Hitômetro: Justin Timberlake – “Take Back The Night”

Mesmo sem nenhum lançamento próprio recente, o produtor Pharrell Williams já é o grande nome desse ano! Indo de Daft Punk à Britney...

Mesmo sem nenhum lançamento próprio recente, o produtor Pharrell Williams já é o grande nome desse ano! Indo de Daft Punk à Britney Spears, dificilmente vamos conseguir pensar em um nome que não tenha dividido estúdio com o cara nos últimos meses e um deles é o cantor Justin Timberlake. Após cerca de seis anos longe das rádios, o cantor de “What Goes Around... Comes Around” fez seu retorno nesse ano com o álbum “The 20/20 Experience” e foi uma das primeiras amostras do que Pharrell vinha produzindo para os discos alheios: uma proposta de música orgânica, com mais de um pé nas décadas passadas, algo classudo pra valer!

Enquanto promovia o tal disco, Timberlake anunciou então que ele ganharia uma sequência, porém, enquanto ainda trabalhava em seus primeiros singles (“Suit & Tie” e “Mirrors”), se viu sendo derrubado por outro nome masculino nas paradas. Como alguém conseguiria derrubá-lo em um retorno tão aguardado? Quem teria essa audácia? E eis que a resposta veio com nome, sobrenome e um histórico bem grande de carreira: Robin Thicke e uma tal de “Blurred Lines”. O single que derrubou Timberlake e sua “Mirrors”, porém, não era pouca coisa. Tinha um refrão chiclete, o mesmo pop orgânico que o cantor planejava trazer as rádios e até um flerte com o hip-hop, mas olhem só, não é que também tinha o dedo do Pharrell Williams!? Pela primeira vez em anos se sentindo ameaçado no que era sua zona de conforto, Justin antecipou então os trabalhos com a segunda parte do disco “The 20/20 Experience” e foi assim que “Take Back The Night”, o seu novo single, ganhou vida nas rádios.

Assim como Timbaland, David Guetta e Calvin Harris em outrora, Pharrell Williams, como o produtor do momento, espalhou suas fórmulas para muita gente, então não ficaria difícil encontrar coisas semelhantes cantadas por artistas diferentes e Justin Timberlake foi um dos que caiu nessa triste coincidência. Seu single, “Take Back The Night”, mantém a postura classuda de “Suit & Tie” ou qualquer outra do “The 20/20 Experience”, desta vez em uma relação séria com as pistas de dança, sendo um dance oitentista com “quês” e “erres” emprestados de Michael Jackson, mas talvez tudo isso soasse mais interessante se Pharrell, O Grande, não tivesse feito exatamente a mesma coisa há alguns meses com o Daft Punk numa música chamada “Lose Yourself To Dance”.

Particularmente, não vemos problemas em algumas semelhanças aqui ou ali, até porque visto que a canção se inspira no que tocou nas rádios há anos é provável que existam N outras iguais, mas é aqui que entra o fator decepção, visto que esse é o primeiro single do que seria a redenção pop de Timberlake com a sequência do “The 20/20 Experience”, o glorioso single de retorno do rapaz que em algum momento de sua carreira ganhou o título de Príncipe do Pop não é nada incrível, nada que surpreenda, nada tão fantástico quanto o que o consagrou em seus dois primeiros álbuns. O engraçado nisso tudo é, porém, que muitos artistas, na tentativa de suprir nossa necessidade de escutar novidades de Justin Timberlake, chegaram a fazer singles bem mais interessantes do que o próprio (“Hottest Girl In TheWorld”, do JLS; “Give It 2 U”, do Robin Thicke e “Boyfriend”, do Justin Bieber, são só alguns dos exemplos).



“Take Back The Night” não chega a ser ruim, mas um tanto decepcionante vindo de um artista que sempre nos presentou com coisas tão grandes.