Duda Beat amadurece com pop chique e sofrência no brasileiríssimo “Te amo lá fora”

Do pagodão à pisadinha, álbum passeia por ritmos brasileiros para se libertar e amadurecer desamores.

“Sei que você não vale nem um pouquinho, mas, mesmo assim, quero te dar meu carinho”, canta Duda Beat em “Nem um pouquinho”, faixa levada pelo pagodão baiano e com participação do baiano Trevo que, inevitavelmente, se sobressai na primeira audição do disco “Te amo lá fora”, sucessor do álbum de estreia “Sinto Muito” lançado na noite da última terça-feira (27).

Em sua letra, a música traça ainda um paralelo com seu maior hit, “Bixinho”, e é a partir dele que todo o disco parece se moldar, se apresentando uma sofrência pop chique, que transita por vários ritmos brasileiros como se eles sempre estivessem estado de mãos dadas.

Apesar da distância dos palcos, o álbum é muito bem construído para ser apresentado ao vivo. Outra parceria, “Tu e Eu”, com Cila do Coco, pede por uma plateia com coro e palminhas pra cima. “Se tu me amas como falou, não rejeitaria meu amor, não faria isso comigo, não.”

“Game” é mais uma que se sobressai. “Me perguntei por que o amor não conquista o amor”, questiona a artista sobre os jogos emocionais que baseiam os relacionamentos atuais sob uma batida de trip-hop à brasileira.

Após uma interlude que ambientaliza o final do disco, “Meu coração” se guarda como a balada mais esperada de seus próximos shows — “meu coração vive de imaginação”, canta com uma melancolia contagiante — mas é na dançante “Tocar você” que o disco chega ao fim, numa pista de dança que exorciza seus amores para, enfim, se libertar. “Nosso amor ficou só comigo.”

“Te amo lá fora” foi composto pela própria artista, com produção da dupla Lux & Tróia, com quem também trabalhou em faixas como “não passa vontade”, com Anavitória, e “Meu jeito de amar”, com Mulú. Ouça o álbum completo no player de sua preferência.