Mostrando postagens com marcador Bleachers. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Bleachers. Mostrar todas as postagens
Em menos de uma semana, exatamente na quinta-feira (22), o filme "Com Amor, Simon" chega aos cinemas com uma história sobre um menino gay que quer ter seu merecido final feliz. Mas, antes de assistirmos ao longa, nós já podemos entrar no clima da produção com a trilha sonora do filme.

Como produtor executivo, Jack Antonoff, o cara por trás do "Melodrama", da Lorde, trouxe para soundtrack de "Simon" algumas boas músicas inéditas, como as já conhecidas "Alfie's Song", de sua banda, Bleachers, com a participação de Harry Styles na composição, e "Love Lies", de Khalid com Normani do Fifth Harmony em seu primeiro lançamento à parte do grupo.


Entre as novidades, muitas outras músicas com clima de romance adolescente. "Strawberries & Cigarettes", do Troye Sivan, é uma descartada do "Blue Neighbourhood", seu primeiro disco, e embora talvez tivesse funcionado como parte desse álbum, encontra mesmo seu lugar aqui. Mais animada, "Never Fall In Love", do Jack com a MØ, é divertida e flerta com a PC Music. 

A baladinha oitentista "Sink In", da Amy Shark, e "Wild Heart", clássica música do Bleachers e que começa nos lembrando "Baba O'Riley", do The Who, completam a lista de faixas inéditas e deixam um gostinho de quero mais.

Se o filme for tão gostosinho quando sua trilha, nós com certeza vamos querer vê-lo de novo, de novo e de novo, assim como estamos ouvindo milhões de vezes sua soundtrack

Jack Antonoff, vocalista da banda Bleachers, conquistou de vez a confiança das cantoras tudo, né? O músico havia liderado o projeto “Terrible Thrills, Vol. II”, no qual colocou artistas como Carly Rae Jepsen, Sia, MØ, Tinashe, entre outras, para cantarem músicas do álbum de estreia da sua banda, “Strange Desire”, e agora voltou com uma colaboração da Lorde na faixa “Don’t Take The Money”.

Esse é o primeiro single da Bleachers desde que encerrou os trabalhos com seu “Terrible Thrills”, que teve como último single a versão de Sia para “Like A River Runs”, e retoma a proposta pop da banda, com os tímidos vocais de Lorde perto do seu final.

Ouça abaixo:


Que música maravilhosa!

Vale lembrar que Jack Antonoff também participou do novo single da Lorde, “Green Light”, além de ter apresentado a faixa “Liability” com a cantora no Saturday Night Live:


Amizade sincera.
Já se tornou tradição que façamos as tão comentadas listas com os melhores lançamentos do ano, mas, como de costume, também acontecem vários casos de ótimos lançamentos ficarem de fora dos nossos escolhidos e pelas razões mais variadas possíveis.

Uma delas, talvez a mais comum, é o caso do disco não ter sido votado por membros o suficiente dentro da equipe, o que faz com que ele seja passado para trás por outros discos melhores colocados e, desta forma, termine fora dos eleitos na listagem final. 

Mas se tem uma coisa que a gente não tolera, é injustiça com boa música e exatamente por essa razão, começamos há dois anos o especial “10 músicas para ouvir nos últimos 10 dias do ano”, agora reformulado, com dicas realmente imperdíveis de lançamentos do ano que você deveria, mas provavelmente não escutou.

Assim como as duas edições anteriores, o especial será dividido em dez partes, sendo cada uma delas totalmente focada em um disco, e, pela primeira vez, temos ainda a possibilidade de apresentar o disco por completo para vocês no próprio post, graças às maravilhas da tecnologia e o Spotify.

Vamos ao que interessa?

Parte 1 / Parte 2 / Parte 3 / Parte 4 / Parte 5 /

BLEACHERS, “Terrible Thrills, Vol. II”

Bleachers é mais que a banda “com aquele carinha do fun.”, ainda que seja uma banda com aquele carinha do fun. O carinha em questão é o Jack Antonoff e, enquanto na outra banda ele apenas toca baixo, aqui ele é o cabeça e principal referência nos momentos de criação, o que lhe dá um crédito enorme pelo disco de estreia deles, “Strange Desire”, e o projeto que o sucedeu, “Terrible Thrills, Vol. II”.



Basicamente, Antonoff contou que, quando está compondo, costuma imaginar as músicas em vozes femininas, pois é como prefere ouvir música, e daí surgiu a ideia de adaptar TO-DO o álbum de estreia da banda, substituindo sua própria voz pelas de outras cantoras.

