Mostrando postagens com marcador Flume. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Flume. Mostrar todas as postagens

Depois de meses de espera e ansiedade, falta apenas um dia! O Lollapalooza começa amanhã (25) e é também neste sábado, no comecinho da noite, que acontece a apresentação da Tove Lo, uma das atrações que estamos mais animados para assistir

A cantora, que é uma das principais representantes do pop sueco que a gente tanto ama, tem apostado cada vez mais em um som que mistura sintetizadores e batidas eletrônicas com letras que falam sobre sexualidade feminina e libertação, e é por isso que a gente divulga e enaltece mexxxxmo. 

Com um EP e dois discos já lançados e algumas parcerias pelo caminho, Tove tem muitas músicas e a gente bem sabe que nem todas farão parte da setlist de seu show no festival. Por isso, preparamos essa lista com 5 canções que simplesmente não podem faltar em sua apresentação e esperamos que, de alguma forma, esse post se conecte com a cantora e a inspire a não deixar nossas favoritas de fora (Tove Lo, se você está lendo isso, um beijo!). 

Imaginary Friend

Uma das melhores musicas do "Lady Wood" e, definitivamente, a melhor da segunda parte do disco, "Imaginary Friend" é quando a nova Tove Lo se encontra com a de "Queen Of The Clouds" e quando a proposta de seu segundo disco melhor funciona.

A gente sabe que a sueca tem focado mais em outras faixas do seu álbum, como "Cool Girl", "True Disaster" e "Influence", e até entendemos o porquê, mas o que nós queremos mesmo é ver "Imaginary Friend" receber seus 4 minutos de atenção, fama e louvor.



Say It

Ok, essa música não é da Tove Lo e sim do Flume, porém, o DJ estará no Lollapalooza desse ano - enquanto a sueca se apresenta no primeiro dia do festival, ele será headliner de um dos palcos no domingo - então não custa sonhar com uma apresentação conjunta inusitada, né?

A canção combina bastante com o estilo do "Lady Wood", que deve ser o foco da apresentação da cantora, e a gente adoraria cantar bem alto "when you say you like that, oh oh oh ohhhh". Tá certo que, provavelmente, Flume vai tocar essa música em seu próprio show, mas que seria bem incrível ver os dois se juntarem para apresentar a faixa, isso seria. E se não rolar no sábado (ou se rolar também), bem que a Tove poderia dar uma passada por lá no domingo, né?



Moments

Quem já não quis repetir a dancinha doida que a Tove faz no clipe? O Lollapalooza é a oportunidade perfeita para escutarmos "Moments" ao vivo e dançarmos da forma que quisermos sem medo do amanhã, afinal, nada como um show cheio de gente que também ama a cantora para a gente se soltar e se sentir em casa.

Estamos sonhando com o momento em que entoaremos o refrão "I'm no the prettiest you've ever seen, but I have my moments, I have my moments. Not the flawless one, I've never been, but I have my moments" no Autódromo de Interlagos. UM HINO DESSES, BICHO!



What I Want For The Night (Bitches)

"What I Want For The Night" não entrou na tracklist do "Lady Wood", mas chegou a aparecer no "Fairy Dust" (você pode escutá-la no minuto 28:50), curta lançado pela Tove Lo com diversas músicas desse segundo CD e, logo depois, caiu na internet, para a graça dos fãs. Escutá-la ao vivo no Lollapalooza com certeza seria um momento único e uma das melhores partes de seu show. Quem sabe ela não se lembra da música e resolve presentear os fãs brasileiros? Vai que, né?

Out Of Mind

Uma das primeiras canções lançadas por Tove, "Out Of Mind" foi um dos singles do seu EP de estreia, o "Truth Serum" e, enquanto "Not On Drugs" e "Habits (Stay High)" também foram trabalhadas, fizeram mais sucesso e acabaram conseguindo um espaço na tracklist do "Queen Of The Clouds", "Out Of" foi deixada de lado e esquecida em meio a discografia da cantora. Mas a gente não se esqueceu! 

