Ícone que se posiciona: em apoio à protesto, Rihanna se recusou a cantar no Super Bowl 2019

Cantar no show do intervalo é o sonho para carreira de muitos artistas, mas Rihanna tem outras prioridades.

Artista que não teme se posicionar é outra história, né gente? Segundo a Entertainment Tonight, a Rihanna era a favorita da NFL para o show do intervalo do Super Bowl de 2019 e, ao ser convidada para o evento, não hesitou em recusá-lo, como uma forma de protesto e solidariedade ao jogador Colin Kaepernick.

Kaepernick, pra quem não se lembra, teve sua carreira marcada por um protesto realizado em 2016, quando se recusou a cantar o hino nacional em uma partida, ficando de joelhos. O ato foi uma forma dele usar a exposição do jogo para se manifestar contra a brutalidade da polícia americana e desigualdade racial dos EUA e, visto como uma postura desrespeitosa, custou o seu afastamento dos campos, que dura até os dias atuais.


Segundo a fonte da revista, tanto a NFL quanto a CBS queriam muito a apresentação da cantora barbadiana, que recusou por não concordar com as medidas de afastamento tomadas pela organização.

Sem Rihanna, que deve lançar um disco no próximo ano, a NFL sondou uma performance da cantora P!nk, mas após as negociações não avançarem, só conseguiram fechar com a banda Maroon 5, como noticiou no mês passado a revista Variety.

O Super Bowl de 2019 acontecerá no dia 3 de fevereiro em Atlanta.

Ícone que se posiciona: em apoio à protesto, Rihanna se recusou a cantar no Super Bowl 2019 Ícone que se posiciona: em apoio à protesto, Rihanna se recusou a cantar no Super Bowl 2019 Reviewed by Guilherme Tintel on 10/19/2018 04:18:00 AM Rating: 5

0 COMENTÁRIOS

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.