Ele já havia feito isso uma vez, com a banda Steel Train, em 2010, e com o Bleachers conseguiu um efeito ainda mais impactante, já que trouxe ao disco nomes grandes e em ascensão, com singularidades notáveis e que jamais imaginaríamos funcionando tão bem dentro do contexto sonoro da banda.


“Terrible Thrills, Vol. II” conta com a participação de artistas como Sia, Charli XCX, Carly Rae Jepsen, Tinashe, Brooke Candy, , Elle King e Sara Bareilles, além de uma proposta musical que passeia do synthpop ao rock alternativo, brincando também com um pouco de todos os nomes envolvidos.

Pra testar:Like A River Runs (feat. MØ)”, “You’re Still A Mistery (feat. MØ)”, “Shadow (feat. Carly Rae Jepsen)” e “Rollercoaster” (feat. Charli XCX)”.


Pra quem vê de fora, pode parecer que o It Pop é uma entidade pop, como diz em nossa descrição na página Sobre o Blog, mantida por forças sobrenaturais e muito bem informadas sobre as nossas divas de cada dia, só que, na vida real, as coisas não são bem assim, e da mesma forma que você, seus amigos e familiares, temos lá outras coisas que, vez ou outra, tomam o nosso tempo.

Com essas ocupações, deixamos algumas pautas passarem batidas aqui no blog e, com o mesmo compromisso de mantê-lo à par sobre o que há de melhor dentro desses lançamentos ~recentes~, decidimos assumir algumas publicações que você provavelmente já viu sobre em outros lugares há algum tempo, mas não poderíamos deixar de falar. Essa é a primeira delas.


Com o músico Jack Antonoff, da banda fun., nos vocais, foi no ano passado que a banda Bleachers despontou como uma das maiores revelações do rock alternativo com seu disco de estreia, “Strange Desire”, e acompanhado de singles como “I Wanna Get Better”, “Shadow”, “Rollercoaster” e “Like A River Runs”, o material marcou a passagem dos caras por paradas como a Hot 200, Alternativa e Rock da revista Billboard, fazendo deles um nome pra ficar de olho.


Durante a divulgação do seu mais recente single, entretanto, Jack e sua banda decidiram testar algo diferente e, no EP de lançamento digital, incluíram, além dos usuais remixes, uma versão inédita da canção, “Like A River Runs”, cantada por ninguém menos que a cantora e amiga do vocalista da banda, Sia.



Em sua versão, a cantora de “Alive” deu uma abaixada no clima da canção, nas suas mãos soando ainda mais frágil e emotiva, e aí que surgiu uma ideia um pouco louca vinda dos caras: toda uma versão do CD “Strange Desire” cantada por outras cantoras. Tinha como dar errado? Tinha sim. Sempre tem como. Mas não foi o caso.

Conversando sobre o novo projeto, o vocalista Antonoff confessou que, ao compor para o disco de estreia da banda, imaginou canções cantadas por mulheres, e afirmou que até utiliza alguns artifícios em estúdio para alterar sua voz nas versões demos, deixando-a menos grave, então seria uma verdadeira honra poder escutá-las como ele realmente idealizou ao escrevê-las.

A nova versão do “Strange Desire” foi lançada com um novo título, “Terrible Thrills, Vol. II”, e se apresenta em seu segundo volume fazendo referência ao álbum “Steel Train”, da banda de mesmo nome, que contou com a participação de Jack em sua última formação e chegou a lançar a versão de um disco com covers e remixes interpretados por artistas mulheres.

A ideia de regravar todo um disco sem a participação de seu intérprete principal já é bem ousada por si só, mas no caso do Bleachers, as coisas ficaram ainda maiores, por conta das artistas que são próximas à banda e toparam esse convite, o que resultou numa tracklist com a participação de Sara Bareilles, Charli XCX, Carly Rae Jepsen, Tinashe, Lucius, Elle King, Brooke Candy, Sia, MØ, Susanna Hoffs e Natalie Maines. Tá quase uma line-up do Lollapalooza, gente, só que ainda melhor, RS.

Sendo um daqueles casos que se melhorar, piora, o álbum “Terrible Thrills, Vol. II” ainda foi lançado gratuitamente, podendo ser baixado no Google Play ou ouvido em plataformas como Youtube, Spotify, Tidal... Enfim, possibilidades não faltam.

