Justin Bieber não merece uma "garrafada" e as Beliebers não merecem o Justin Bieber

E antes de qualquer coisa, precisamos externizar: Justin Bieber é um babaca. Nesta semana o cantor canadense veio ao Brasil, para cumpr...

E antes de qualquer coisa, precisamos externizar: Justin Bieber é um babaca. Nesta semana o cantor canadense veio ao Brasil, para cumprir com os shows prometidos em 2012, e desde que pisou em solo nacional, fez uma besteira atrás da outra. De início, nosso plano era não falar sobre isso, pois Bieber estava longe de trazer o que suas fãs estavam esperando e a gente não tem a mesma paciência de antes pra aturar muitas dessas meninas alienadas que surgiriam depois pra contrariar cada uma das coisas que fôssemos dizer sobre o cantor, mas estamos seguros em dizer que o próprio tratou de manchar muito do seu personagem por conta própria. 

Mas esperem, do que estamos falando? Obviamente, não é sobre ele ter ido pra uma ~casa de massagem~, sido expulso do hotel por excesso de baderna ou gastado sabe-se lá quantos mil com prostitutas por aí, até porque isso é do íntimo dele e temos mais é que deixá-lo ser feliz, mas sobre o desrespeito com fãs, atrasando o show e depois dando pití por conta de um objeto que jogaram nele no meio da apresentação.



Tá certo que levar um objeto, seja uma garrafa jogada por má fé ou um presente — como fotos em ângulos alternativos indicaram —, não é das coisas mais legais pra se fazer no Brasil, mas tinha mesmo que fazer o #chateado e abandonar o show pouco antes de cantar sua música mais famosa? Não, não precisava. Como ninguém CONFIRMOU que se tratava de um presente e não uma garrafa, vamos levantar também a falta de educação de quem atirou o objeto. De certo, é um desrespeito com o menino, que só precisava subir ali, cantar alguns sucessos, fingir alguma emoção com todo o momento e depois descer e voltar pra sua vida de "rei do camarote", mas nem assim conseguimos dar razão por cantor. 

Quer vocês aceitem ou não, Justin Bieber foi uma peça importante para o momento atual da cultura pop. Por mais que a Disney já lançasse artistas teens há tempos, foi com o disco "My World" que o canadense trouxe de volta a atração das gravadoras por nomes para adolescentes, abrindo espaço para nomes como a boyband britânica One Direction, mas ao mesmo tempo que alimentava e tornava maior a sua legião de fãs, as Beliebers, ele também se viu cada vez mais perto do monstro da maioridade, com aquela necessidade de amadurecer sua imagem para a mídia. Quem dera ele fosse a Miley Cyrus, então começava a fazer twerk, mudava radicalmente o visual, lançava um ótimo álbum carregado de influências urbanas e, bang!, tava visto com outros olhos pelo público, mas ele não é e preferiu então mostrar que cresceu da pior forma: fazendo a linha bad boy. 

Para os EUA, que há pouco tiveram uma experiência marcante com o cantor Chris Brown, que conquistou um bom número de odiadores após a polêmica agressão na cantora Rihanna, seria bem difícil Bieber impressionar. Ele bem tentou e musicalmente acertou, seu álbum "Believe" é uma superprodução para as rádios, mas conforme desenhava seu novo personagem foi inflando cada vez mais seu ego, até chegar ao ser insuportável que acabou com a fantasia de muitas Beliebers aqui no Brasil.

Como também parte da turnê Believe, as fãs mais sortuda$ pagaram cerca de 3 mil reais para respirar o mesmo ar que Justin Bieber em um Meet and Greet, mas essa foi só mais uma das coisas que o menino também provou não saber fazer por aqui. No encontro com suas Beliebers, o canadense não quis tirar uma só foto sem seus óculos escuros e talvez tenha tido menos contato com seu público do que a Britney Spears na mesma parte da sua última turnê, com o disco "Femme Fatale". Um vídeo, registrado por uma câmera escondida, mostra um pouco desse momento, no mínimo embaraçoso para muitas das meninas que, felizes da vida com sua fantasia de ídolo, estavam lá:



Claro, pelo Twitter ele garante que AMA cada uma das suas Beliebers. Querem provas? Ele até segue umas 3 ou 4. Só não peça pra tocá-las, aí é amor demais, tudo tem limite.

Em suma, a gente só não queria falar sobre essa passagem dele pelo Brasil porque ele realmente tem se tornado um ser intragável, mas também seria sacanagem não nos manifestarmos enquanto a dondoca continua parecendo algo bom para suas fãs. Muitas delas, inclusive, estão SE DESCULPANDO por artigos como esse ou garrafas como a que vimos acima em seus perfis no Twitter, com medo dele não voltar mais ao país. Não aprovamos de forma alguma a agressão física ao cara, isso é desrespeito, falta de educação, ninguém merece. Mas as mesmas palavras servem para o menino e a forma que trata suas Beliebers: desrespeito, ninguém merece. Burras são elas, que preferem ignorar a verdade e continuar louvando um Deus que nunca existiu.