It Pop apresenta: a artista audiovisual Poison Ivory e o pop absurdinho do seu EP de estreia, "The Filth"!

Com a internet e todos os recursos oferecidos por ela, se tornou bem mais fácil se tornar um artista e, aproveitando ainda o hype propor...

Com a internet e todos os recursos oferecidos por ela, se tornou bem mais fácil se tornar um artista e, aproveitando ainda o hype proporcionado pela própria, se tornar uma estrela pop, da forma literal mesmo. Ainda assim, por mais que hoje seja mais simples ter seu nome se tornando algo grande, é na mesma velocidade que outra estrela aparece e você deixa então de ser a maior estrela de todos os tempos daquela semana, dando a vez para outra grande revelação que amarão para sempre até uma próxima aparição que mereça grande atenção.

Desta forma, só neste ano já podemos contar mais de 20 novos nomes que passamos a ouvir e eis que surgiu um novo para nossa listinha, qual esperamos, sinceramente, que possa aproveitar bem o momento em que for algo grande, não se tornando tão descartável quanto outros nomes que vimos ser endeusados e logo em seguida declinados pela própria internet.

Poison Ivory é uma artista, no melhor sentido da palavra, e bem interessante. Conhecida por dividir estúdio com outros nomes em ascensão, como a cantora e compositora Kat Dahlia e Neon Hitch, a cantora americana conquistou seus primeiros fãs com o lançamento das canções "Lil Peace Of Heaven" e "Mr. Wonderful", mas agora prepara a sua estreia oficial com a chegada do seu primeiro EP, intitulado "The Filth", com produções de Synematik, o coletivo do DJ Kalibur com H&M, Shy Boogs e Jo A.



De forma agressivamente colorida, o apelo visual da cantora nos remete aos trabalhos da rapper Brooke Candy, mas somos então surpreendidos pelo contraste feito por sua imagem com sua música, cheia de refrões marcantes e coisas bem radiofônicas, além de vocais que em momentos se assemelham aos de Britney Spears, só que melhor utilizados e, mais uma vez, agressivos. 

Com o EP "The Filth", Poison Ivory mostra ser uma artista bem versátil e com muita personalidade. Aos poucos, quando pensamos além dos refrões ou do dubstep de sua primeira faixa, "Sex Is A Weapon", traçamos mais de sua personalidade, rock de uma forma bem pop, e ficamos ainda mais instigados a compreender seu projeto, o que se passa na cabeça dela, que também é filha de um pastor e não hesita em mostrar seu orgulho por ter vencido uma luta contra o câncer.



Se descrevendo como mais que uma artista visual e se mostrando disposta a levantar a bandeira pelo uso da arte como liberdade de expressão, Ivory classifica sua música como um grunge urban pop e em seu material temos, além do dubstep já citado, reggae com "Mr. Wonderfull", ora urbano, ora bem eletrônico, o bom uso das cordas em encontro aos synths de "Lil Piece Of Heaven", que mais parece ter saído das mãos do Joel Little (mesmo produtor dos EPs de estreia da Lorde e Broods), a introspecção Lykke-Liesca de "The Blues" e a surra, que nos torna masoquistas por querer outra vez, de "Alchemy".



Em suma, dá pra dizer que é como ouvir a voz da Britney Spears no corpo da Brooke Candy cantando músicas da Lorde. E TAQUEPARIU, quem imaginou que algum dia encontraríamos essa mistura?

Ouça seu EP de estreia da americana na íntegra abaixo: