Em prol dos cachorros-quentes, MTV quer versão censurada do clipe "Our Time", da Lily Allen!

Se com "Hard Out Here", primeiro single do álbum "Sheezus", a cantora Lily Allen comprou uma briga a favor do femini...

Se com "Hard Out Here", primeiro single do álbum "Sheezus", a cantora Lily Allen comprou uma briga a favor do feminismo na música, alfinetando não só o cantor e dono de "Blurred Lines", Robin Thicke, como também a indústria em si, em "Air Balloon", segundo single do álbum, ela conseguiu passar em branco, mas não repetiu o feito no single seguinte, "Our Time".

Primeiro single promocional do álbum, "Our Time" foi revelada com a capa e tracklist do novo CD, sendo disponibilizada para download após comprarmos o disco novo em sua pré-venda, e para promovê-la, Allen lançou um videoclipe horas após revelar seu áudio, onde temos a cantora interpretando várias personagens, em meio a uma carona com direito a muitas bebidas e confusão.

Até então, nada que já não tivéssemos visto antes em outros lugares, mas o suficiente pra MTV se sentir no direito de pedir por uma versão censurada que pudesse ser exibida nas manhãs da emissora. Em seu Twitter, Lily revelou um email de sua equipe, onde seu representante confirma se recusar a produzir uma versão censurada do clipe exigida pela MTV, que pediu pelo corte das cenas em que ela bebe álcool em uma garrafinha e briga com um cachorro-quente. 


Nós sabemos que a violência aos cachorros-quentes tem se tornado cada vez mais corriqueira e realmente é um problema termos uma estrela pop glamorizando algo assim, mas a britânica pareceu irredutível na rede-social, aproveitando pra alfinetar a emissora, dizendo que nem pensava que eles ainda exibiam videoclipes — atualmente, a MTV estadunidense cumpre boa parte de sua programação com reality shows.

Para entender melhor o outro lado desta história, conversamos com uma cantora cachorro-quente também conhecida por atuar em famosas séries adolescentes para esse público específico em anos anteriores, que declarou:
"Tudo o que estou dizendo é que artistas pop têm influência nas pessoas... Alguns deles são pessoas incapazes de compreender a arte que isso é quando expressado por seus ídolos. Jovens que estão lutando para descobrir suas identidades são seriamente influenciados pelas coisas que veem seus ídolos fazendo. Seja essa nossa intenção ou não, artistas influenciam pessoas de TODAS as idades e, infelizmente, as pessoas veem e fazem. Cabelo, roupas e algumas coisas mal interpretadas, usando depois a desculpa de arte para seus comportamentos auto-destrutivos. Já passei por muita coisas ruins... Mais do que qualquer um de vocês imaginam, e eu simpatizo pela luta de todos" explicou Dog Lovato, que continuou: "Porém, as pessoas reproduzem o que eles veem artistas fazendo ou deixando acontecer e é por isso que eu tinha que falar alguma coisa. Pra alertar as pessoas que não entendem a arte nisso, que AGREDIR CACHORROS-QUENTES não é legal e isso não o colocará ao lado do seu ídolo num palco. Eu NÃO posso ficar sem falar nada, porque eu defendo aquilo que acredito e falo [abertamente] sobre doenças mentais. Vocês estão certo, ninguém pediu minha opinião, mas a cultura pop é uma grande parte na condução da nossa geração, temos que continuar lutando por um mundo melhor. Sem ódio, sem brigas, apenas amor."
Em respeito aos cachorros-quentes que se sentiram ofendidos ou desrespeitados com o clipe, somos a favor das tais edições numa versão censurada do clipe, mas também devemos enfatizar o fato de, na produção, Lily Allen também representar o dogão, de forma que, em meio a controversa, defenda essa minoria com catchup e mostarda.

Mas e você, o que acha? Antes de opinar, sugerimos que assista o clipe (que, com todo respeito, é bem legal!):



PS.: TAQUEPARIU, hein? Brincadeiras à parte, será que o pessoal da MTV já parou pra assistir "Jersey Shore", exibido pelos próprios?