Um hino da sofrência, "Out Of Mind" é perfeita para aquele momento do show que, depois de pularmos e dançarmos muito, queremos nos emocionar e derramar algumas lágrimas, e cantar bem alto "Are you kidding me? You're out of your, you're out your, you're out of your mind to think that I" é garantia disso. Também seria incrível ver Tove Lo relembrar seu passado e fazer uma breve viagem por suas músicas. 



Faixas bônus (e que ela provavelmente vai cantar): "True Disaster", "Influence", "Cool Girl", "Talking Body" e, claro, "Habits (Stay High)".



Bateu o desespero porque você ainda não tem ingresso para o Lolla? Calma que dá tempo de comprar! Corre lá no site da Tickets For Fun pra garantir o seu lugar no festival e no show cheio de dancinhas malucas e girl power da Tove Lo! 
Lollapalooza é aquele festival em que você ama certas atrações, mas também chega disposto a conhecer e se apaixonar por inúmeras outras, né? É por isso que o evento, principalmente em suas últimas edições, tem se dividido entre nomes foderosamente conhecidos e outros nem tanto – o que é uma das suas coisas mais legais, convenhamos – e, se você for daqueles que ainda não teve tempo para se aprofundar sobre os artistas que virão, esse post é perfeito pra você.

Para que você não fique perdido no Lolla e consiga até arriscar uns versos de algumas músicas, preparamos uma lista com os 10 discos que você PRECISA escutar antes do festival. Tem pra todos os gostos: rock, pop, R&B, alternativo... Você vai chegar no Autódromo de Interlagos sabendo um pouquinho de quase tudo e, quem sabe, sairá de lá sabendo cantar todas as canções de trás pra frente. Vai que, né?

Confira nossa lista (que não está em ordem de importância, pois amamos todos esses artistas <3) abaixo:

1. "Starboy", The Weeknd

Muitos bons artistas vão passar por essa edição do Lollapalooza, mas o que estamos mais animados para assistir é o The Weeknd. O canadense lançou no ano passado seu terceiro disco, "Starboy", que veio com a missão de ser tão bom quanto seu antecessor, "Beauty Behind The Madness", e ele não só conseguiu como se superou. No novo álbum, Abel mistura seu clássico R&B alternativo com batidas eletrônicas e sintetizadores no maior estilo anos 80, nos entregando um trabalho maduro, consistente e que não deixa ninguém ficar parado.


2. "I See You", The xx

O terceiro álbum do The xx, lançado no começo de 2017, é o mais diverso entre os do grupo e o mais pop também. Entre tantas influências buscadas para esse novo material, a maior foi no "In Colour", disco solo do Jamie xx, produtor da banda. Por isso, o "I See You" diversas vezes incorpora esse projeto e mescla de tudo um pouco, como indie rock, eletrônico e vários sintetizadores, com o característico indie pop da banda e os vocais limpos e dramáticos de seus vocalistas, fazendo com que o The xx não perca sua identidade, apenas nos de a chance de amá-los em outras formas e ritmos.


3. "Lady Wood", Tove Lo

O poder feminino da edição fica por conta de Tove Lo, que vai fazer um show com foco maior nas músicas do seu novo CD. O "Lady Wood" usa de batidas alternativas e eletrônicas para falar sobre sexualidade feminina e libertação e traz a cantora sem medo de falar o que pensa, expor suas inseguranças e abrir seu coração. Pop sueco da melhor qualidade.


4. "I Like It When You Sleep, For You Are So Beautiful Yet So Unaware Of It", The 1975

Antes conhecidos por ser uma banda mais alternativa e de certa forma sombria, o The 1975 está cada vez mais pop e sem medo de ser feliz. O segundo álbum da banda inglesa, "I Like It When You Sleep" (não, não vamos falar o nome todo de novo!), é a mistura perfeita de synthpop com riffles de guitarra e a teatralidade e dramaticidade que só eles sabem imprimir em suas letras e clipes. Que eles fiquem no pop por um bom tempo!



