Reprodução/Divulgação A conduta do ator foi denunciada por Ray Fisher, o Ciborgue, e personalidades da internet.

Bastidores: rumores apontam Joss Whedon como abusivo no set de “Liga da Justiça”

A conduta do ator foi denunciada por Ray Fisher, o Ciborgue, e personalidades da internet.
A chegada de Joss Whedon no universo cinematográfico da DC foi recebida inicialmente como um grande trunfo para a quadrinista. Diretor de dois filmes do Vingadores, Whedon entrou como tentativa de direcionar o universo para um tom muito mais leve nas telas e também estava em negociações para encabeçar uma adaptação de "Batgirl". Entretanto, na última semana, rumores apontam que o queridinho do cinema de heróis abusa de seu poder em set de filmagens e possui comportamento machista.

Leia também:
Bastidores: cinco filmes que tiveram grandes problemas durante sua produção

Tudo começou quando Ray Fisher, interprete do Ciborgue, por meio do Twitter, retirou elogios feitos ao diretor durante a San Diego Comic-Con 2017. Inicialmente, acreditava que sua fala era referente ao cuidado dado ao seu personagem no longa-metragem, mas não demorou muito para que o ator falasse o que realmente aconteceu.


Na última quarta-feira (1), Fisher utilizou novamente sua conta do Twitter para acusar Whedon de abuso de poder. Segundo o ator, o direto foi "nojento, abusivo, sem profissionalidade e completamente inaceitável". A denúncia ainda alegou que a conduta de Whedon no set tinha apoio de ninguém menos que o Presidente da DC Entertainment, Geoff Johns, e do produtor Jon Berg.

O próprio produtor, ainda na quarta, respondeu o comentário de Fisher e alegou que o ator teria ficado irritado ao solicitarem para que ele falasse "booyah" como o Ciborgue dos quadrinhos. Berg ainda disse que tudo dito por Fisher não passa de mentira.


Outro rumor sobre a conduta de Joss Whedon surgiu também na quarta-feira por meio da criadora do canal Beyond The Trailer. Grace Randolph revelou que o diretor teria forçado Gal Gadot a gravar a polêmica cena em que o Flash (Erza Miller) cai sobre Mulher-Maravilha. No fim, a atriz não aceitou gravar, o que resultou no uso de uma dublê de corpo - que explica porquê não vemos o rosto da atriz nessa cena.

Já o fotógrafo Jason Laboy acrescentou que Whedon ainda ameaçou a dublê caso ela não gravasse tal cena. Curiosamente, há uma cena similar em "Vingadores: Era de Ultron" em que Mark Ruffalo cai sobre Scarlet Johansson.

As cenas com Gadot e Johansson são extremamente machistas. Vale lembrar que Whedon possui um roteiro descartado para um filme da Mulher-Maravilha em que a personagem é objetificada. Em 2018, em entrevista a Variety, ele alegou que não achou qualquer problema em seu roteiro após lê-lo novamente.

As denúncias feitas pelo ator e YouTuber talvez ajudem a entender o porquê dos atores de "Liga da Justiça" quererem tanto que a versão de Zack Snyder seja lançada não somente em respeito a visão do diretor de "Homem de Aço", mas pela própria insatisfação por ter trabalhado com Joss Whedon. Até o momento, o diretor não se pronunciou sobre qualquer um dos rumores.

A versão de Zack Snyder vendo sendo pedida desde o lançamento de "Liga da Justiça", em 2017. Snyder, é claro, contribuiu para que os fãs ficassem com mais vontade de assistir sua versão ao publicar nas redes ideias que foram descartas da produção. Membros do elenco também haviam confirmado a existência do "Snyder Cut".

A produção de "Liga da Justiça" foi totalmente conturbada. Em meio as gravações, Joss Whedon foi chamado para reescrever algumas cenas pois o estúdio as achava sombria demais. Tudo piorou quando Snyder se afastou após a morte de sua filha, o que resultou com que Whedon assumisse a direção. O resultado foi um filme com dois tons totalmente diferentes e uma sensação de que muita coisa estava faltando.