Reprodução/Divulgação Parece ontem que vimos Gal Gadot

Bastidores: há três anos, Mulher-Maravilha chegava pela primeira vez aos cinemas com um filme solo

Parece ontem que vimos Gal Gadot
Parece que foi ontem que Gal Gadot protagonizou uma das cenas mais poderosas do cinema de heróis quando apareceu pela primeira vez como Mulher-Maravilha em "Batman VS Superman: A Origem da Justiça". Lançada em 2016, a produção pode não ter dito a melhor das recepções, mas se tem uma coisa que todo mundo aclamou foi justamente a participação da heroína.

No ano seguinte, foi a vez da personagem ganhar pela primeira vez um longa-metragem para chamar de seu nos cinemas. Com Patty Jenkins na direção, a produção simboliza também a primeira vez em que a DC Comics teve um grande acerto desde o início de seu universo compartilhado nos cinemas ao lado da Warner Bros.


A princesa de Themyscira, entretanto, levou 76 anos para chegar com uma produção própria nos cinemas. O primeiro quadrinho solo da personagem surgiu em 1942 e a proposta era clara: promover a igualdade entre gêneros e empoderamento feminino. Todavia, a personagem acabou se tornando uma secretária da liga e com a morte de seu criador, William Moulton Marston, suas roupas passaram a ficar cada vez mais curtas.

Na década de 60, foi quando a personagem surgiu nas telinhas sendo interpretada Ellie Wood Walker e Cathy Lee Crosby, em uma versão da personagem que não possuía poderes. Só foi em 1975 que Lynda Carter eternizou a personagem em uma série que fez um baita sucesso na época. Houve também uma nova tentativa de levar Diana para as telinhas em 2011, mas a ideia não foi para frente.

O projeto de um filme para a heroína existe desde 1990 e passou pela mão de várias pessoas, inclusive Joss Whedon, que teve o seu roteiro recusado. Em consequência a longevidade do projeto, várias atrizes foram cogitadas para o papel principal: Eva Green, Jessica Biel, Sarah Michelle Gellar e até mesmo Sandra Bullock.


Entre todas, Megan Gale foi a mais próxima a viver a Mulher-Maravilha nos cinemas antes de Gal Gadot. Ela estaria em "Liga da Justiça: Mortal", o filme do George Miller ("Mad Max: Estrada da Fúria") que nunca viu a luz do dia. Com orçamento de US$ 220 milhões, a ideia da produção era iniciar um universo cinematográfico, mas devido ao Batman de Christopher Nolan o estúdio optou por arquivar o filme.

Quando Gadot foi anunciada, ainda em 2015, a atriz sofreu diversas críticas de fãs porque ela não tinha o corpo ideal que eles desejavam. Na época, ela rebateu as críticas: "não levo nada disso em consideração". Hoje, entretanto, é difícil imaginar qualquer outra atriz para a personagem. Ela é a Mulher-Maravilha.

A consolidação de Gal como a personagem se dá também por conta da parceria com Patty Jenkins. Podemos dizer, inclusive, que ela foi a primeira diretora do estúdio a ter uma maior liberdade quanto as suas escolhas artísticas desde "Batman VS Superman", o divisor quanto ao momento em que os acionistas passaram a pesar muito em relação a construção das tramas. "Esquadrão Suicida" se tornou todo coloridão e um verdadeiro videoclipe desconexo, enquanto "Liga da Justiça" virou um verdadeiro misto de retalhos.

Obviamente, "Mulher-Maravilha" ainda possui momentos em que é fácil supor que tenha sido uma decisão dos acionistas. O ato final cheio de raio azul e megalomaníaco muito provavelmente nunca foi o plano inicial de Jenkins, mas isso é uma suposição e provavelmente nunca teremos uma confirmação.


O que importa, na verdade, é que Jenkins mostrou que sabe fazer um verdeiro blockbuster. A Warner, aliás, a chamou para dirigir um filme da Liga da Justiça - não se sabe se o convite foi para o já lançado ou para uma sequência, mas recusou por não se conectar com a trama e por ter "muitos personagens".

A união de Jenkins e Gadot se reflete em sua bilheteria. Faltou pouco para que "Mulher-Maravilha" chegasse a casa do bilhão. Segundo o Box Office, a produção arrecadou US$ 821,8 milhões. É claro que a Warner sabia a nova mina de ouro que tinha nas mãos, tanto que não demorou muito para que uma sequência fosse anunciada. "Mulher-Maravilha: 1984" está previsto para estrear em agosto de 2020.