Novo selo no cinema e streaming: como funcionarão as novas apostas da DC

Ainda não entendeu como vai funcionar? A gente explica.

Quando a DC Comics decidiu investir em um universo cinematográfico ao estilo Marvel, todo mundo ficou animado pra caralho porque não teria como dar errado visto que os heróis mais famosos estavam em suas mãos. Numa corrida um pouco atropelada, deu tudo errado. Visões de universo discrepantes, furos e falta de planejamento mataram aquele que seria o principal filme da quadrinista: "Liga da Justiça".

Com um arrecadamento vergonhoso, uma nova estratégia teve de ser planejada. Sem anúncios oficiais, reunimos rumores fortes e poucas confirmações para explicar como devem funcionar as novas apostas da DC que envolvem: universo "compartilhado" no cinema, serviço de streaming próprio e um novo selo de filmes.

Joaquin Phoenix, o novo Coringa.

Este último deve ser anunciado oficialmente durante a San Diego Comic-Con e com a contratação de Joaquin Phoenix para viver uma nova versão do Coringa deixa clara a criação do novo selo. Batizado até então de DC Dark ou DC Black, o selo alternativo será usado para filmes totalmente separados do universo atual do cinema, então eventualmente teremos dois Coringas, por exemplo.

A ideia por traz deste novo selo é investir em produções com orçamentos menores e pés no chão — o impacto de Nolan ainda é real. Segundo o The Hollywood Reporter, o novo selo entra justamente em resposta à baixa bilheteria de "Liga da Justiça". Assim, com um orçamento menor, caso a produção não vá bem nas bilheterias, o prejuízo a Warner é menor.

O lançamento de selos para a produção de histórias alternativas é uma prática bem comum no mundo dos quadrinhos. Recentemente, inclusive, foi lançado o DC Black Label, com o mesmo objetivo: soltar histórias paralelas sem prejudicar o universo atual. Com um novo selo, os autores podem surtar e criar histórias únicas por não ter a necessidade de se prender a acontecimentos prévios. No cinema, o selo deve se refletir da mesma forma.



Já no mundo dos streamings, a DC se prepara para lançar a DC Universe em agosto. Por enquanto somente disponível nos Estados Unidos, o serviço reunirá um enorme acervo de conteúdo da quadrinista, com desenhos animados, filmes clássicos e quadrinhos. O grande plus do serviço é o lançamento de conteúdos originais que prometem ser ao mínimo interessantes.

Além da "nova temporada" da série animada "Justiça Jovem", o serviço lançará também uma nova série para os queridinhos Jovens Titãs. Contra a maré de "Teen Titans Go!", a série "Titans" vai ser toda sombria e realista. Ainda não foi confirmado se fará parte do mesmo universo da DC nos cinemas.

Jason Momoa em "Aquaman".

Aliás, como fica o universo dos cinemas? Do jeito que está, ou quase isso. Com o insucesso de "Liga da Justiça", as produções do universo compartilhado seguem como o planejado, porém sem grandes ligações entre elas. A ideia é seguir de forma que os filmes tenham liberdade própria e não dependam exclusivamente dos eventos acontecidos em filmes anteriores. Claro, eventuais filmes em conjunto ainda devem acontecer.

Com a San Diego Comic Con, que começa no próximo dia 19, tudo deve ser oficializado e a DC deve anunciar um novo calendário de estreias, incluindo tudinho o que foi dito aqui. É esperar para ver e torcer para quadrinista ao lado da Warner finalmente se encontrar no audiovisual.

Novo selo no cinema e streaming: como funcionarão as novas apostas da DC Novo selo no cinema e streaming: como funcionarão as novas apostas da DC Reviewed by José Lucas Salvani on 7/11/2018 01:08:00 PM Rating: 5

0 COMENTÁRIOS

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.