5. "Cry Baby", Melanie Martinez

Se você gosta de música pop com conceito por trás, então a Melanie Martinez é pra você. Saída do The Voice americano, a rainha do conceitinho infantil usa do mundo de casas de bonecas e carrosséis como metáfora para falar de relacionamentos amorosos, amigos, família, padrões de beleza e muito mais, em meio a um indie pop viciante, no seu primeiro disco, "Cry Baby". No final, de infantil, Melanie e suas letras não têm nada.



6. "Gameshow", Two Door Cinema Club

A capa do álbum, com suas luzes neon, já entrega: vai ser dançante, sim! "Gameshow", terceiro álbum do Two Door Cinema Club que foi lançado no ano passado, continua no estilo rock alternativo que os irlandeses já estão acostumados, mas flerta bastante com o pop eletrônico, o funk e até o disco, soando eletrizante desde a primeira ouvida. E se o CD já é divertido assim, imagina o show?


7. "No Mythologies To Follow", MØ

A dinamarquesa MØ pode ser mais conhecida do grande público por suas mais recentes parcerias de sucesso, como "Lean On" e "Cold Water", ambas do Major Lazer, mas a gente te garante que ela é MUITO mais do que isso. Com seu álbum de estreia, o "No Mythologies To Follow", MØ se apresenta pra gente de forma original, misturando R&B contemporâneo com trip-hop e indie pop e nos entregando aquele som que a gente não sabia que precisava até escutar pela primeira vez.


8. "Duas Cidades", BaianaSystem

Rock, reggae, axé, música eletrônica... O segundo disco do BaianaSystem, "Duas Cidades", traz um pouco disso tudo com uma pitada de política para discutirmos o momento atual do Brasil. Representantes do nosso país nesse Lollapalooza, os caras do Baiana fazem um som diferente, misturando a "guitarra baiana" com o "system sound" (e daí o nome) e adicionando conceitos audiovisuais ao seu trabalho, retratando problemas cotidianos tanto em suas letras quanto em seus vídeos. Música boa com crítica social foda? Tá tendo e é do Brasil!


9. "Love You To Death", Tegan And Sara

Inteiramente produzido pelo Greg Kurstin, vencedor do Grammy de Produtor do Ano de 2016 e responsável por hits como "Stronger", da Kelly Clarkson, e "Chandelier", da Sia, o oitavo álbum da dupla Tegan and Sara, "Love You To Death" é, assim como o envolvimento de Greg sugere, cheio de músicas pop muito viciantes. As irmãs, que começaram com um som mais alternativo e indie rock, se jogaram de cabeça em um synthpop com cara de anos 80 nesse novo disco e nós não poderíamos ser mais gratos por isso. Meninas, por favor, nunca abandonem os sintetizadores!


10. "Skin", Flume

Vencedor do Grammy de Melhor Álbum Dance de 2016, Flume vem ao Lollapalooza como headliner de um dos palcos do festival e, depois de ouvir o disco "Skin", você vai entender o porquê. Passando pelo R&B contemporâneo com muitas batidas eletrônicas e uma house music diferenciada, o Flume é tudo que o The Chainsmokers quer ser, mas nunca será, fazendo um trabalho alternativo mas, ao mesmo tempo, muito pop, que tem como missão fazer todo mundo sair do chão e que, depois de duas ou três músicas, consegue esse feito com muita facilidade.



***

Pode vir, Lolla, que o nosso corpo está mais do que pronto! Se você ainda não comprou seu ingresso para escutar esses hinários ao vivo, corre que a ainda dá tempo! É só clicar aqui e depois escutar de novo e de novo todos esses álbuns para aprender as letras direitinho.
Com saudades da Demi Lovato? Ao que tudo indica, a cantora e, inclusive, indicada ao último Grammy, está preparando seu retorno para esse ano, dessa vez lançando seu primeiro disco fora da gravadora que a acompanhou desde o começo da carreira, a Hollywood Records. E nos deixando ainda mais curiosos para ver o que ela vai fazer nessa era, vazaram no ARTL, fórum online conhecido por divulgar notícias sobre faixas e álbuns que ainda não foram lançados, algumas informações sobre seis novas músicas que devem estar no disco.

