Está mais do que na hora da Ariana Grande cantar no Super Bowl e nós podemos provar

Pra fortalecer nossa teoria, também fizemos uma playlist no Spotify.

Na próxima quarta-feira vai rolar uma festa especial Ariana Grande no Tex Bar, na Rua Augusta, em São Paulo. E como serei um dos DJs da festa, estava me aprofundando nos hits da menina “No Tears Left To Cry” quando me dei conta de um detalhe que talvez tenha passado despercebido por meio mundo nos últimos dois anos: ela, além de ser uma das “ex-acts” mais bem-sucedidas da sua geração, já tem hits de sobra, né? E se pudesse, seguraria tranquila um Super Bowl.

É sério, você pode ler isso e pensar “que porra esse cara tá pensando, gente?”, mas os números não mentem e, mais do que isso, a nossa memória, que nos faz cantarolar cada um dos seus sucessos, está aí para nos fazer morder a língua quantas vezes forem necessárias para aceitarmos essa informação.

Para fortalecer a minha teoria, eu fui além e fiz uma playlist no Spotify, na qual incluí alguns dos hits que seriam imprescindíveis para o caso de Ariana Grande ser convidada para o Super Bowl e, apesar da lista ter rendido boas uma hora e alguns segundos de música, a gente precisa contar com a imaginação e o talento do DJ e técnico de som que trabalhará nas transições de faixas, para tornar todo esse tempo nos breve, porém marcantes, quinze minutos de show do intervalo.

Mas vamos lá, vamo usar a imaginação.


O show da Ariana Grande obviamente começa com “No Tears Left to Cry”. Sua música nova é um dos melhores singles pop de 2018 e, definitivamente, rende uma abertura épica, mas que não entrega o ouro do seu show logo de primeira. Pra aproveitar o fôlego dessa primeira, ela já emenda duas masterpieces do “Dangerous Woman”: o smash hit injustiçado “Into You” e a perfeição que sequer foi single, “Be Alright”. E a gente dança. Claro que dança.


O ritmo dá uma acalmada com a interlude “Knew Better/Forever Boy”, até que ela recebe o seu primeiro convidado. Ela vai cantar “Love Me Harder”, com The Weeknd. As pessoas não estão sabendo lidar com tanto talento, mas eles querem ver todos cantando ainda mais alto. Por isso, seguem com o hit do canadense: toma uma “Can’t Feel My Face” pra ficarem espertos!


Tá rolando todo um show pirotécnico e, em meio ao fogo, The Weeknd deixa o palco. Mas a introdução da música seguinte já faz todos gritarem outra vez, é a hora de “Everyday”. Antes do verso de Future, entretanto, Ariana faz outra escolha inusitada: a incrível “Bad Decisions”, aqui marcada pela percussão ao vivo, enquanto seus vocais seguem tomando conta do espetáculo.


Os saudosistas de plantão estão aos prantos com a dobradinha de “Baby I” e “The Way” e, surpreendendo o público mais uma vez, dessa vez ela conta com a participação do rapper e seu ex-namorado, Mac Miller. Gritos, gritos, mais gritos. 

Agora foca aqui, foca aqui, porque essa introdução todo mundo conhece. Com direito a fanfarra e um coral quase gospel, Grande entrega uma das maiores performances do hit “Focus” e, obviamente, segue com o smash hit “Problem”. No lugar de Iggy Azalea, entretanto, quem surge é Nicki Minaj. Essas duas não se desgrudam. A performance da vez é para “Bang Bang”, numa versão remix que vai do seu refrão para os versos de Ariana, sem a participação de Jessie J – injustiçadíssima, merecia um convite para um evento desses, não merecia? E, ainda com Nicki Minaj, a cantora faz com que todos se lembrem de mais uma que sempre esteve na ponta da língua: “Side to Side”.


As luzes se apagam e, quando vemos Ariana Grande novamente, ela está no centro do palco. A plateia ilumina toda a arena com o flash de seus celulares. Fica difícil segurar o choro com a sua versão para “Somewhere Over The Rainbow”. O piano continua para mais uma faixa, mas mal é notado por trás dos vocais de “Leave Me Lonely”, com a participação da sempre incrível MACY. GREY.


Você poderia jurar que está assistindo a esse espetáculo há muito tempo, mas se passaram apenas 10 minutos, acredita? E ela sabe muito bem o que fará a seguir.

A era “Dangerous Woman” é exaltada outra vez, agora com a sua faixa-título, e a performance se torna ainda mais grandiosa com esse medley dela e “Greedy”. Esse show poderia acabar aqui e já seria histórico, mas calma, que vem mais uma pra dançar: “One Last Time” começa no volume máximo. Alguém se lembrava que essa música era tão boa? E nós não queríamos estar no lugar da Ariana, mas ela ainda tem fôlego pra mais uma e agora com seu último convidado da noite, Zedd, claro, com “Break Free”.


Fogos, explosões, arco-íris, muita dança. Ela tá com um sorriso de orelha à orelha, e a certeza de que fez um dos melhores shows da história do Super Bowl.

O especial Ariana Grande acontece no Tex Bar nesta quarta-feira, dia 30, e você pode ter mais informações sobre a festa no evento do Facebook.

Abaixo, também tem uma playlist com a setlist maravilhosa desse show icônico que descrevi acima:



Que deus abençoe a Ariana Grande! 🙌

Está mais do que na hora da Ariana Grande cantar no Super Bowl e nós podemos provar Está mais do que na hora da Ariana Grande cantar no Super Bowl e nós podemos provar Reviewed by Guilherme Tintel on 5/28/2018 05:15:00 PM Rating: 5

0 COMENTÁRIOS

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.