Taylor Swift não quebra recordes de Britney Spears e Lady Gaga, mas não tem do que reclamar

Taylor Swift começou seu caminho no pop com o pé direito. Seu novo álbum, "1989", lançado dia 27 de outubro, vendeu em apenas u...
Taylor Swift começou seu caminho no pop com o pé direito. Seu novo álbum, "1989", lançado dia 27 de outubro, vendeu em apenas uma semana nada menos que 1,287 milhões de cópias. Isso dá a Taylor o recorde de maior estreia do ano nos EUA, além de um já esperado primeiro lugar na Billboard 200. "1989" foi o único álbum em 2014 a vender mais que 1 milhão de cópias em sua primeira semana, salvando do flop fiasco a indústria fonográfica norte-americana deste ano e já se tornou a segunda maior vendagem do ano, atrás apenas da trilha sonora do filme Frozen.

Acha pouco? Se sim, prepare-se. A loira não se contentou apenas com esses feitos: seu álbum teve a melhor estreia nos EUA desde 2002, quando o rapper Eminem vendeu 1,322 milhão de cópias do disco “The Eminem Show”. O lead-single do álbum, "Shake It Off", já havia estreado na primeira posição do Hot 100 da Billboard no fim de agosto.

Mas o que todos os swifties esperavam não aconteceu. Mesmo com todas essas marcas, Taylor Swift não quebrou os recordes de maior estreia de um disco feminino, ainda pertencente à eterna princesinha do pop Britney Spears com o clássico “Oops... I Did It Again”, e o de maior debut digital do país, nas mãos de "Born This Way", de Lady Gaga.

Apesar disso, a loira não pode reclamar: ela é a única artista da história a conseguir vender mais de 1 milhão de cópias de três trabalhos diferentes apenas na primeira semana, graças ao histórico excelente de vendas de seus dois últimos discos, "Red" e "Speak Now", com respectivamente 1,2 e 1,05 milhão de cópias vendidas na primeira semana. Além disso, "1989" é o quarto disco de Taylor a alcançar o pico da Billboard 200.