A primeira canção mencionada se chama "Concentrate" e foi descrita como uma mistura da sensualidade de "Wildfire", da própria Demi, e do instrumental de "Can't Feel My Face", do The Weeknd. Ela contém uma estrutura diferente, começando pelo refrão, e os produtores são o Ali Payami e o Max Martin. A americana já teria postado no Twitter um trecho dela: "When you're done with me, I can't even concentrate... Concentrate..."


"Proof", que já foi registrada por Lovato e, de acordo com rumores, foi produzida pelo Flume, tem uma vibe experimental, e conta com uma batida depois do segundo refrão que soa estranha a princípio, mas que funciona. "Emotion", que até já teve uma prévia revelada na série que o Nick Jonas lançou no ano passado pelo Tidal, também vem nesse estilo e é descrita como "muito experimental e não soa como nada que algum artista já tenha feito".


"Night Fever" é definida como catchy, sobre se divertir à noite e com "I got that night fever to rock with anybody, feeling like I could be everybody" como parte da letra. O autor da postagem também revela que os vocais da cantora estão sendo usados de forma diferente, como ela não costumava usar. 

"Holding Up All We Have", uma das faixas mais promissoras, é um mid-tempo co-composto pela Sia, cuja letra é um pouco genérica, mas a batida R&B com dubsteep é muito boa. O fórum ainda diz que a bridge é um pouco estranha, no último refrão Sia e Demi harmonizam suas vozes e o produtor é o Greg Kurstin, que acabou de ganhar o Grammy de Produtor do Ano. Lovato está sedenta. 

Porém, a música que teve mais informações divulgadas foi "Gone", composta pela Diane Warren e completamente produzida pela ex-Disney. Ela é descrita como a mais emotiva de todas: "Você vai chorar muito, Demi cantou como nunca nessa música, os vocais são nível Whitney Houston. Ela começa com uns vocais acapella e cresce até o nível de realeza de "I Will Always Love You". EITA! Liberaram até o início de "Gone":

"A queen lost her throne today
And God watched all her love fade away
Tears rolling down her cheek
Filled the rivers of her soul so deep
Faith was questioned, life was abandoned
For another chance that left her stranded"


Ao final, o usuário que postou tudo isso fez um resumo de como estão as canções e esse CD como um todo:

No geral, com essas seis músicas, este será seu melhor álbum. É extremamente diferente de tudo que Demi já fez e da música pop em geral. Se ela conseguir alguns hits, eu vou amar. Ela pode mudar o cenário da música se jogar as cartas certas. A aclamação da crítica está chegando.

O autor do post ainda afirma que a americana está tendo o controle criativo do álbum, não quer nenhuma colaboração e que "ela está compondo sozinha também e quer que todas as músicas sejam escritas principalmente por ela com apenas alguns co-compositores".

What's wrong with being conceitual?

Desde junho do ano passado, a sexta-feira foi escolhida para o dia mundial de novos lançamentos musicais, chamado New Music Friday, e, no geral, todos esses lançamentos acontecem por plataformas como Spotify, Apple Music, Tidal, iTunes, etc.

Como tem se tornado costume, ao virar do dia entre quinta e sexta-feira, corremos para o Spotify, para sabermos quais são as novidades mais interessantes, sejam elas de artistas novos ou consolidados, e daí surgiu a ideia de tornarmos isso uma playlist que, obviamente, será atualizada semanalmente.



Como uma introdução, vale ressaltarmos que as músicas foram ordenadas de forma que as melhores se encontrem no topo e que, em todas as edições, faremos uma breve revisão sobre o top 10, apenas a título de informação.

Caso você não esteja interessado em ler sobre isso, pode apenas apertar o play na lista acima, mas se você realmente está disposto a saber o que temos a dizer sobre isso, aqui vamos nós:


 “Tears”, o novo single do Clean Bandit com a vencedora do X-Factor, Louisa Johnson (!), é o lançamento mais interessante da semana. Há quem diga que essa é a “I Will Survive” da nossa geração. Depois de escutá-la, simplesmente não tem como negarmos tal fato.

