LISTA: Cinco discos que conquistaram o amor do público e o ranço da crítica

Esses álbuns venderam milhões de cópias, renderam eras memoráveis ao pop, marcaram gerações, mas foram gongadíssimos pela crítica.

 





Muita polêmica, muita confusão...

O que faz de um disco ser bem-sucedido? Para um artista mainstream, é muito difícil ignorar a importância dos números. Emplacar hits nas paradas e vender milhões de cópias é o que todos querem. É o famoso sucesso comercial.

Mas quando se trata de crítica musical, nem sempre o sentimento do público reflete aclamação. As controvérsias são enormes. Enquanto às vezes fica evidente quando um artista deixa a desejar quando não entrega um trabalho que mostre todo seu potencial, em outras, o artista pode cair no gosto do público e render milhões em singles e turnês. E ainda ser gongado pela crítica, gerando revolta nos fãs.

É o caso desses cinco álbuns do mundo pop que listamos baseados nas notas do Metacritic - plataforma que reúne críticas de diversos veículos especializados em um único score -  e que você confere logo abaixo:

5) Christina Aguilera - Stripped

Não faltaram hits icônicos, como "Dirrty", "Beautiful" e "Fighter". Nem sucesso comercial, com mais de 4 milhões de cópias vendidas apenas nos EUA. Muito menos vocais, principalmente quando se fala em Christina Aguilera. Nenhum desses fatores impediu a crítica de problematizar o ousado Stripped, quarto disco de estúdio da Xtina. “Parece um disco da Mariah Carey. Soa como um disco de Mariah Carey”, opinou o NME, dando a entender que faltava uma identidade própria da cantora. O E! Online escreveu que se Christina “tivesse apenas aparecido e cantado com toda a força, Stripped teria sido um show melhor”. Até hoje, um dos CD’s mais mal avaliados pela crítica e amados pelo público, especialmente pelos fãs. 

Nota final: 55/100

4) Maroon 5 - Overexposed 



A era Overexposed talvez seja a mais bem sucedida do Maroon 5. Afinal, foi dela que saíram “Payphone” e “One More Night”, hits dos mais estrondosos de 2012. O sucesso se refletiu nas vendas: foi o 11º disco mais vendido naquele ano nos EUA, e mais de 2 milhões de cópias foram comercializadas mundialmente. O primeiro disco inteiramente pop da banda não conquistou os veículos de música. O Entertainment Weekly afirmou que a sonoridade “nunca encontra um equilíbrio entre a coragem do rock e o brilho do dance-pop” e foi além: “Maroon 5 mal soa como uma banda”. O The Independent, do Reino Unido, carinhosamente disse: “Quanto antes esse monte de ameixas voltar à obscuridade, melhor”. Essa é a opinião de muita gente hoje... 

Nota final: 54/100

3) Katy Perry - Teeenage Dream



Maior ato da carreira de Katy Perry (pelo menos no quesito comercial), o Teenage Dream foi um acontecimento no pop entre 2010 e 2012. A fórmula que apostou em músicas divertidas e em uma estética toda colorida rendeu frutos. Todos os cinco singles do álbum alcançaram o 1º lugar na Hot 100 da Billboard EUA, um marco que igualou Katy Perry e seu segundo disco a ninguém menos do que Michael Jackson com seu divisor de águas, Thriller. A era colecionou sucessos, mas um deles definitivamente não foi o de crítica. A opinião do PopMatters, por exemplo, é de que o disco é “recheado por canções que são muito sem vida” para acompanhar a estética e o astral de “California Gurls”. O The AV Club afirmou que o feat com Snoopy Dog é o auge da diversão do disco, mas que Perry apostou em muitas baladas “enfadonhas e conteúdo radiofônico sem brilho”. 

De fato, longe de ser o queridinho da crítica: 52/100

2) Post Malone - Beerbongs & Bentleys



Mais recente da lista, o Beerbongs & Bentleys foi a aposta de Post Malone para consolidar seu nome na indústria da música depois o sucesso do debut album Stoney. Apostando em uma tracklist com “Rockstar”, “Psycho” e “Better Now”, o segundo lp do rapper emplacou todas as músicas no top 20 do Spotify dos EUA e conseguiu certificado de platina apenas dois dias após seu lançamento em 2018.  Apesar de indicado a Álbum Do Ano no Grammy 2019, a opinião crítica foi bem negativa. A Consequence disse que uma das músicas, “Same Bitches”, soava “como um descarte de Ty Dollar Sign que Post transformou de lixo em tesouro”. Já a Pitchfork, uma das mais rigorosas, comentou: “É quase impressionante como um disco chamado Beerbongs & Bentleys pode levar tempo até te fazer abrir um sorriso”.     

Resultado: 51/100

1) Black Eyed Peas - Monkey Business



Terceiro disco de uma das bandas mais queridinhas dos anos 2000, o Monkey Business entregou alguns dos hits mais icônicos da primeira década do século. Alguns só para refrescar sua memória: “Don’t Phunk With My Heart”, “Don’t Lie”, “My Humps” e “Pump It”. O sucesso comercial foi grande: mais de 3 milhões de cópias do disco vendidas apenas nos EUA, seis certificados de platina tanto no Canadá quanto na Austrália, e três singles no top 10 da Billboard Hot 100. Mas enquanto o mundo dançava com esses sons, a crítica especializada desceu a lenha. “A inspiração lírica evaporou”, disse o The Guardian justificando sua nota 40. O famoso portal AllMusic achou o disco mediano: “O que o grupo fez soar sem esforço no passado soa tenso e enlatado aqui”. Essa doeu.

Nota final do nosso lanterninha: 47/100

E aí? Algum injustiçado nessa lista?