Nos bastidores do “fandom” de Anitta e a campanha que arrecadou R$16 mil pra divulgação de “Girl from Rio”

Conversamos com a fã responsável por coordenar a ação realizada no Twitter; valor arrecadado impulsionará as vendas do single no iTunes americano.

Desde antes da pandemia, é comum que as redes sociais sejam utilizadas para a disseminação de crowdfundings ou, no bom e velho português, “vaquinhas”, para os mais diversos objetivos: causas sociais, problemas financeiros, ajuda com o estudos e por aí vai.

Na última quinta-feira (22) um projeto que nos chamou a atenção alcançou a marca de R$16 mil com um único objetivo: impulsionar a empreitada internacional de Anitta com a música que a artista lançará no próximo dia 30, “Girl from Rio”.

A ação ocorreu pelo Twitter e segundo sua organizadora, a fã Tainá, de 21 anos, administradora da conta @AnittaCrave, começou em novembro, mas só gerou uma mobilização em janeiro deste ano. “A meta era R$10 mil, mas já estamos com [mais de] R$15 mil. Preciso encerrar o mais rápido possível”, explica a fã, pelo prazo dos repasses e cronograma de divulgação da música que estreia semana que vem. “O que vier até o prazo que eu dei, é lucro.”

Apesar do susto que a ação pode causar no público brasileiro, principalmente na atual realidade do Brasil e o número crescente do desemprego, Tainá nos conta que a iniciativa é bem comum entre os “fandoms”, como são chamados os grupos de fãs, internacionais. “A ideia veio quando os fãs da Cardi B (somos muito gratos à eles) fizeram [uma campanha] para ‘Me Gusta’. Aí sentimos a necessidade de que podíamos fazer para os próximos grandes lançamentos de Anitta.”

Antes da campanha para “Girl from Rio”, os fãs da artista brasileira realizaram ações semelhantes para os singles “Me Gusta”, com Cardi B, e “Loco”, lançado no começo deste ano. Além da vaquinha, que terá seu lucro distribuído por fãs nos EUA, responsáveis por comprar a música no iTunes e alimentar seus números na parada americana, eles também coordenam distribuições de cartazes e ensinam seus seguidores a criarem contas no Spotify, como uma forma de aumentarem também os números da artista na plataforma. “Quando a gente quer algo para Anitta, fazemos tudo para conseguir”, explica Tainá. “O possível e o impossível.”

Segundo Tainá, atualmente o projeto “Anitta Crave”, que é também um portal dedicado à cantora, conta com cerca de 44 administradores e nenhum tem experiência com o mercado musical ou publicidade: “a gente vai pesquisando, estudando pra conhecer e entender melhor”. Ela também nos conta que a iniciativa não tem qualquer interferência da gravadora Warner, responsável pelos lançamentos da brasileira também no mercado internacional.

Com tanto planejamento, perguntamos se existe alguma insatisfação por parte dos fãs com a divulgação oferecida pela própria equipe de Anitta e seu selo e Tainá nos contou que ela, particularmente, não se incomoda, mas que existem, sim, críticas por parte do público da artista. “A maioria dos fãs não gostam da forma que a gravadora trabalha, pois realmente é algo que a Warner deixa a desejar quando se trata de Anitta. Tem um certo descaso às vezes”, explica. Mas ela garante que quando os fãs se posicionam, a gravadora busca atendê-los: “Demora um pouco mas eles acabam atendendo os pedidos.”

De volta à ação, Tainá nos explica melhor sobre a dinâmica das próximas fases da campanha, após a arrecadação:

“A música será comprada no iTunes US e no site da Anitta. Para que conste para Hot 100 Americana, basta a pessoa residir nos EUA e comprar a música e, no final, a equipe da Anitta passa para a Billboard”, e esclarece: “Iremos dividir as compras durante a semana, não será gasto tudo em um dia.”

Entre o público que não faz parte do “fandom” de Anitta, a proposta gerou muitas críticas no tom de que, com a mobilização e dinheiro arrecadado, seus fãs poderiam estar ajudando famílias que têm passado necessidades na atual situação do Brasil, mas Tainá explica que estão em seus planos utilizar dessa influência também para outras questões: “Já falamos com uma [instituição] para realizar uma campanha futuramente.”

Na atual cotação do dólar, onde o valor arrecadado será aplicado, R$16 mil equivale a cerca de US$2,9 mil. Quisemos saber, então, qual a meta principal dos fãs com essa organização e a resposta não poderia ser mais direta: “que a música estreie na Hot 100”.

“Mas se não for o suficiente, pelo menos eu vou ficar feliz do mesmo jeito, pois não foi fácil conseguir esse dinheiro e poderemos tentar mais e mais vezes”, confessa Tainá. “É óbvio que quanto maior for o desempenho, será melhor e mais gratificante.”