Ouça abaixo:


Fora Sia, que já havia dado o ar de sua graça com “Like A River Runs”, outro lançamento do “Terrible Thrills” que já tinha visto a luz do dia foi “Rollercoaster”, com os vocais da Charli XCX. A cantora britânica chegou a sair em turnê com Jack Antonoff e sua versão para a canção foi apresentada pela primeira vez durante uma ação publicitária, em que o cara chegou a devolver o cover, apresentando o hit dela, “Break The Rules”. Relembre abaixo:


Ainda não sabemos se a banda chegará a promover o disco como um material inédito, lançando singles e clipes, apresentando ao vivo e tudo mais, mas adoraríamos vê-los explorarem mais esse projeto tão bem executado, principalmente pela possibilidade de ouvir a voz da nossa geração, Carly Rae Jepsen, apresentando “Shadow” ao vivo.

QUE DISCO SENSACIONAL, GENTE!

O Travie McCoy sempre tem umas propostas bem inusitadas de parcerias, né? O mais legal é que, na maioria das vezes, elas funcionam super bem e aí quem sai ganhando somos nós, que recebemos um hino atrás do outro, talvez com um intervalo longo demais entre os lançamentos, mas que sempre terminam valendo a espera. Prestes a lançar seu segundo álbum de inéditas, sucessor do “Lazarus” (2010), McCoy já esteve em estúdio com nomes como Neon Hitch, Bruno Mars, Adam Levine, Cee-Lo Green, entre outros, e no primeiro single do seu novo CD, “Keep On Keeping On”, apostou na parceria com Brendon Urie, do Panic! At The Disco, voltando mais de um ano depois com mais uma colaboração de peso.

Pra despistar o flop do single anterior, Travie McCoy virá com a história de que a parceria com Brendonzinho foi só um buzz single, e a parte boa é que o carro-chefe do seu novo CD terminou sendo uma produção com Diplo e com participação da Sia. É claro que, nesta altura do campeonato, estamos temendo o momento em que iremos querer dar um tempo neste relacionamento, porque Sia e Diplo estão em tudo quanto é lançamento ultimamente, mas enquanto isso não acontece, só temos a agradecer. A dupla, pra quem não sabe, trabalhou pela primeira vez em “Elastic Heart”, na trilha de “Jogos Vorazes: Em Chamas” e mais recente álbum da cantora australiana, “1000 Forms of Fear”, dando agora seu toque de Midas para o single novo do rapper que, por ironia do destino (ou não... definitivamente, não), se chama “Golden”.

Sia não se envolve em qualquer parceria. Nas vezes que colaborou com rappers, a cantora sempre esteve em cima da produção pra garantir a sua qualidade, como foi em “Guts Over Fear”, que mais parece uma música dela do que algo do Eminem com ela, e “Battle Cry”, da Angel Haze, que também terminou bem característica ao seu portfólio, só desandando mesmo em “Wild Ones”, justamente porque, desde o início, não queria que a música fosse lançada com seu nome e muito menos vocais. Neste caso, felizmente, a qualidade está garantida e a música, mesmo que não soe característica à cantora, ganha pontos por acertar deixando-a fora de sua zona de conforto, ainda que cumpra bem com aquela fórmula de rapper + cantor no refrão, já utilizada várias vezes pelo próprio Travie. Seja como for, a receita continua dando muito certo. 


Quem também conseguiu levar Sia para um disco seu foi a banda Bleachers. Atualmente trabalhando o single “Like A River Runs”, do disco “Strange Desire”, os caras lançaram um EP de remixes da canção e, em uma de suas versões, a australiana substitui os vocais de Jack Antonoff, dando à faixa um toque beeeem mais vulnerável. Antes desse EP, a banda havia colaborado com a cantora no EP de “Big Girls Cry”, lançando um dos melhores remixes da faixa. Ouça ambas as versões abaixo:


Se fossem parcerias mais óbvias, não funcionariam tão bem.
Seleção de sete novidades musicais que não apareceram no blog ao longo da semana mas que valem a sua atenção. Para conferir as edições anteriores do It's New, clique aqui e seja feliz.
A banda Bleachers lançou em julho desse ano o seu disco de estreia, “Strange Desire”, e desde então tem feito muito barulho pela rede mundial de computadores. No álbum, os caras contam com algumas participações especiais, como das cantoras Grimes e Yoko Ono (!!!), numa sonoridade que mescla bastante do que conhecemos das bandas Spector e Fun (essa última tem, inclusive, um integrante em comum com a Bleachers).