 A sueca Zara Larsson já levou o mundo aos seus pés com músicas como “Lush Life” e “Never Forget You”, e agora a sua irmã, Hanna Larsson, vem disposta a fazer o mesmo com “Always On My Mind”, o single de estreia dela com o duo Hanna & Andrea.

 Grande aposta e revelação do alt-pop, o duo americano HOLYCHILD uniu as suas forças com a Kate Nash na grandiosa “Rotten Teeth”. Você não leu errado, é uma música nova com a voz da Kate Nash (!).

 O refrão de “Magical”, do duo norueguês Tungevaag & Rabaan, leva o seu título de uma maneira literal.

 Flume lançou o seu novo álbum, “Skin”, e entre tantas imperdíveis colaborações, com nomes que vão da Tove Lo ao Beck, separamos essa maravilha chamada “Take A Chance”, em parceria com os suecos do Little Dragon. MUST LISTEN.

 Se “One Dance”, do Drake, já é uma música incrível, o que dizer dessa versão synthpop do William Singe (seja lá quem ele for)? INCRÍVEL².

 The Chainsmokers está decidido a tornar “Don’t Let Me Down” um smash hit tão grande quanto “Selfie”. A música ganhou agora uma versão dancehall.

 Os canadenses do Dragonette entraram oficialmente na corrida pelo título de hit do verão americano. “Lonely Heart” é o que imaginaríamos de uma versão de “Cheap Thrills”, da Sia, nas mãos do No Doubt.

 O novo álbum do Fi-feat Harmony, “7/27”, está significativamente mais interessante que o seu CD de estreia, “Reflection”. Uma das nossas músicas favoritas é o novo single do grupo, “All In My Head (Flex)”.

 Rihanna e Drake brasileiros, Projota e Anitta se unem para mais uma parceria de peso. “Faz Parte” é a melhor colaboração já feita pelos dois.


💩 O “Lemonade”, da Beyoncé, ainda não está no Spotify.
👍 O novo disco da Ariana Grande, “Dangerous Woman”, continua soando INCRÍVEL.

+ Uma música chamada “Bob Dylan”, de uma cantora chamada Fallulah, o pop-Troye-Sivaniano de “80’s Films”, do Jon Bellion, Paul McCartney (!), Bat For Lashes, Jessie Ware, BØRNS, outra baladinha da Sia para outra trilha sonora, etc.


Desde junho do ano passado, a sexta-feira foi escolhida para o dia mundial de novos lançamentos musicais, chamado New Music Friday, e, no geral, todos esses lançamentos acontecem por plataformas como Spotify, Apple Music, Tidal, iTunes, etc.

Como tem se tornado costume, ao virar do dia entre quinta e sexta-feira, corremos para o Spotify, para sabermos quais são as novidades mais interessantes, sejam elas de artistas novos ou consolidados, e daí surgiu a ideia de tornarmos isso uma playlist que, obviamente, será atualizada semanalmente.




Como uma introdução, vale ressaltarmos que as músicas foram ordenadas de forma que as melhores se encontrem no topo e que, em todas as edições, faremos uma breve revisão sobre o top 10, apenas a título de informação.

Caso você não esteja interessado em ler sobre isso, pode apenas apertar o play na lista acima, mas se você realmente está disposto a saber o que temos a dizer sobre isso, aqui vamos nós:

 A Margaret é um nome em potencial pra não tirarmos os olhos tão cedo e o novo single da polonesa, “Cool Me Down”, é a melhor coisa que você ouvirá nesta semana. Sério.

 Se a Ellie Goulding ainda fizesse músicas boas, ela provavelmente estaria lançando “Looking At You”, da novata Loop.

 A importante artista belga, Selah Sue, se juntou ao Childish Gambino para nos lembrar de como a música pop ainda tem salvação com “Together”.

