Sinéad O'Connor manda carta aberta à Miley Cyrus aconselhando-a sobre sua carreira!

Hoje, 3 de outubro, é um dia bem marcante. Por quê? Por motivos que podem ser explicados através de dois gifs: Uma data eternizada...

Hoje, 3 de outubro, é um dia bem marcante. Por quê? Por motivos que podem ser explicados através de dois gifs:

Uma data eternizada ♥

Há exatos 20 anos, Sinéad O'Connor rasgava uma foto do Papa em pleno SNL

A irlandesa Sinéad O'Connor ganhou o mundo em 1990 com a lindíssima "Nothing Compares 2 U" (se está se perguntando "who?", corre pro YouTube, porque quem tá perdendo não é ela), mesmo ano em que participou do show que originou o DVD Roger Waters - The Wall Live in Berlin, ou seja, coisa grande! Mas eis que em 1992, no dia 3 de outubro, Sinead passou de sucesso à artista mais odiada  na América (e quando digo "América" me refiro a do Norte, do Sul, Central, todas) depois de rasgar uma foto do Papa no programa Saturday Night Live.  Controversa na certa! E hoje, exatamente 20 anos depois do ocorrido, a cantora continua tendo opiniões claras e fortes sobre diversos assuntos e um deles é aquele pro qual o mundo inteiro formou uma opinião, seja a favor ou contra; Miley Cyrus.

Mas calma(!), ao menos não estamos falando do VMA mais uma vezZzzZzZZz e sim do clipe para a deliciosa "Wrecking Ball". Em sua entrevista para a Rolling Stone, Miley disse que o vídeo que inspirou alguns takes de "Wrecking Ball" foi justamente o único smash hit da O'Connor, a já citada "Nothing Compares 2 U". Sinead declarou que não ia comentar sobre ter sido uma inspiração pro trabalho da aspirante à miss Twerk (sim, aspirante à. Mas não confundam as coisas, não ter bunda pra twerk não desmerece o trabalho dela, ou seja, aquele álbum mais que lindo, vulgo Bangerz), mas depois de receber diversas ligações de muitos meios de comunicação que desejavam publicar a opinião da veterana sobre Cyrus, ela resolveu escrever uma carta aberta postada em seu site oficial. Não vamos transcrever a coisa toda, já que ficou enorme, mas vamos colocar aqui os trechos por nós considerados merecedores de uma maior atenção.


[...] Então aqui vai o que preciso dizer... E é dito com uma intenção maternal e com amor. Eu estou extremamente preocupada com você, de que as pessoas a sua volta tenham te direcionado a acreditar, ou encorajado em suas próprias crenças, que de qualquer forma é 'legal' ficar pelada e lambendo marretas em seus vídeos. O fato é que talvez você vá deixar de lado seu talento ao permitir que te prostituam, seja a indústria musical ou você mesma fazendo essa prostituição. [...] A indústria da música está pouco se fo***do pra você, ou qualquer um de nós. Eles irão te prostituir pelo tanto que você vale e, inteligentemente, fazer com que você pense que é o que VOCÊ precisa... e quando você acabar na reabilitação como resultado dessa prostituição, eles estarão tomando sol em seus iates na Antigua, que compraram vendendo seu corpo e você vai se ver muito sozinha. [...] Você vale mais do que seu corpo ou seu apelo sexual. O mundo do showbiz não vê as coisas desse jeito, eles gostam que as coisas sejam vistas de outro jeito, sejam eles revistas que te querem na capa, ou qualquer outra coisa... Não se deixe iludir. TODOS eles te querem porque estão ganhando dinheiro com a sua juventude e sua beleza [...]
Acho que esses trechos sintetizam bem o pensamento da Sinéad e, bem, ela tá bem certa em alguns pontos. Realmente, a sexualização dos artistas, principalmente das mulheres, é de fato algo ilusório e perigoso e, coincidentemente, Britney Spears declarou que se pudesse voltar no tempo, teria sido menos sexualizada e focado mais em coreografias, artifício que sempre a fez se destacar.


Por outro lado, um dos nossos blogueiros fez um post sobre a onda machista que ataca a artista do Bangerz e, de fato, é machismo (lembrando que ser mulher, ou qualquer outra coisa, não significa que você não tem um pouquinho de machismo dentro desse seu coraçãozinho de algodão doce ♥) e, consequentemente, conservadorismo. Sinéad O'Connor tem razão ao afirmar que a indústria musical prostitui a imagem feminina? Sim, sempre que podem e deixam, isso acontece. É algo ilusório? Totalmente, afinal, todos irão envelhecer e nem pra todo mundo vai ser como é pra Madonna, rs.  Entretanto, a sexualidade feminina é totalmente reprimida na nossa sociedade, que se diz tão democrática, tão libertina e afins. Diariamente vemos mulheres reprimindo outras mulheres, palavras como puta/vadia/vagabunda/fácil são usadas todos os dias por homens, mulheres e crianças de forma totalmente inconsciente e, muitas vezes, causando profundos danos a quem recebe esses rótulos. 

No caso, estamos diante de dois extremos. Sinéad nos chocando com uma postura consideravelmente conservadora, vindo de alguém que já rasgou a foto do Papa em pleno SNL, para protestar contra a forma que a igreja conduz seus fieis (não contra "Deus", não confundamos as coisas) e do outro lado temos Miley, uma artista que ficou na sombra de uma personagem durante sua adolescência e só esta vivendo essa fase, de fato, agora aos 20 anos. Com essa vivência e liberdade tardia da adolescência, temos mil pontos positivos e mais mil negativos, assim como a declaração da veterana irlandesa.

A verdade é que, apesar de nós todos amarmos poder dividir o mundo entre certo ou errado, bem ou mal, nem sempre é possível fazê-lo. Esse conflito é uma dessas situações, então vamos a um meio termo: Miley está chocando os conservadores  quanto a existência de sua sexualidade e isso é LINDO. Precisamos de pessoas dispostas a chocarem, pois muitos só vão entender que a mulher tem tesão e que isso não é errado dessa forma. Por outro lado, isso só é lindo se ela tiver se sexualizando pelos motivos certos, ou seja, se essa imagem estiver sendo construída apenas com o intuito de ser polêmica, vender e estiver sendo controlada pelo monstro que essa, e qualquer outra indústria é, Sinéad está mais que correta, apesar de alguns exageros conservadores em sua carta aberta.

Podemos concluir então que a sexualidade feminina deve ser aceita e muitas pessoas só entenderão dessa forma, mas quando o sexo é usado de forma inconsciente no desejo de atrair publicidade, o único resultado será a objetificação sexual de toda e qualquer mulher viva. Qual papel estaria Miley Cyrus fazendo?