Mostrando postagens com marcador MC Rita. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador MC Rita. Mostrar todas as postagens
Já faz quase um ano desde que falamos pela primeira vez sobre a MC Rita aqui no blog. Na época, a menina tinha viralizado com um vídeo amador no Facebook, em que cantava uma música inédita, chamada “Dedo no Gatilho”, e logo que os números de suas redes sociais cresceram, chamou a atenção de alguns produtores do funk, que toparam colocá-la em estúdio.

De lá pra cá, ela chegou a lançar algumas canções e trabalhou, inclusive, com alguns produtores conhecidos no cenário do funk, como o Jorgin, responsável pelo hit “Deu Onda”, mas foi só nesse ano que deu um dos passos mais promissores da sua breve carreira até aqui, com a estreia de “Amor de Verdade”, que é a sua parceria com o funkeiro MC Kekel.

Assim como Rita, Kekel também vem da favela, e desde o seu primeiro hit, em 2016, se consolidou como um dos maiores nomes do funk paulista, sendo a voz por trás de sucessos como “Meiota”, “Namorar pra quê”, “Quem mandou tu terminar?”, “Acordei meio sem jeito” e “Partiu”, que talvez você não reconheça pelos nomes, mas, com certeza, já escutou.

Agora, os dois se unem na faixa “Amor de Verdade” que ganhou um clipe dirigido pelo Kondzilla e, atualmente, já está entre as cinco mais ouvidas do Brasil no Spotify. 

Assista ao clipe abaixo:



Gente, que hino! Na contramão dos trabalhos anteriores dos dois artistas, essa parceria se distancia do papo de desapego para uma conversa bem mais apaixonada, enquanto também deixa os beats dançantes do funk de lado, para apostar numa melodia mais devagar, pra dançar agarradinho mesmo.



No Spotify, a faixa já conta com mais de 750 mil execuções até o momento em que finalizamos essa matéria; já seu clipe, no Youtube, ultrapassa as 14 milhões de visualizações.

A gente faz questão de ressaltar que, na época em que Rita viralizou, correndo atrás do seu sonho de ser MC da maneira como suas condições permitiam, o Brasil discutia a criminalização do funk, empenhado em acabar com os planos dela e tantos outros jovens que encontram na música um caminho para ter uma vida melhor, e agora ela está aí, não só concretizando o que sonhou, como fazendo isso com a quinta música mais ouvida do país.

Ficamos na torcida pra que possa ir ainda mais longe! <3
Diretamente de São Vicente, em São Paulo, para todo o Brasil, MC Rita tem apenas 17 anos e, nas últimas semanas, provavelmente passou pela timeline do seu Facebook com um vídeo amador, no qual dava uma amostra de algumas de suas músicas inéditas: “Meiga”, “Cavaco Chorão” e “Dedo no Gatilho”.

O vídeo que chamou a nossa atenção para o trabalho da menina foi compartilhado pelo MC Euro e, até o momento desta publicação, já alcançou 6,4 milhões de exibições, com inúmeros comentários de pessoas impressionadas com o talento de Rita, além de compará-la ao começo da carreira de Ludmilla, quando ainda atendia por MC Beyoncé.

Leia também: Você não precisa gostar de funk para ser contra o projeto de criminalização do gênero

Apesar de revelado sem grandes pretensões, o retorno positivo ao vídeo animou a menina, que passou os últimos dias fazendo transmissões ao vivo e publicando outros vídeos com uma produção semelhante, até que, na última terça-feira (25), estreou um webclipe para uma das canções apresentadas, “Dedo no Gatilho” - liberada para download gratuito.


Com produção do DJ Marquinhos ‘Sangue Bom’ e composição do 2N, “Dedo no Gatilho” resgata a sonoridade que marcou o funk dos anos 2000, época de compilações como “Furacão”, que revelou Anitta, Valesca Popozuda, entre outros nomes, e assim como apontado pelos comentários de seu primeiro vídeo, lembra e muito os primeiros lançamentos de Ludmilla, que estourou no Youtube com o clipe de “Fala Mal de Mim” antes de ser contratada pela Warner Music.

Olha só:



Que hino, gente!

Em tempos de funk lutando contra a marginalização perpetuada ao longo dos últimos anos, ainda com uma proposta de criminalização circulando pelo congresso, e uma crescente de todo um movimento racista e higienizado, no qual os videoclipes desses artistas vem ganhando uma presença cada vez maior de modelos e dançarinas brancas, é animador ver que o gênero ainda incentiva jovens da periferia a fazerem música e de uma forma tão despretensiosa.

Em contato com a equipe da MC Rita, a gente ficou sabendo que ela já está trabalhando em outras duas canções, que deverão ser lançadas no próximo mês, todas deverão estrear de forma independente, como esse primeiro single.

O que você achou de “Dedo no Gatilho”?