A síndrome do cavalo preto: como "Dark Horse" foi o maior acerto e maior erro de Katy Perry

Não é segredo algum que Katy Perry e sua equipe são uma máquina de hits, e não é de se estranhar que com o "Prism", novo álbu...

Não é segredo algum que Katy Perry e sua equipe são uma máquina de hits, e não é de se estranhar que com o "Prism", novo álbum da cantora (nossa resenha aqui), mais canções catapultadas para o topo dos charts tenham aparecido, porém há algo de estranho acontecendo com a nova era.

Antes de o álbum ser lançado, Miss Perry, através de uma parceria com a Pepsi, deixou os fãs escolherem qual seria o primeiro single promocional do álbum. Na disputa entre "Walking on Air" e "Dark Horse" a última saiu ganhando e foi logo um sucesso, tanto pela letra cheia de poder quanto pela melodia viciante e fora do lugar-comum imposto pela diva desde o "Teenage Dream".

Aí que fomos surpreendidos com "Unconditionally" sendo escolhida como segundo single depois do lead e smash "Roar". A balada, linda de morrer, acabou sendo tragada pela imposição do próprio público, que tornava "Dark Horse" um hit antes mesmo de ser single oficial. Mesmo com a californiana divulgando massivamente o single em várias apresentações e com um clipe belíssimo, os esforços não foram o suficientes. Com isso, o desempenho de "Unconditionally" foi "ofuscado" pelo tal cavalo preto, não vindo a ser o hit que esperávamos (mas também foi beeeeeem longe de um flop, como afirmam).



O jeito foi atender o clamor público: transformar "Dark Horse" em single oficial. Como o hit já estava garantido, foi bem fácil transformar a canção num smash, conseguindo o famigerado (e merecido, a música é a melhor do álbum e uma das melhores de toda a carreira de Katy) #1 na Hot 100. Nem mesmo o clipe horroroso conseguiu apagar o brilho da faixa, um dos grandes nomes de 2014.



Mais um hit no bolso, hora de partir pra frente, certo? Não tão certo assim. Katy lançou "Birthday" como quarto single do "Prism" de forma precipitada em vários aspectos, como a prematuridade (o single foi lançado cedo demais, enquanto "Dark Horse" ainda fervia) e a simples escolha errada (a música poderia sim ser single, mas bem depois, como foi comentado na nossa Single Review).



O reflexo disso é o desempenho de "Birthday" nos charts, em posições mais tímidas, e a absurda falta de divulgação do single além dos streams e rádios, que é o que anda elevando a faixa (e nem vamos entrar na polêmica história do jabá, com a cantora enviando bolos com a capa do single para as rádios). Em contra partida, "Dark Horse" ainda hoje se encontra no top 10 de váaaarios charts pelo mundo, e, como se não bastasse, foi lançado na semana passada (09) o making of do clipe de "Dark Horse", para dar mais uma ofuscada na pobre "Birthday".



Com isso "Dark Horse" acabou sendo o maior acerto e o maior erro de Katy Perry, por se tornar uma canção icônica em sua carreira e, por tal grandiosidade, diminuir as outras de certa forma, o que dentro de uma "era" é prejudicial. Mas o que isso significa de verdade? Fora do mundo das análises mercadológicas e tendências musicais, nada rs. Porém, se formos levar em conta só e somente só o que é aplicável e mutável no nosso mundo real, bem, muitas discussões não teriam sentido. E você já ouviu "Dark Horse" hoje?