Pra ficar de olho: Mapei lança segundo single do seu disco de estreia, vem ouvir a épica "Change"!

Jacqueline Mapei Cummings, artisticamente conhecida como Mapei, não deve ser um nome desconhecido pra quem foi atrás das nossas 14 apost...

Jacqueline Mapei Cummings, artisticamente conhecida como Mapei, não deve ser um nome desconhecido pra quem foi atrás das nossas 14 apostas para 2014, mas se você não se encaixa nesse caso e não tem o nome da cantora americana como algo familiar, pode ficar tranquilo, pois não víamos a hora de encontrar outra oportunidade pra falar dela e explorar melhor o que tem a nos oferecer.

Descoberta por ninguém menos que Diplo, que logo a colocou pra cantar em "Mary Jane", lançada pelo seu projeto paralelo, Major Lazer, láaa em 2009, Mapei não possui nada além de um EP e single lançados. O primeiro álbum da cantora, "The Cocoa Butter Diaries", saiu no mesmo ano que "Mary Jane" e, como deve notar, não contribuiu muito quanto a sua popularidade, mas foi com "Don't Wait", agora dito como seu single de estreia, que ela passou a chamar a atenção da internet.

No single, utilizado na apresentação que fizemos no começo do ano, a cantora mescla o hip-hop com R&B numa proposta semelhante a da Naomi Pilgrim, que também apresentamos há pouco, também remetendo a nomes como M.I.A., James Blake, o próprio Diplo e, ah!, Lorde. Lembra bastante a Lorde. Mas tem mais gingado, talvez pela virada que a música dá no refrão, flertando com o funk (o carioca mesmo!), e foi isso o que nos conquistou, afinal, tem tudo quanto artista fazendo músicas com uns instrumentais assim, hein? Então pra se destacar, você precisa de algo a mais. E ela tem.


Dando sequência a sua dominação do mundo (vai acontecer! Rs), o novo single de Mapei se chama "Change" e antecede o lançamento do seu disco de estreia, "Hey Hey", que tem previsão de lançamento para o dia 23 de setembro e não sairá pela gravadora do Diplo, mas sim pela Columbia Records.

Numa proposta bem mais trabalhada, "Change" vem orquestrada em meio a muita percussão, teclado e toda uma áurea épica/apoteótica, enquanto os vocais dela não ficam atrás, dando um show a parte e acrescentando essa coisa mais urbana, nem tão marcada no instrumental. Uma boa pedida pra quem curte os trabalhos da Florence + The Machine, Foxes, Santigold, Lykke Li e, mais uma vez, Lorde. Confira:


A gente espera que não demore muito até ela acontecer.