 Cumprindo a cota ‘Carly Rae Jepsen’ da semana, Contact (talvez eles devessem se chamar CNTCT) é um trio que, além da canadense, também soa como o CHVRCHES, o que os torna significativamente interessantes com a canção “Never Stop”.

 Flume é o cara do momento. O produtor esteve por trás de “I Remember”, lançada na semana passada pelo AlunaGeorge, está prestes a conquistar seu primeiro hit com a Kai, em “Never Be Like You”, e reforça o quanto é “worth listening” ao lado da amiga de todos nós, Tove Lo, com “Say It”.

 O synthpop de “Nocturnal”, do Girl Friend, é aquela música que nos faria dançar a noite toda se não estivéssemos na frente de um computador escrevendo sobre uma playlist no Spotify.

 Pelo incrível que pareça, estamos bastante agradecidos pela Meghan Trainor estar prestes a lançar seu novo disco, “Thank You”, e em mais uma de suas amostras, a hitmaker de “Bang Dem Sticks” reforça sua versatilidade. “Better” é a sua contribuição para essa era “Sorry” das rádios.

 TRXD é um duo formado por dois caras, assim como o Disclosure e os Chainsmokers. “Wherever You Go” é um hit pronto, assim como “Latch” e “Kanye”.

 É um pouco estranho saber que o Coldplay está lançando um novo single e não odiar isso, mas “Up&Up” é realmente uma música interessante. Soa como um bom remix indie-pop de “How to Love”, do Lil’ Wayne.

 Enquanto a Beyoncé não volta, o R&B segue em boas mãos com perigosa Ariana Grande e sua parceria com o Lil Wayne, “Let Me Love You”.

+  Gwen ‘Injustiçada do pop’ Stefani, Inês Brasil e a “Kiss It Better” brasileira, outra redenção pop do Kygo e até um ‘guilty pleasure’ em potencial do MC Guimê.



Nome cada vez mais em ascensão no meio eletrônico underground, o jovem DJ e produtor australiano, Flume, lançará no dia 27 de maio, seu segundo álbum em estúdio, intitulado "Skin" e, para chamar a atenção, talvez de um público diferente daquele ao qual está acostumado, ele lançou um novo single pro material, que conta com a colaboração de ninguém menos que... Tove Lo!

Uma de nossas suecas favoritas empresta seus deliciosos vocais e todo seu estilo para a incrível faixa "Say It", confirmada como single oficial do material e que estreou, com exclusividade ontem, na BBC Radio 1, ganhando o YouTube logo em seguida. Temos um show de acertos aqui, desde as batidas mais underground e introspectivas do produtor, até os vocais cativantes e grudentos de Tove, que te tomam desde a primeira vez que ouvir. Confira:



Com 16 faixas, "Skin", segundo álbum de Flume, ganhou hoje sua tracklist e capa oficial. Entre vários nomes promissores da música atual, assim como Tove Lo, também teremos colaborações de Vic Mensa, AlunaGeorge, Little Dragon, Allan Kingdom, MNDR e o vencedor do Grammy de "Álbum do Ano" em 2015, Beck. Tudo isso, você pode conferir logo abaixo:


Tracklist
1) Helix
2) Never Be Like You (feat. Kai)
3) Lose It (feat. Vic Mensa)
4) Numb & Getting Colder (feat. Kucka)
5) Say It (feat. Tove Lo)
6) Wall F**k
7) Pika
8) Smoke & Retribution (feat. Vince Staples)
9) 3
10) When Everything Was New
11) You Know (feat. Allan Kingdom)
12) Take a Chance (feat. Little Dragon)
13) Innocence (feat. AlunaGeorge)
14) Like Water (feat. MNDR)
15) Free
16) Tiny Cities (feat. Beck)
O novo disco do AlunaGeorge, “I Remember”, está previsto para ser lançado no dia 29 de abril, mas, antes de sua chegada, a dupla britânica nos deu mais uma dose do que está por vir neste material, com a parceria do Flume em sua faixa-título.

A nova colaboração de Aluna e George sucede o single carro-chefe do CD, “I’m In Control”, que, por sua vez, trazia também os vocais do rapper jamaicano Popcaan, e foi revelada ao vivo, no palco do Ultra Music Festival, em Miami.

