A esperança é a última que morre e JoJo está, finalmente, livre do contrato com a Blackground Records!

Devido a fácil manipulação da mídia, muitas vezes não nos damos conta das coisas obscuras que rolam pelos bastidores das gravadoras e s...

Devido a fácil manipulação da mídia, muitas vezes não nos damos conta das coisas obscuras que rolam pelos bastidores das gravadoras e seus artistas contratados, mas sempre que temos a chance de acompanhar de perto um desses casos, terminamos bem impressionados com toda a burocracia que envolve coisas como simplesmente deixá-lo ser mais livre em estúdio, lançar um novo álbum ou investir numa nova música de trabalho. 

Nos últimos anos, exemplos não faltaram. Avril Lavigne entrou em conflito com a RCA até deixá-la e assinar com a Epic Records, onde lançou seu quinto e autointitulado disco, Fiona Apple também tem um romance ruim com a mesma gravadora, que em 2004 foi pressionada pelos fãs da cantora para liberarem um disco engavetado, Robyn precisou quebrar um contrato ainda no começo de sua carreira, lançando uma gravadora própria pra que tivesse total autoridade dos seus discos, e há pouco também conhecemos um pouco da história da Ke$ha, atualmente presa à um contrato de oito álbuns com o produtor Dr. Luke, onde apenas dois foram lançados, maaaas, se teve um caso que já estávamos crentes que não renderia nenhuma resolução, esse foi o da JoJo.



Pra quem só se lembra de "Too Little Too Late" ao falar da cantora, saiba que a estreia dela foi bem mais significativa do que parece. Em 2004, JoJo lançou seu disco de estreia e dele extraiu seu primeiro grande hit, "Leave (Get Out)", se tornando a artista mais jovem a alcançar o topo da Billboard Hot 100 — ela tinha apenas 13, Lorde. Daí em diante, tudo funcionou muito bem. Outros dois singles foram bem-sucedidos no cd e no disco seguinte ela conquistou mais alguns milhares de fãs com o tal smash que todos se lembram, "Too Little Too Late", mas aconteceu das coisas desandarem anos mais tarde, quando a Blackground Records, gravadora responsável por seus lançamentos, faliu e se recusou a liberá-la do contrato assinado há quase 10 anos.



Esse período talvez tenha sido o mais difícil para a JoJo, mesmo que tenha rendido coisas fantásticas, tipo "Disaster" ou aquela produzida pelo Danja, "Sexy To Me". Sem grande apoio da sua gravadora e a chance de assinar com outro selo, ela passou a lançar músicas de forma independente, com EPs e mixtapes pela internet, e contou com o apoio de diversos sites e blogs neste período, começando também a campanha #FreeJoJo, onde pedia pelo fim do contrato que estava presa. 



O tempo passou e por alguma razão o destino foi bem legal com a cantora, que agora não só se livrou da tal Blackground Records, como também assinou um contrato com a Atlantic Records, que entre tantos nomes é a responsável pelos lançamentos de Bruno Mars, Janelle Monáe, T.I., Missy Elliot, Christina Perri e Marina and The Diamonds. Tudo isso parece bem animador, certo?



Talvez ainda seja cedo pra esperar pelo anúncio do novo disco, até porque deve ter sido difícil pra própria JoJo se dar conta de que agora está livre outra vez — ou melhor, presa a algo que pode salvar sua carreira —, mas mal podemos esperar pra ver o que ela tem a nos oferecer neste terceiro e tão aguardado disco. Muita boa sorte nesta nova fase, sua linda, e obrigado por nos ensinar que a esperança é mesmo a última que morre! :D