Reprodução/Divulgação Em resposta, um usuário do Twitter rebateu: “Abre um curso de literatura na favela, cidadão”.

Silva critica “falta de cultura” de quem entende de Britney, mas não conhece clássicos brasileiros

Em resposta, um usuário do Twitter rebateu: “Abre um curso de literatura na favela, cidadão”.
Gente, alguém avisa?

O cantor brasileiro Silva, que neste ano colaborou com Anitta na faixa “Fica Tudo Bem”, foi ao Twitter criticar o que ele chama de “teoria da síndrome do vira-lata”, se referindo aos jovens que conhecem artistas e figuras pop, mas desconhecem nomes como Carlos Drummond de Andrade e Vinicius de Moraes.

Numa conversa com seu público, o músico afirmou: “nunca me acho superior e acho péssimo quem se acha. Mas confesso que sou tipo aqueles professores de português que acham um absurdo alguém não conhecer Drummond.”

“O povo sabe quem é Britney, mas não sabe quem é Vinicius [de Moares]”, continuou. “É a teoria da ‘síndrome do vira-lata’ se perpetuando.”


Em resposta a um fã que falou sobre se tratar de uma geração mais nova, que se apega às figuras pop atuais, o cantor respondeu: “acho que ‘mais pop’ não é desculpa. Carmen Miranda é uma figura pop também. É falta de cultura mesmo, infelizmente.”

Entre as reações do site às declarações do cantor, um dos usuários criticou o tom elitista na fala do cantor, que então respondeu: “você tá certo. A gente privilegiado só faz reclamar. Aprendo mais uma.”

Antes da parceria com Anitta, disponível nas plataformas de streaming em sua versão original e num remix para baladas, Silva havia lançado um disco composto por covers de Marisa Monte, com o qual segue em turnê desde o ano passado.