Na música nova, Aluna só desperta ainda mais a nossa curiosidade por seu segundo CD, principalmente pela variedade sonora do que nos foi apresentado até aqui, da explosiva “Supernatural” ao dancehall de “I’m In Control”, partindo agora para um R&B eletrônico bem próximo do que eles fizeram no disco “Body Music”, mas com o inconfundível toque do Flume, que se junta ao Diplo, ZHU e outros produtores na lista de participações do “I Remember”.

Ouça:



Delícia, hein? Aliás, o que eles fazem que não é?

No ano passado, AlunaGeorge viveu uma de suas melhores fases, emplacando o hit “You Know You Like It”, com o DJ Snake, e “To Ü”, com o Diplo e Skrillex, além de terem feito parte da line-up de festivais como o MECA e Rock in Rio e saído em turnê com a Katy Perry. O que torna a chegada desse disco algo bem mais aguardado do que foi seu registro de estreia. Agora vai.

Com apenas 24 anos, o produtor australiano Flume revelou há pouco uma prévia do seu segundo disco, “Skin”, que sucede seu álbum de estreia autointitulado, lançado em 2012 e responsável por sua ascensão no meio eletrônico underground.

Ainda que pouco saibamos sobre o disco, o músico mandou avisar que o material já está “quase finalizado” e, pelo Youtube, revelou um megamix em que mescla um sample introspectivo com trechos de algumas de suas novas canções, o que denuncia bastante da sonoridade desse novo disco.

Em estúdio desde o ano retrasado, Flume já se uniu a artistas como Disclosure, Sam Smith e até Lorde, que já demonstrou sua aversão por remixes, e em seu disco de estreia, contou com outras colaborações bastante animadoras, como do seu conterrâneo e também revelação, Chet Faker.

Confira a prévia:


Responsável por boa parte da produção e composição de suas faixas, os grandes destaques da breve carreira de Flume ficam para os remixes de músicas como “Tennis Court”, da Lorde, e “You & Me”, do Disclosure, além da sua parceria com Faker na maravilhosa “Drop The Game”, que você pode ouvir abaixo. 


Ainda que não tenha uma data de lançamento definida, o novo disco do australiano, “Skin”, deve estar entre nós em algum momento antes do novo CD da Rihanna.

Harley Edward Streten, mais conhecido como Flume é um DJ, produtor e instrumentista de música eletrônica australiano que se apresentará no dia 5 de abril no festival Lollapalooza. Ele começou a fazer música aos 13 anos com a ajuda de um disco de produção básico embalado em uma caixa de cereal. Em 2010, produziu umas músicas e colocou na internet com o nome de "HEDS". Com essas iniciais, ele criou duas músicas, "Flow" e "Fizz", além de vários remixes.


Em 2011, Harley foi descoberto através de uma competição de artistas originais organizada pela gravadora Astraliana "Future Classic". Ele enviou as músicas "Sleepless", "Over You" e "Paper Thin" para ganhar a competição.


Seu único álbum (por enquanto) se chama "Flume" e foi lançado em 2012 pela Future Classic nos formatos CD, LP e download digital. Com 2 certificados de Platina pelo ARIA, Harley já ganhou prêmios se "Melhor artista masculino", "Artista revelação", "Melhor lançamento dançante" e "Produtor do ano". No álbum, existem parcerias com os artistas George Maple, Moon Holiday, Jezzabell Doran, Chet Faker, e o rapper T.Shirt. Em fevereiro de 2013, ele anunciou sua turnê "Infinity Prism Tour" e vendeu 40 mil ingressos.


Além do CD, Flume aposta em projetos como fez com o produtor e DJ de Sydney, Emoh Instead. Em novembro de 2013 a dupla lançou uma música chamada "Jaguar" no SoundCloud e conseguirem mais de 15 mil execuções num período de quatro horas. A conta da dupla no Sound Cloud tem mais de 91 mil execuções.


Clique aqui para ouvir todas as produções do DJ.