto, a gente fica apenas com o áudio do hino do milênio (que é, inclusive, o primeiro single solo da Valesca, tá?). Ouçam "Beijinho No Ombro":


CHORA ANITTA, CHORA! A rainha do funk/pop/bunda/do-que-ela-quiser Valesca Popuzuda está de volta para mostrar quem manda no cenário musical brasileiro. O novo single da Sra. Nádegas é Beijinho No Ombro, e ela utiliza todos os modismos do momento do internetês para criar o hino descabelador de inimigas!

"Late mais alto que daqui eu não te escuto" HAHAHAHA! Não havia pessoa melhor para criar um hino instantâneo assim, só Valeixxxxca. Com flerte entre o funk e o pop (algo feito por Anitta em Show das Poderosas), a música é recheadinha de frases de efeito, como "O meu sensor de piriguete explodiu" e "Beijinho no ombro, o recalque passa longe", o que garante apelo popular instantâneo (já é o toque do meu smartphone, bebê) - e tem até partes que parecem indiretas para Anitta, fica vai ter treta!

Ouça agora Beijinho No Ombro, mas antes, um recado: DESEJO A TODAS AS INIMIGAS VIDA LONGA PRA QUE ELAS VEJAM A CADA DIA MAIS NOSSA VITÓRIA!

Tem como não amar esses mashups com os clássicos da Valesca Popozuda?! Depois de ~dividir~  vocais com nomes como Lady Gaga e Katy Perry, chegou a vez de Valesca Popozuda investir no cenário indie, que ultimamente está bem mainstream, e sair numa parceria com nossa querida Marina & The Diamonds.

A inusitada parceria rolou num mashup do brasileiro Bruno Rommel, que uniu "Power & Control", do mais recente álbum da Marinete, com "Agora Virei P*ta" e "Minha B*ceta É O Poder", da Valesca. O mashup, intitulado "Power & Consolo", ficou uma bagaceirice pura e ainda ganhou uma capa genial, com Valesquinha no melhor estilo "Electra Heart". Valesca & The Bijuterias?! Ouça abaixo "Power & Consolo":

[via Papel Pop]
Depois de Kelly Key e Wanessa Camargo, chegou a vez de mais uma ~cantora~ brasileira investir num pop para o cenário gay e adivinha de quem estamos falando?! Sim, da funkeira, ex-"A Fazenda" e líder da Gaiola das Popozudas, Valesca Popozuda. Depois da polêmica "Mama", que conta com a participação do Mr. Catra, a cantora convidou a personalidade da mídia, David Brazil, para dividir com ela os vocais de "Sou Gay", que é seu novo single.

Aproveitando todo o buzz do Mês do Orgulho Gay, Valesca Popozuda faz como Pepê e Neném e confessa ser gay, ou melhor, ser free. Assim como alguns recentes singles americanos, "Sou Gay" começa com uma voz abafada discursando algo. A voz em questão? De David Brazil. O discurso? A lei PLC 22, que criminaliza a homofobia. Toda essa bagaceirice pop é mais que válida para as pistas e desculpa, sociedade, mas (sou hétero e) gostei. Ouça "Sou Gay" abaixo:

"Muita polêmica, muita confusão, resolvi parar de cantar palavrão", diz Valesca Popozuda em seu novo single, "Mama". A funkeira e ex-participante do reality "A Fazenda", está de volta aos palcos com o grupo Gaiola das Popozudas e agora trás uma nova proposta para sua gaiola.

Assim como Lady Gaga tem feito nos EUA, a brasileira quer acabar com alguns preconceitos que ainda rolam em solos tupiniquins e incluir uma integrante transexual no Gaiola das Popozudas. Ariadna, pfvr! Valesca revelou seus novos planos pelo Twitter e como conta o Spotlight Interatividade, afirmou:

"Inscrições para dançarinas transex, maiores de 18 anos. Enviem fotos de corpo e de rosto para o email rubinho@gaioladaspopozudas.com.br. Quero quebrar a barreira contra os homosexuais, vou colocar uma dançarina transex na Gaiola das Popozudas. E mais uma coisa, vai ser linda e poderosa"
Por mais que alguns realmente vejam isso como uma forma de quebrar as tais barreiras, acredito que Valesca e sua equipe estejam aproveitando todo esse lance do preconceito para retornar à midia e o pior é que pode acabar dando certo.
O Zeca Pagodinho e uma marca famosa de cerveja, convidaram Jennifer Lopez para "sapucar" em solos tupiniquins e a cantora de "On The Floor" logo topou: "Tô dentru, Pagodíniu!", mas, a funkeira, sub-celebridade e ex-Fazendeira, Valesca Popozuda, não ficou muito feliz com a vinda de Jennifer Lopez para a terra da Tia Dilma:

"Se nós aparecermos juntas no setor popular, vou ter pena dela. A galera só vai gritar meu nome”, soltou Valesca confiante e completou: “Jennifer Lopez? Gosto, mas prefiro Beyoncé”
Dona de um dos bumbuns mais estranhos invejados deste Brasil, Valesca fez a polêmica declaração em entrevista à seção "Gente", da Revista Veja, e eu aqui achando que a rival de Valesca neste Carnaval seria a Índia Potira do "Programa do Gugu"...




Quem ficou animada com a visita de Jennifer foi a "Mulher Rica", Narcisa, olha só do que estou falando:



A atriz, modelo, cantora, dançarina, ex-fazendeira, empresária, polêmica, super comentada e desejada, Valesca "Popozuda", se vestiu de Mamãe Noel para animar o natal das criancinhas da favela da Rocinha, no Rio de Janeiro.
Infelizmente, Popozuda não cantou nenhum de seus hits, mas contribuiu na distribuição dos presentes que contou ainda com a participação de Wagner Love. É gente... diva é diva, né? Se você não entendeu o motivo deste post estar no It Pop, dê uma olhada no calendário: 2012 está chegando.