Usher também quer falar de racismo em “Chains”, um dos clipes mais fodas da sua carreira

“Chains” abre os trabalhos do novo CD do Usher e conta com a participação da Bibi Bourelly, que compôs “Bitch Better Have My Money”.

Ainda que caminhemos a curtos passos, as discussões sobre racismo estão se tornando bastante frequentes e, principalmente, pelo incômodo e posicionamento cada vez maior de suas próprias vítimas, tanto no Brasil quanto em vários outros países no mundo, e, assim como acontece por aqui, um problema frequente nos EUA é a repressão policial, que condena cada vez mais pessoas apenas por serem negras.

Usher, famoso por suas músicas sobre festas, transas e romances, decidiu então contribuir quanto a toda essa discussão e da melhor forma possível, na música que abre os trabalhos do seu novo disco, “Chains”, contando ainda com a participação da compositora de “Bitch Better Have My Money”, da Rihanna, Bibi Bourelly, e o grande rapper Nas.

Caso não se lembre, “Chains” havia sido lançada em outubro do ano passado, mas com exclusividade pelo Tidal, o que dificultou o acesso a canção, bem como toda sua divulgação, fazendo com que ela não chamasse tanto a atenção pública, mas passados alguns meses desde sua estreia, a música ganhou nessa semana o seu videoclipe e, TAQUEPARIU, HEIN?

Com direção do Ben Louis Nicholas, o clipe novo do cantor coloca Usher na posição de próxima vítima de toda a injustiça desse sistema, enquanto, sem culpa por coisa alguma, o cara é perseguido por policiais e, até o fim da produção, termina como apenas mais uma das estatísticas.

Ainda que estruturado de maneira bastante simples, o videoclipe, todo em P&B, tem suas cenas alternadas entre takes em que elementos como armas e bandeiras dos EUA de gesso são quebradas, assim como outros negros aparecem com mensagens em cartazes, incluindo um que questiona: “Eu sou o próximo?”. Definitivamente, não tem como assistir e não se arrepiar.

Dá só uma olhada:



Foda demais! Só é uma pena saber que isso não acontece apenas nos videoclipes, né?

Na sua letra, a música diz “você age como se fosse a mudança / tentando me jogar atrás das grades / não aja como se estivesse nos salvando / continua a mesma coisa / Cara, não aja como se eu estivesse inventando tudo isso / você culpa a gente / vamos ser honestos / Você até deu um nome pra isso: criolo”. E, nas suas performances, Usher leva a sério todo o conceito cantado, realizando apresentações algemado, como essa que você pode assistir abaixo:


“Chains” é a primeira amostra do novo disco do Usher, sucessor da máquina de hits, “Looking 4 Myself” (2012), e chega num momento mais que oportuno nos EUA, uma vez que sucede o ano em que Kendrick Lamar levou um dos discos mais críticos dos últimos tempos para o Grammy e a Casa Branca e também pega andando a polêmica do Oscar que, em mais uma edição, fez pouco caso dos artistas negros, correndo o risco de sofrer boicote de grandes nomes, como Will Smith e o diretor americano Spike Lee. Será que podemos esperar mais militância vinda dele nesse novo CD?

Vale ressaltar que a música também foi composta pela Bibi que, além de “Bitch Better Have My Money”, esteve por trás de “Higher”, do CD “ANTI”, da Rihanna, e recentemente assinou um contrato para o lançamento do seu disco de estreia pela gravadora Def Jam.

O que você achou do clipe?

Usher também quer falar de racismo em “Chains”, um dos clipes mais fodas da sua carreira Usher também quer falar de racismo em “Chains”, um dos clipes mais fodas da sua carreira Reviewed by Guilherme Tintel on 2/03/2016 02:13:00 AM Rating: 5