Overdose | 'O Doador de Memórias': apenas mais um mundo distópico no cinema?

A ideia de um mundo distópico sempre esteve presente na literatura. Hoje, tal ideia começa a ganhar força também no cinema após a explosã...
A ideia de um mundo distópico sempre esteve presente na literatura. Hoje, tal ideia começa a ganhar força também no cinema após a explosão de "Jogos Vorazes". O mundo criado por Suzanne Collins incentivou grandes estúdios a trazer adaptações que trabalhassem isso. "Divergente" e agora, "O Doador de Memórias" são seus sucessores. O último, chegou aos cinemas nesta quinta-feira e nosso Overdose da semana é todo dedicado a ele.

No filme somos apresentados a um mundo quase que utópico, em que todos são felizes. Jonas é o escolhido para ser o Receptor de Memórias da comunidade, e assim, passa por uma espécie de treinamento com O Doador. O jovem sentirá dor, sofrimento e tristeza. Saberá o quão real o mundo é, não chegando nem perto do que as pessoas realmente veem, e perceberá que tudo que viveu até agora era uma mentira.

Diferente de "Jogos Vorazes" por exemplo, aqui, a sociedade não tem consciência alguma dos reais problemas. Para ela, tudo é perfeito. Mas, não podemos esquecer da existência de um poder maior no comando, tomando qualquer medida necessária para que o equilíbrio, por mais manipulador que seja, permaneça.

Comparações serão inevitáveis, já avisamos.

Para quem não sabe, "O Doador de Memórias" é baseado no livro "The Giver", e ele faz parte de uma tetralogia, tendo como sucessores: "Gathering Blue", "Messenger" e "Son". Torçam pelo sucesso do filme para termos mais uma saga no cinema. Os livros foram escritos por Lois Lowry, sendo o último lançado em 2012. E a série de livros não é nova tá? "The Giver" foi lançado lá em 1993.


Neste trailer (ou em qualquer outro do longa), temos algo que é válido ressaltar. Não, não é sua trama (apresentada lá em cima), ou o "rostinho bonito", mas sim sua fotografia. Simples, ela traz um conceito inteligente, e de fácil entendimento. A fotografia em preto e branco mostra o quão inocente Jonas é, e o quanto ele desconhece do mundo. A simples passagem para o colorido chega a ser fantástica. "Vermelho", novas cores, um novo mundo.

Aqui, temos uma nova geração no elenco, junto de grandes nomes como Meryl Streep (proprietária do cinema) e Jeff Bridges. Brenton Thwaites deverá ser um dos nomes que você nunca ouviu em sua vida, porém, o moço é o nosso protagonista, e foi o Príncipe Encantado em "Malévola". Aos poucos o rapaz cai no gosto do público, se já não caiu. Cameron Monaghan ("Shameless") e Odeya Rush ("Somos o que Somos) completam o elenco teen. E é claro que não podemos esquecer de Kate Holmes ("Batman Begins"), Alexander Skarsgård ("Melancolia") e até Taylor Swift (fazendo uma pequena participação) que completam o elenco principal.

A direção do filme fica por conta do australiano, Phillip Noyce, responsável por "Salt", filme com Angelina Jolie.

"O Doador de Memórias" não cai em triângulos amorosos ou até romances banais (pelo menos não como um foco). E o que poderia ser seu grande trunfo, pode acabar virando seu maior problema. Sete em cada dez espectadores são adolescentes. Destes sete, quatro não se importam com a mensagem por trás do filme. O longa pode ser a melhor distopia teen atual, mas não fará tanto barulho como as outras. Isso, só por não dar foco ao romance.

ENFIM, "O Doador de Memórias" é sim, apenas mais um, em meio aos diversos filmes que trabalham com a ideia de distopia. Inteligente, e simples, o longa chamará atenção daqueles que se alimentam de "Jogos Vorazes" e "Divergente". E, apesar de alguns pontos controversos, pode tornar-se uma grande febre entre os adolescentes.