Overdose | De 1954 a 2014, um pouco da trajetória de 'Godzilla'!

Em 1954 era lançado o filme que se tornaria referencia (junto de "King Kong") a futuras produções com monstros gigantescos e u...

Em 1954 era lançado o filme que se tornaria referencia (junto de "King Kong") a futuras produções com monstros gigantescos e um simbolo de filmes de tal gênero. "Gojira" surgia em meio aos tormentos causados pelas bombas atômicas que atingiram Hiroshima e Nagasaki, personificando o medo dos japoneses após tal tragédia. Esse foi o primeiro filme que explorou os kaijus recebendo 28 filmes no total, dentre eles versões americanas e crossovers fantásticos como "King Kong VS Godzilla".

Dentre os 28 filmes do Rei dos Monstros, diversas histórias foram contadas para sua origem, mas a história da versão original se manteve em quase todas, com leves alterações de uma para outra. No primeiro filme do monstro, após uma contaminação radioativa de seu habitat natural, Gojira é "obrigado" a abandonar seu meio natural arrastando destruição por onde passa (em todo o Japão no caso).

"Gojira", 1954

Tornando-se um marco no cinema japonês e sucesso de público, o filme em 1956 ganha sua primeira versão americanizada, recebendo assim seu nome mais conhecido "Godzilla". E só em 1998 é lançada uma das versões mais famosas do monstro, porém pouco aceita hoje, faturando US$ 379 milhões (R$ 836 milhões).

Originalmente, "Gojira" era para ser feito em stop-motion, mas devido à falta de orçamento, as cenas em que o lagarto/dinossauro aparecia foram feitas através de suitmation, em que um homem vestia o "traje" do monstro e "atuava". A técnica prevaleceu em todos os filmes de Ishirô Honda, criador da série.

"Gojira" ficou tão popular que atingiu outras mídias além do cinema. O monstro recebeu sua própria série de quadrinhos na Marvel entre 1977 e 1979. E entre esse período foi lançado também um desenho do bicho, "The Godzilla Power Hour" e mais tarde (1998) era lançada "Godzilla The Series" fazendo ligação direta com o filme americano de mesmo ano.

Agora, 60 anos depois, "Godzilla" ganhará mais um filme americano, trazendo todo um drama humano (com um elenco de primeira) em meio as catástrofes geradas pelo monstro.

Na trama deste novo longa, Joe Brody (Bryan Cranston) perde a esposa Sandra (Juliette Binoche) em um misterioso acidente em uma usina no Japão. Dez anos se passam e Joe (junto de toda a população mundial) se vê enfrentando uma grande ameaça: um réptil mutante de proporções gigantescas. Ford Brody (Aaron Taylor-Johnson), filho de Joe e Sandra, foi encarregado de comandar uma ação militar para combater o monstro, enquanto tenta salvar seu pai e esposa.

Dois pontos chave para o filme ficaram nítidos com os diversos trailers, comerciais lançados. Um deles é o, já citado, drama humano prometendo prender todo o público com a espetacular atuação de Bryan Cranston. O outro é toda a tensão criada em volta de "Godzilla". O monstro demora para surgir por completo - corpo, calda, pés e braços preenchem parte das cenas dele -  criando uma grande expectativa no público, tornando uma experiencia única.

Bryan Cranston e Aaron Taylor-Johnson

O filme é dirigido pelo "estreante" Gareth Edwards, fã declarado de "Gojira". Edwards afirma: "Queria esquecer de todo o resto e focar na experiência que eu mesmo tive um dia, sentado no sofá da minha casa, boquiaberto, vendo aquele filme tão original de 1954. Não há admirador de ficção científica e de filmes de fantasia que não tenha uma relação muito especial com aquela produção". Podemos, assim, esperar uma grande homenagem para o clássico de 54.